Ciência & Tecnologia

O que é a hipótese de Gaia?

A Teoria ou Hipótese de Gaia foi desenvolvida na década de 1960 por James Lovelock, um cientista e inventor britânico.

A hipótese Gaia de James Lovelock recebeu o nome da antiga deusa grega da Terra. Ela diz que o nosso planeta e seus sistemas biológicos se comportam como uma enorme entidade única.

A teoria foi concebida pela primeira vez na década de 1970 por Lovelock e pela bióloga Lynn Margulis. Em suma, entidade da Terra é um sistema vivo autorregulador controlado de perto; que mantém as condições do planeta dentro dos limites favoráveis ​​ao suporte da vida.

A hipótese de Lovelock oferece uma nova maneira de olhar para a ecologia global, que difere da imagem clássica, onde a ecologia é uma resposta biológica a uma lista de condições físicas.

História da hipótese de Gaia

James Ephraim Lovelock, cientista inglês, ambientalista e futurista, propôs a hipótese de Gaia no final dos anos 1960. Lovelock desenvolveu a teoria logo após trabalhar com a NASA e determinar que a vida em Marte era altamente improvável. Sua pesquisa levou a alguns novos insights sobre a vida na Terra.

Continua após a publicidade

A teórica evolucionista e bióloga americana, Lynn Margulis, co-desenvolveu a teoria na década de 1970. Margulis era microbiologista da Universidade de Massachusetts.

Inicialmente, muitas pessoas criticaram a teoria; dizendo que era teleológico. A teleologia é a doutrina de que as causas finais existem. Além disso, as pessoas também reclamaram que isso contradizia os princípios da seleção natural.

Continua após a publicidade

No entanto, refinamentos posteriores alinharam a teoria com ideias de campos como ecologia de sistemas, biogeoquímica e ciência do sistema terrestre.

Mesmo assim, a hipótese de Gaia ainda tem críticas hoje. Na verdade, muitos também dizem que está principalmente em desacordo com a ciência.

Continua após a publicidade

Argumentos da hipótese de Gaia

A hipótese de Gaia sugere que organismos e ecossistemas na Terra provocam mudanças substanciais na natureza física e química do meio ambiente; de forma a melhorar as condições de vida no planeta.

Em outras palavras, sugere-se que a Terra seja um planeta organísmico, com mecanismos homeostáticos que ajudam a manter seus próprios ambientes dentro das faixas de extremos que podem ser tolerados pela vida.

O conceito é baseado em várias observações:

  • A atmosfera está em extremo desequilíbrio termodinâmico devido às atividades da vida, contudo aspectos de sua composição são notavelmente estáveis.
  • As condições presentes na superfície da Terra estão próximas do ideal para os organismos dominantes.
  • A vida persistiu por mais de 3,8 bilhões de anos, apesar do aumento da luminosidade solar.
  • O sistema da Terra se recuperou repetidamente de grandes transformações.

Legado

A teoria de Gaia foi ridicularizada quando ele a propôs pela primeira vez, por muitos que acreditavam que era “tolice da nova era”. Agora compõe a base de grande parte da ciência climática.

Continua após a publicidade

Assim, a hipótese de Gaia inspirou muitas figuras importantes como Al Gore, Vaclav Havel, John Todd, Freeman Dyson, Elisabet Sahtouris e Joseph Campbell.

Além dessa teoria, James também foi controverso entre seus colegas cientistas ambientais e ativistas porque defendia a energia nuclear. Apesar disso, muitos concordam com sua opinião.

James Lovelock

Nascido em 1919 e criado em Londres, Lovelock estudou química, medicina e biofísica no Reino Unido e nos EUA. Nas décadas de 1940 e 1950, trabalhou no National Institute for Medical Research em Londres.

Alguns de seus experimentos analisaram o efeito da temperatura em organismos vivos e envolviam congelar hamsters e depois descongelá-los. Os animais sobreviveram.

Continua após a publicidade

Lovelock trabalhou durante a década de 1960 nos programas lunares e marcianos da NASA no Jet Propulsion Laboratory em Pasadena, Califórnia. Todavia, ele passou grande parte de sua carreira como cientista independente fora das grandes instituições acadêmicas.

As contribuições de Lovelock para a ciência ambiental incluíram o desenvolvimento de um detector de captura de elétrons altamente sensível para medir clorofluorcarbonos que destroem a camada de ozônio na atmosfera e poluentes no ar, solo e água.

Além disso, o último livro de Lovelock, “Novacene”, publicado quando ele completou 100 anos em 2019, propôs que os humanos seriam substituídos na Terra por ciborgues.

O cientista britânico morreu no dia 26 de julho de 2022, no seu aniversário de 103 anos. Lovelock deixou sua esposa Sally e os filhos Christine, Jane, Andrew e John.

Continua após a publicidade

Fontes: Wikipédia, Brasil Escola, BBC

Outros conteúdos que podem interessar:

Entenda a ousada teoria do ‘antiuniverso’ em que o tempo corre para trás
Quantas dimensões do universo existem e teorias sobre dimensões extras
Planeta Nibiru: origem, histórias e teorias sobre o Planeta X
Teorias da conspiração: o que leva as pessoas a acreditarem?
Área 51, o que é? Para que serve, onde fica e teorias ligadas ao local
Terceira guerra mundial – Possibilidades, teorias e alguns motivos

Continua após a publicidade

Próxima página »

Escolhidas para você