Mundo Animal

Elefantes-marinhos – Características, origem do nome e reprodução

Semelhante às focas, os elefantes-marinhos são mamíferos carnívoros que possuem uma espécie de tromba que auxilia na alimentação.

Atualizado em 02/08/2020

Os elefantes-marinhos são mamíferos carnívoros, da mesma espécie das focas. Com efeito, são classificados como ponípede, ou seja, ordem de mamíferos aquáticos, que pertencem à família Phocidae. Em suma, eles receberam esse nome devido ao formato do nariz, similar a tromba de um elefante.

Há duas espécies de elefantes-marinhos: M. angustirostris, que habita o hemisfério norte e M. leonina, que habita o hemisfério sul. 

Mirounga leonina é o nome científico dos elefantes-marinhos, que passam a maior parte do tempo no oceano. Eles vão saem da água para a reprodução.

No decorrer dos séculos XVIII e XIX, os elefantes-marinhos foram caçados devido a gordura, que era transformada em óleo.  Além disso, durante muito tempo, esse mamífero carnívoro foi objeto de pesquisa, com o objetivo de identificar como conseguem sobreviver em locais com baixas temperaturas. 

Elefantes-marinhos - Características, origem do nome e reprodução
Imagem: YouTube

Características dos elefantes-marinhos

Apesar da habilidade aquática, os elefantes-marinhos são lentos na terra. Ainda assim, o corpo possui uma grossa camada de gordura, que os protegem contra o frio e ataques de tubarões e orcas. Referente a alimentação, basicamente, é composta por peixes, lulas e outros cefalópodes. 

Além disso, os elefantes-marinhos possuem olhos negros que lhes permitem localizar as presas na escuridão do mar. Ainda sobre o corpo, possui a cor amarelada ou cinza-amarrozada. Em resumo, os elefantes-marinhos se diferencia das focas, leões e lobos marinhos por não terem orelhas e, também, por se locomoverem em terra, usando o ventre e não as nadadeiras.  

Elefantes-marinhos - Características, origem do nome e reprodução
Imagem: Infoescola

Logo, pela habilidade com as nadadeiras, as fêmeas adultas mergulham em uma profundidade de até 1.255 metros. Normalmente, as elas mergulham direto por 20 a 27 minutos, por até 500 a 800 metros. Enquanto isso, os machos, durante a mesma quantidade de tempo, mergulham de 200 a 400 metros.

As fêmeas, basicamente, não têm tromba, sendo que o focinho é arredondado e curto. Além disso, machos e fêmeas possuem unhas negras alongadas na ponta das nadadeiras dianteiras. Logo, os machos podem atingir cerca de 6,5 metros de comprimento e chegar a 3.500 quilos. Enquanto isso, as fêmeas são menores com 3,5 metros de comprimento e cerca de 900 quilos.  

Sobretudo, com a tromba, os elefantes-marinhos conseguem absorver a umidade do ambiente a cada expiração e, com isso, conseguem se manter hidratados, por longos períodos. 

Reprodução  

Em síntese, os machos atingem a maturidade sexual aos seis anos de idade, porém, apenas procriam aos nove. Em contrapartida, a fêmea está pronta para ter um filhote por ano, já aos três anos. 

Durante o período de reprodução, os machos vão para a terra para disputar a liderança do território. Logo após, as fêmeas aparecem. Após três semanas do nascimento dos filhotes, os elefantes-marinhos acasalam novamente. Sendo assim, cada macho pode engravidar cerca de 40 fêmeas. 

Para o acasalamento, os machos chegam às praias no fim de agosto. Em contrapartida, as fêmeas vão para o mesmo local apenas no final de setembro. Com isso, os elefantes-marinhos reúnem-se em colônias, durante o período do acasalamento. Ademais, os machos maiores chegam a ter até vinte fêmeas. Logo após a época de reprodução, ambos se separam e voltam para o mar, onde permanecem por dois meses.  

Elefantes-marinhos - Características, origem do nome e reprodução
Imagem: Wikiwand

Os filhotes nascem com uma pelagem preta que cai cerca de 20 ou 30 dias depois. Dessa forma, ao completar um ano eles passam a ter uma pelagem amarelada que escurece nos adultos para um marrom escuro. Aliás, os elefantes-marinhos adultos também renovam a pele e os pelos anualmente.

Tanto os machos quanto as fêmeas retornam às praias, após a troca de pelos e permanecem até a próxima primavera. Outra curiosidade é que esses mamíferos possuem alto grau de dimorfismo sexual. 

Gosta de conhecer sobre o universo marinho? Então veja mais sobre Leão-marinho – Características, hábitos, onde vivem e espécies

Fontes: Meus Animais Infoescola Britannica Escola

Imagens: Wikiwand Adrenaline

Infoescola YouTube