Saúde

O que é e quais doenças são consideradas comorbidades?

Embora existam muito antes do Covid-19, as comorbidades estão sendo cada vez mais discutidas à medida que a vacinação continua em todo o mundo

Em 2020 vimos com a propagação do coronavírus, que as pessoas que já têm problemas de saúde subjacentes correm mais risco de apresentar sintomas mais graves, em caso de infecção pela Covid-19. Mas, o que são essas doenças subjacentes ou comorbidades?

Em suma, o termo comorbidades significa simplesmente a presença de duas ou mais condições médicas ocorrendo ao mesmo tempo ou uma logo após a outra.

Com cada vez mais indivíduos enfrentando múltiplas condições crônicas, é importante entender como a comorbidade afeta os resultados dos pacientes e a qualidade de vida.

Aliás, a palavra comorbidade é formado pelo prefixo latino “cum”, que significa correlação, companhia, e pela palavra morbidade, originada de “morbus”, que designa estado patológico ou doença. Vamos ver abaixo suas causas e como se relacionam com a pandemia de Covid-19.

Qual é a causa da comorbidade?

As comorbidades geralmente ocorrem porque as doenças compartilham os mesmos fatores de risco, de modo que uma pessoa com diabetes também pode desenvolver doenças cardíacas ou um paciente com demência também pode ser diagnosticado com câncer.

Além disso, as comorbidades também podem ser uma doença física ao lado de desafios de saúde mental. Por exemplo, um paciente com doença pulmonar obstrutiva crônica, ou DPOC também pode sofrer de depressão.

Cada paciente é único, por isso é importante entender a relação entre as comorbidades. Desse modo, se uma doença causa outros problemas crônicos de saúde, ela pode ser tratada para aliviar os problemas de saúde relacionados.

Contudo, se houver vários problemas médicos não relacionados, cada um deles precisará ser tratado separadamente.

Qual a relação da comorbidade com a Covid-19?

O que é e quais doenças são consideradas comorbidades?

Em junho de 2020, um estudo publicado na SN Comprehensive Clinical Medicine investigou a crença de que o COVID-19 em uma pessoa com condições de saúde ou comorbidades subjacentes “tem uma progressão cada vez mais rápida e grave, muitas vezes levando à morte”.

Os pesquisadores analisaram todos os dados disponíveis e descobriram que ter comorbidades também aumenta as chances de infecção por coronavírus.

Ademais, eles também concluíram que pacientes com histórico de hipertensão, obesidade, doença pulmonar crônica, diabetes ou doença cardiovascular têm o pior prognóstico e na maioria das vezes acabam com desfechos deteriorantes, como a lesão pulmonar com risco de vida ARDS (síndrome de aflição respiratória aguda) e pneumonia.

Em outras palavras, geralmente é uma combinação de problemas que levam a sintomas graves. Isso ocorre porque essas doenças subjacentes também enfraquecem o sistema imunológico. Então, com o corpo incapaz de combater o coronavírus, essas condições tornam esses indivíduos mais vulneráveis ​​à doença.

Todos esses fatores tornam extremamente importante que pessoas com comorbidades recebam a imunização o mais rápido possível para que tenham proteção adicional.

Ademais, há uma boa possibilidade de que seus corpos precisem de mais tempo para desenvolver uma resposta imune forte, e é por isso que as pessoas com comorbidades devem se dar tempo suficiente após a vacina antes de sair e retomar a vida normal.

Quais comorbidades têm prioridade na vacinação contra a Covid-19?

O que é e quais doenças são consideradas comorbidades?

Atualmente, o Ministério da Saúde recomenda que pessoas com comorbidades sejam incluídas nos grupos prioritários da vacinação. Com efeito, isso os coloca atrás de profissionais de saúde, residentes de instituições de longa permanência, trabalhadores essenciais da linha de frente e pessoas com 75 anos ou mais.

As comorbidades elencadas pelo Ministério da Saúde para a vacinação contra a Covid-19 são:

Doenças associadas à obesidade

Diabetes
Pneumopatias crônicas graves:
HAR – Hipertensão Arterial Resistente
Hipertensão arterial estágio 3
Hipertensão arterial estágios 1 e 2 com lesão em órgão-alvo e/ou comorbidade
Doença renal crônica
Imunocomprometidos
Hemoglobinopatias graves: doença falciforme e talassemia maior
Obesidade mórbida
Síndrome de Down
Cirrose hepática

Doenças Cardiovasculares

Insuficiência Cardíaca
Cor-pulmonale e Hipertensão pulmonar
Cardiopatia Hipertensiva
Síndromes Coronarianas
Valvopatias
Miocardiopatias e Pericardiopatias
Doenças da Aorta, dos Grandes Vasos e Fístulas arteriovenosas
Arritmias cardíacas
Cardiopatias congênitas no adulto
Próteses valvares e Dispositivos cardíacos implantados

Doenças neurológicas crônicas

Acidente vascular cerebral isquêmico ou hemorrágico
Ataque isquêmico transitório
Demência Vascular
Doenças neurológicas que impactam na função respiratória
Paralisia Cerebral
Esclerose Múltipla
Doenças hereditárias e degenerativas do sistema nervoso ou muscular
Deficiência neurológica grave

O que você pode fazer sobre comorbidades ?

Por fim, comorbidades, como você pode ver, tendem a ser condições de estilo de vida. Entretanto, a maioria dessas condições pode ser mantida sob controle com medicação e dieta adequada e rotina de exercícios.

Portanto, durante a pandemia, é mais importante do que nunca garantir que você ou seus entes queridos estejam fazendo todo o possível para se manterem saudáveis ​​e suas doenças subjacentes sob controle.

Então, agora que você sabe o que é comorbidades, leia também: O que estuda a gelotologia e como o riso pode ajudar pacientes de hospitais?

Próxima página »

Escolhidas para você