Ciência & Tecnologia

História da Nike: origem e evolução da empresa de calçados

A história da Nike iniciou em meados dos anos 1960 e revolucionou o mercado esportivo. Clique aqui e saiba mais sobre a marca e sua história!

Por P.H Mota

A história da Nike teve início em 1964, sendo fundada por Bill Bowerman e Phil Knight. Na época, a empresa se chamava Blue Ribbons Sports. De lá para cá não foi só o nome da marca que mudou, ela adentrou em nichos diferentes e passou a ser uma das marcas mais lembradas de itens esportivos.

Embora o início da marca tenha se dado em meados dos anos 1960, foi apenas em 2008 que o Brasil recebeu a primeira loja oficial da marca. No entanto, isso não impediu que o mercado brasileiro consumisse os produtos da Nike.

Quer saber mais sobre a história da Nike? Confira!

Histórica da Nike: da origem aos dias atuais

Conforme mencionado, a Nike foi fundada em 1964, no dia 25 de janeiro, por Bill Bowerman e Phil Knight, com sede no Oregon, nos EUA. Naquele primeiro momento, a marca se chamava Blue Ribbon Sports, no entanto, houve a mudança para o nome atual em 1971.

Continua após a publicidade

A marca começou a expandir em 1978, ano em que a empresa passou a operar na Europa e na América do Sul. Além disso, nesse ano, a Nike criou um departamento de futebol e começou a investir em marketing esportivo com diversos atletas. Dois anos depois, a empresa criou seu laboratório, com objetivo de analisar ergonomia e biomecânica dos produtos.

Ao passo que os anos foram passando, a Nike cresceu e diversificou ainda mais as suas mercadorias, além de ter feito importantes aquisições, como a Cole Haan, a Converse Inc, a Canstar Sports Inc e a Umbro.

Continua após a publicidade

A história da Nike no Brasil teve seu início em 1988  a partir da comercialização dos produtos. No entanto, a primeira loja da marca abriu em terras brasileiras apenas em 2008.

Ronaldo e Maurren inauguram a primeira loja Nike Sportswear do Brasil
Ronaldo e Maurren Maggi inaugurando a primeira loja brasileira da Nike. Crédito: João Pires / ZDL

7 fatos curiosos para conhecer mais a história da Nike

1. Ideia precursora (1960)

Tudo começa com a Blue Ribbon Sports, em 1964. Na ocasião, Phil Knight havia acabado de sair da Universidade de Oregon, onde fez parte da equipe de atletismo. Por causa disso, Phil era próximo de Bill Bowerman, treinador da modalidade.

Continua após a publicidade

Bowerman tinha muito interesse no crescimento técnico de seus atletas, mas não parava por aí. Um de seus principais esforços, por exemplo, estava na otimização dos calçados de corrida com a ajuda de um sapateiro local. Um dos primeiros modelos desenvolvidos por ele, inclusive, foi testado por Knight. O tênis seria o primeiro passo para a história da Nike.

A princípio, era só um teste, mas tudo deu tão certo que o companheiro de equipe de Knight – Otis Davis – ganhou ouro nos 400 metros das Olimpíadas de 1960 com ajuda dos sapatos.

Após a graduação em Oregon, Knight foi fazer um MBA em Stanford, mas não deixou a antiga paixão de lado. Isso porque ele ainda estudava a produção de tênis de corrida, sugerindo que o Japão deveria ser o novo grande centro para o mercado, ao invés da Alemanha.

Dessa maneira, Knight decidiu viajar ao Japão, onde conseguiu firmar um acordo de importação de calçados da marca Tiger. A parceria foi suficiente para trazer Bowerman para o empreendimento, visto que o treinador também não estava satisfeito com os modelos alemães. Da parceria, surgiu a Blue Ribbon Sports, em 25 de janeiro de 1964.

Continua após a publicidade

2. Início da história da Nike (1964)

História da Nike - origem e evolução da empresa da calçados pelos anos
Fonte: The Olympians

Ainda que desenvolvesse calçados alternativos e mais baratos, Knight conseguiu um ótimo sucesso inicial com a Blue Ribbon Sports. O público teve uma boa recepção para a qualidade dos tênis importados, que estavam no mesmo nível de Adidas e Puma, dominantes no mercado.

Com apenas um ano de empresa, Bowerman decidiu inovar e propôs um novo modelo de calçados que mudaria a história da Nike. A ideia era oferecer um melhor suporte para corredores a partir de uma palmilha almofadada, bem como incluir borrachas de esponja no ante pé e parte superior do calcanhar (esponja macia) e no meio meio do calcanhar (esponja dura). Além disso, o novo modelo iria contar com uma sola emborrachada mais firme.

O novo modelo de tênis precisou de dois anos para ser lançado no mercado e, em 1967, chegou às lojas como um sucesso imediato.

O sucesso, no entanto, incomodou os japoneses da Tiger. Knight defendia que a Tiger queria colocar fim ao contrato de exclusividade com a Blue Ribbon, enquanto a empresa japonesa acusava a Blue Ribbon de vender uma versão própria de seus tênis sob o nome Nike.

Continua após a publicidade

3. Separação e o nome Nike (1971)

A tensão entre as duas empresas provocou uma separação formal em 1971. A separação veio logo após um processo da Tiger, mas permitia que as duas empresas vendessem suas próprias versões do novo modelo de tênis. Dessa maneira, o mesmo calçado podia ser encontrado sob as marcas Nike Cortez e Tiger Corsair (que se tornaria Asics).

