Curiosidades

Homem do saco – Origem, história e curiosidades sobre o papa-figo

A lenda do papa-figo ou velho do saco é usada até hoje para amedrontar crianças. Ela é fruto do folclore popular e possui diversas versões.

Por muitos anos, tem sido muito comum assustar as crianças dizendo ‘o homem do saco vai te pegar!’. Ele é a figura de um personagem que está a meio caminho entre a realidade e a ficção. Além disso, em diversas partes do Brasil, esse homem também ficou conhecido pelo apelido de ‘papa-figo’. Segundo a crença, ele é descrito como um velho sujo e maltrapilho que sequestra crianças para arrancar-lhes o fígado.

Desse modo, existem muitas histórias em torno do personagem que se dedica a levar embora as crianças que se comportaram mal, dentro de um saco. Umas das versões mais comuns atribui essa figura macabra aos portadores de hanseníase, antigamente chamada de ‘lepra’.

Origem do homem do saco

Homem do saco: origem, história e curiosidades sobre o papa-figo
Fonte: Pinterest

No imaginário popular os portadores da “lepra” eram pessoas totalmente desfiguradas que atacavam crianças para ingerir o seu fígado e assim ficarem curados da doença. Durante muito tempo, os pais enganavam as crianças afirmando que o velho do saco iria sequestrá-las para retirar seus fígados e se alimentar deles. Daí surgiu o termo papa-fígado, que foi abreviado para papa-figo.

Para esclarecer, antigamente muitas pessoas acreditavam que a Lepra era uma doença do sangue (sangue impuro ou sujo). Como o sangue é filtrado pelo fígado, muitos achavam que comer esse órgão os ajudaria a restabelecer a sua saúde. ‘Um fígado doente se trata com um fígado sadio’, era a firme convicção do senso comum popular dos antigos. Por este motivo, acreditava-se que o Papa Figo era um homem acometido por essa doença, e que sequestrava suas vítimas para arrancar este órgão.

Segundo a crença, o papa figo era um senhor, geralmente careca de dentes tortos que andavam com um grande saco nas costas, e que nesse saco ele sequestrava as crianças que ficavam brincando até tarde na rua e que não obedecia as mães. Como resultado, a ficção reproduz essa preocupação real dos pais, assim como alertava as crianças acerca dos riscos de se aproximarem, ou aceitarem, qualquer coisa de pessoas estranhas.

A lenda do velho do saco europeu

Créditos: Rodney Buchemi

A lenda do papa-figo é confundida com o velho do saco devido à incorporação de um mito europeu no folclore brasileiro. Segundo a crença, bastante comum no leste da Europa, havia um velho que andava sujo, mal vestido com um grande saco nas costas, cheio de crianças que ele sequestrava pelo caminho. E de acordo com esta lenda, as crianças do saco que o velho carrega, eram crianças que estavam longe de algum adulto, brincando em frente às suas casas ou brincando na rua. Assim, o velho do saco pegaria a criança caso ela saísse sozinha de casa. Conta a lenda que a criança era morta e não tinha só o fígado retirado como também o seu sangue era usado para passar em suas chagas.

Outra versão que mistura as duas histórias também é bastante conhecida em todo o país. Dessa forma, nos anos 80 e 90, as crianças eram assombradas ao avistar um carro preto, pois elas acreditavam que se ele parasse seria para raptá-las. As mães das crianças geralmente usavam o mito do papa-figo ou homem do saco para obrigarem as crianças a dormir, comer e não sair na rua, além de fazer com que elas obedecessem e se comportassem bem.

O papa-figo da Espanha

Fonte: Pinterest

Se existe uma lenda popular na Espanha, é a do velho do saco. No entanto, essa lenda urbana tem mais verdades do que fantasia. Para esclarecer, o papa-figo espanhol era uma figura tão temida por mães e crianças a tal ponto que a histeria em massa e o medo levaram várias populações a atacarem qualquer estrangeiro ou pessoa potencialmente suspeita.

Nesse sentido, há fatos semelhantes à lenda brasileira que se esconde por trás da crença. Durante o século 19, era a tuberculose que assolava a Europa. Embora fosse uma doença mais urbana, devido às péssimas condições de vida e insalubridade das periferias, as consequências atingiram também o meio rural.

Assim como no Brasil, a medicina e o método científico coexistiam com superstições, remédios caseiros e sabedoria popular. Nas áreas mais isoladas, havia apenas a figura do curandeiro ou feiticeiro. Um velho que carregava um saco gigante onde guardava o material para suas porções. Aliás, ele era o encarregado de oferecer remédios como misturas e porções que muitas vezes eram acompanhadas de rituais.

Nessa linha, acreditava-se que o sangue das crianças era bom para curar a tuberculose. Então, muitas crianças acreditavam que seriam sequestradas pelo homem do saco por causa de sangue.

Por fim, com o passar dos anos, as lendas sobre o homem do saco ou papa-figo permaneceram apenas no imaginário popular. Ele é uma figura do folclore brasileiro e de vários outros países que sempre será usada para causar os piores pesadelos às crianças malcriadas.

Quer saber mais sobre outras lendas e crenças populares? Então leia: Lenda do pirarucu – Origem e história do peixe tradicional da Amazônia

Fontes: Maracanã Assistência, Toda Matéria, Click Guarulhos

Fotos: Pinterest, Rodney Buchemi

Próxima página »

Escolhidas para você