História

Guerra do Vietnã – o que foi, contexto histórico, causas e desfecho

A Guerra do Vietnã foi um intenso conflito no qual o país foi dividido em Norte e Sul, com líderes de ideologias completamente distintas de cada lado

A Guerra do Vietnã, teve duração de 16 anos (de 1959 à 1975), e foi um conflito entre o Vietnã do Norte e o Vietnã do Sul. Ela, aliás, ocorreu paralelamente à Guerra Fria.

O Vietnã foi colonizado pela França e ao final da Guerra da Indochina (1946-1954) acabou sendo dividido em dois países. Após esta divisão, os dois territórios passaram a ser comandados  por líderes que possuíam ideologias completamente distintas.

Enquanto o Vietnã do Norte estava sob o comando do comunista pró União Soviética Ho Chi Minh, o Vietnã do Sul era uma ditadura militar capitalista e comandada por Ngo Diem Dinh, aliado aos Estados Unidos.

O exército americano participou da Guerra de maneira acentuada. Dessa forma, há uma estimativa de que tiveram mais ou menos entre 1,5 milhão e 3 milhões de pessoas mortas nos conflitos.

Continua após a publicidade

Causas da Guerra do Vietnã

O que foi a Guerra do Vietnã?

Os problemas ideológicos foram fomentando a rivalidade entre os dois países. No entanto, o clima de tensão se intensificou entre 1995 e 1959, quando líder do Vietnã do Norte começou a atacar o Vietnã do Sul com o apoio de seus guerrilheiros. Antes do ataque direto, Ho Chi Minh já tinha milhares de homens infiltrados que tinham a missão de sabotar o país vizinho.

Continua após a publicidade

Assim sendo, não houve uma declaração formal de que haveria uma Guerra, mas ela foi acontecendo gradativamente. Dessa forma, de um lado tinha o exército norte-vietnamitas, vinculado à Frente Nacional de LIbertação e ainda contavam com os soldados regulares, mandado pelo líder do país. Já no outro exército tinham as tropas americanas e os soldados regulares da Vietnã do Sul.

O fim da Guerra

O que foi a Guerra do Vietnã?

Continua após a publicidade

Os Estados Unidos interferiram de maneira intensa na Guerra. Este fator começou a gerar uma resistência popular contra o governo do então presidente Lyndo B. Jonhson. Antes dele entrar no poder, a participação do país acontecia de maneira indireta. Contudo, ao assumir o poder, se sentiu insatisfeito pelo fato de as tropas comunistas não serem combatidas pelos vietnamita.

Desse modo, os norte-americanos só estavam esperando um motivo que os fizesse entrar na Guerra de maneira efetiva. E este fundamento veio após Incidente do Golfo de Tonnquim, em 1964, em que a embarcação USS Maddoz sofreu dois ataques dos norte-vietnamitas. Apesar de nunca terem sido provados, os Estados Unidos usou os supostos ataques para que algumas resoluções fossem aprovadas e assim entraram de forma efetiva no Guerra.

No entanto, a grande agressividade americana fez a população pedir a retirada do país. Um dos movimentos que auxiliam naquele momento foi a contracultura, forte no período. Assim, em 1973, o então presidente, Richard Nixon, propôs um cessar fogo.

Sem o auxílio dos Estados Unidos, o governo do Vietnã do Sul não conseguiu conter os avanços do exército contrário, que logo conquistou a cidade de Saigon, em 1975. Portanto, após a derrota do lado sul, a partir de 1976, houve a reunificação do Vietnã com liderança comunista.

Continua após a publicidade

Consequências da Guerra do Vietnã

O que foi a Guerra do Vietnã?

O número de mortos e feridos foi de uma proporção colossal. Estima-se que os conflitos deixaram, entre civis e militares, entre 1,5 milhões a 3 milhões contando mortos e mutilados.

Além do mais, os prejuízos econômicos foram de extrema gravida no país. Sem falar nas destruições agrícola e de casas.

Gostou dessa matéria? Então você também vai gostar dessa: Descubra quais eram os pratos favoritos dos maiores ditadores da história.

Continua após a publicidade

Fonte: Sua Pesquisa, História do Mundo.

Imagens: Pixabay.

Próxima página »

Escolhidas para você