A separação também trouxe uma reformulação na Blue Ribbon, que mudou oficialmente de nome para Nike. A princípio, Knight pensou no nome Dimensão 6, mas a inspiração na deusa grega da vitória acabou sendo definitiva para a escolha do novo nome.

Ao mesmo tempo, a nova empresa também precisava de um novo design de marca. Foi assim que a Nike chegou até Carolyn Davis, estudante de design da Universidade Estadual de Portland. O trabalho custou apenas US$ 2 por hora, resultando num total de US$ 35 pela marca que tornou-se uma das mais populares do mundo.

No entanto, alguns anos depois, Phil Knight concedeu 500 ações da Nike para Carolyn Davis. O valor atualmente é estimado em cerca de US$ 1 milhão.

Continua após a publicidade

3. Revolução do Waffle Trainer (1980)

A história da Nike continuou a replicar o sucesso estabelecido pela Blue Ribbon Sports. Logo após o destaque do modelo Tiger Cortez, Bowerman voltou a revolucionar a história do tênis com o conceito do design Waffle.

Durante um café da manhã, o treinador observou as marcas dos sulcos do waffle que comia e teve a inspiração para um novo solado. Bowerman pensou como aquelas marcas ficariam invertidas e decidiu derramar uretano derretido numa forma de waffle. A primeira tentativa deu errado, mas o treinador não desistiu e conseguiu otimizar o solado.

O novo modelo de tênis foi o primeiro grande sucesso da história da Nike, após a reformulação da empresa. A partir daí, o crescimento nunca mais parou, garantindo a Phil Knight o status de milionário, em 1980.

4. Michael Jordan entra na história da Nike (1984)

Além das revoluções nos modelos de tênis a história da Nike também conta com importantes apoios de atletas e celebridades, como Tiger Woods, Lebron James e Kobe Bryant.

Continua após a publicidade

Mas o nome de mais destaque na história da empresa com certeza foi o de Michael Jordan. Mesmo antes de ter sua primeira temporada como jogador profissional, em 1984, o atleta foi procurado pela empresa. Jordan, no entanto, nunca havia utilizado um tênis da marca e buscava um contrato com a Adidas.

A virada aconteceu depois que a Nike ofereceu um contrato de US$ 500 mil por ano, ao longo de cinco anos, dois carros Mercedes e modelos de tênis personalizados de acordo com as exigências do atleta. Curiosamente, Os lucros também não param para Jordan, que fatura cerca de US$ 100 milhões por ano em royalties vindos da parceria.

Por fim, o acordo se provou extremamente lucrativo. Jordan se firmou como um dos maiores jogadores de todos os tempos e ainda desenvolveu sua própria linha de calçados: Air Jordan. Só até o final de 1985, a linha faturou mais de US$ 100 milhões. Ainda hoje, os Air Jordans estão entre os principais modelos produzidos pela Nike, levando a um faturamento de US$ 2,8 bilhões, só em 2018.

5. “Just do it” (1988)

Sem dúvida, esse é um dos slogan mais lembrados pelos consumidores, que já associam à marca de que ele faz parte. No entanto, a origem dele é um tanto quanto macabra.

Continua após a publicidade

Dan Wieder, fundador da conhecida agência de publicidade Wieder+Kennedy, em entrevista à revista “Dezeen”, relatou que, em 1977, estava pensando em um slogan para a marca até que se deparou com um desabafo de um criminoso frente a um pelotão de fuzilamento.

O criminoso em questão era Gary Gilmore, que, em virtude de assassinatos e outras ações ilegais, foi condenado à pena de morte. Assim, na hora de sua execução, ao perguntarem se ele tinha algum pensamento final para compartilhar, ele apenas disse: “Let’s do it” (vamos fazer isso).

Dan Wieder afirmou, na entrevista, que gostou da expressão, no entanto, não gostou da frase, por isso mudou para “Just do it” (simplesmente faça). O slogan foi publicado pela primeira vez em 1988 e, desde então, foi um grande sucesso.

6. A Seleção Brasileira muda a história da Nike (1994)

Na Copa do Mundo de 1994, quando conquistamos o título de tetracampeões, dos 22 jogadores da Seleção Brasileira que foram escalados, 8 estavam utilizando a chuteira Nike Tiempo Premier. Assim, o Phil Knight decidiu que a Nike seria patrocinadora da Seleção Brasileira.

Continua após a publicidade

Depois de passados 2 anos de contrato, o cofundador da marca alegou que “só entenderemos verdadeiramente o futebol quando virmos o jogo pelos olhos dos brasileiros”. Com essa frase, a empresa passou a estar associada à imagem da Seleção Brasileira.

7. A Nike nos dias atuais

Hoje em dia, a Nike é a maior empresa do ramo esportivo do mundo e a marca de moda mais valiosa, segundo a Brand Finance. Além disso, conquistou diversas parcerias durante sua trajetória, como o contrato de exclusividade no fornecimento de equipamentos com a NBA e com a NFL.

Além disso, a Nike também está sempre presente nas Olimpíadas, sempre patrocinando seleções de destaque.

Leia também:

Continua após a publicidade

Fontes: Canal Tech, Manual do Homem Moderno, Registro de marca.

Próxima página »

Escolhidas para você