O que tem no miojo? Descubra o que você anda comendo

Não adianta negar, quando bate aquela fome e a preguiça é tão grande quanto ela, a gente acaba apelando para o bom (ou nem tanto) e velho macarrão instantâneo. Nessas horas não importa o quanto esse rango é demonizado, porque tudo que a gente quer é fazer a fome passar de uma forma simples. Mas, afinal, você já parou para pensar o que tem no miojo?

Que todas aquelas ondinhas amarelas e crocantes são muito industrializadas, a gente sabe, mas será que tudo que está ali faz realmente mal? O que estamos comendo quando mandamos um “miojão” para o estômago? Você, muito provavelmente, nunca se perguntou isso, mas hoje você vai descobrir assim mesmo.

Isso porque o que tem no miojo vai muito além dos quilos e mais quilos de sódio, que todo mundo sabe. Ele também é também um fonte de glúten (os alérgicos e os enjoadinhos, que fiquem espertos), já que tem também farinha de trigo, além de farinhas de arroz e de milho.

Mas dá para encontrar também no miojo ingredientes como ovos, reguladores de acidez, alho e cebola em pó, beterraba, cenoura, e até tomate. Quem diria, hein?

6

O que tem no miojo além disso? Bom, um monte de substâncias industrializadas, especialmente quando o quesito é gosto, além de substâncias naturais extraídas dos peixes e das algas, que realçam o sabor do alimento. Já, no caso da cor, o que tem no miojo são corantes como páprica e caramelo, segundo a matéria original, publicada no site da Revista Galileu.

Mas, não é só o que tem no miojo que o norma um grande vilão. A forma como ele é preparado também o torna uma “junk food”, já que antes de ir para a embalagem, ele precisa ser pré-cozido e frito em gordura vegetal, por 15 segundos, para ficar durinho.

Isso sim é tenso, né? Já pensou no que vira tudo isso em seu estômago? Aliás, isso você já até teve oportunidade de ver aqui, no Segredos do Mundo, nessa outra matéria, lembra?

E se descobrir isso não fez você desistir de comer macarrão instantâneo, muito provavelmente, descobrir o que tem no miojo também não vai. Então toca para frente e vamos logo para a lista.

O que tem no miojo? Descubra o que você coloca no prato:

Ácido Fólico

4

O ácido fólico é uma das substâncias encontradas no miojo. No caso, sua função é ajudar a absorver o ferro. Na natureza esse ácido existe também e é encontrado, basicamente, no trigo. Mas, com o refino da farinha, ele nutriente se perde, sendo acrescentado artificialmente nos produtos vendidos no Brasil.

Aliás, a legislação brasileira obriga que os fabricantes adicionem 150mcg de ácido fólico a cada 100g de farinha de trigo presente nos produtos.

Ferro

2

Acha que acabou? O que tem no mijo vai muito mais além. Ainda por conta da farinha de trigo, o ferro também é contrato na composição do macarrão instantâneo. Aliás, esse nutriente é uma das coisas que “salva” o miojo de ser uma porcaria completa.

Para quem não sabe, o ferro é o responsável por transportar, grudadas a ele, o oxigênio das hemoglobinas presentes no sangue. Aliás, é esse oxigênio que acaba alimentando o corpo todo, à medida que o sangue circula.

Betacaroteno

3

Sabe aquela cor forte da cenoura e da beterraba? O responsável por isso é um corante natural, chamado betacaroteno, que também está presente em outros vegetais de cores fortes. A boa notícia é que, quando você manda ele para dentro, ele não é inútil no seu organismo e acaba se tornando vitamina A.

Carbonatos de potássio e de sódio

1

Sabe o que tem no miojo também? Esses dois componentes de nomes difíceis. Segundo quem entender do assunto, esses carbonatos são bastante encontrados na casca dos ovos e na casca das ostras. Basicamente, a função dos carbonatos de potássio e de sódio é regular o pH, ou seja, a acidez do alimento, já que ele não pode ficar nem ácido demais, nem básico demais em nosso organismo.

Tripolifosfato de sódio

5

O que tem no miojo? Esse palavrão aí mesmo! Aliás, o tripolifosfato de sódio (eita é que difícil ficar escrevendo esse nome!) é usado também na composição dos detergentes, sabia?

Mas, antes que você fique com medo de morrer, melhor se acalmar. Esse é um componente sintético, usado em vários produtos industrializados para manter a textura, regular a acidez e impedir, no caso dos alimentos, de que ele fique “rançoso” facilmente.

E agora que você já sabe o que tem no miojo, talvez você queira descobrir também: 7 segredos que você não conhecia sobre o macarrão instantâneo.

Fonte: Revista Galileu