Curiosidades

Conheça os nomes e as características de 31 personagens folclóricos brasileiros

Conheça a seguir alguns dos personagens mais populares do folclore nacional, bem como suas respectivas lendas.

O Brasil possui um dos folclores mais ricos do mundo, com personagens que são frutos das culturas e tradições de diversos povos que formam hoje a nação brasileira, com destaque para o indígena, o africano e o europeu.

Dessa forma, surgiram diversas histórias mitológicas envolvendo seres e criaturas fantásticas que há séculos assombram e surpreendem os brasileiros. Aliás, existe até um dia no calendário nacional para se comemorar essa rica cultura, sendo o dia 22 de agosto.

Essa data foi criada em 1965, por meio do Decreto nº 56.747, de 17 de agosto de 1965. Ela se refere à primeira vez em que a palavra folclore foi usada para denominar as crenças de um povo, especificamente em 1846, quando o escritor, antiquário e folclorista britânico William John Thoms cruzou os termos folk, que significa “povo”, e lore, que quer dizer “conhecimento”.

Conheça a seguir alguns dos personagens mais populares do folclore nacional, bem como as principais características de suas respectivas lendas.

Continua após a publicidade

31 personagens famosos do folclore do Brasil

1. Anhangá

No folclore brasileiro, o Anhangá (ou Anhanga) era um espírito poderoso, que protegia as matas, os rios e os animais selvagens. Geralmente, aparecia como um veado enorme, de cor branca, olhos vermelhos como o fogo e chifres pontudos. Entretanto, ele também podia ser um tatu, homem, boi ou pirarucu. Diz a lenda que o Anhangá punia caçadores que maltratavam os animais e a floresta.

Os invasores podiam levar pauladas invisíveis, chifradas e coices, ou cair no encanto de ilusões mágicas, perdendo-se na mata ou até mesmo morrer. Porém, era possível oferecer aguardente ou fumo de rolo ao Anhangá, pedindo sua proteção.

2. Ao Ao ou Ahó Ahó

Esta é uma lenda bastante presente na Região Sul, mais precisamente no Rio Grande do Sul. Desse modo, o Ao Ao ou Ahó Ahó é uma criatura semelhante a uma ovelha gigante e monstruosa, com garras afiadas, que persegue índios no meio da mata. Com efeito, para livrar-se dela é preciso subir em uma palmeira e esperar que ela vá embora.

3. Besta Fera

A besta fera é outro famoso personagem do folclore lusobrasileiro. Dizem que essa figura dá urros e relinchos horrendos para assustar caçadores na floresta. Além disso, acredita-se que sua aparência é de uma besta híbrida, ou seja, metade homem, metade cavalo. Além disso, sua brutalidade é muito semelhante ao do lobisomem.

Continua após a publicidade

4. Boitatá

Segundo a lenda, o Boitatá é uma grande serpente de fogo, que protege os animais e as matas de pessoas que pretendem fazer algum mal e principalmente que ateiam fogo nas matas.

As lendas também dizem que o Boitatá pode se transformar em uma tora de madeira em chamas que mata os humanos que incendiam as florestas. Portanto, esse personagem do folclore brasileiro é o guardião da fauna e da flora.

5. Boi Vaquim

Essa criatura folclórica é um boi com asas e chifres de ouro que chispa fogo pelas pontas do chifre e tem olhos de diamantes. Assim, dizem que é preciso muita coragem para laçá-lo.

6. Boto Cor-de-rosa

O Boto Cor-de-Rosa é um dos animais silvestres do Brasil. Aliás, é a maior espécie de golfinho do rio e muda de cinza para rosa à medida que envelhece.

Continua após a publicidade

Para o folclore brasileiro, no entanto, o Boto Cor-de-Rosa é uma criatura mágica que pode assumir a forma de um belo homem tarde da noite. Sua figura humana é muito charmosa e sedutora.

Com efeito, ele vai a festas em busca de jovens bonitas e solitárias. Depois de se transformar em humano e vestir um terno branco, o Boto seduz as meninas da aldeia até o fundo do rio para engravidá-las.

Os indígenas acreditam que o espiráculo do boto do Amazonas não desaparece enquanto o Boto está em sua forma humana. Portanto, você precisa usar um chapéu para escondê-lo.

Por fim, a crença popular na região amazônica diz que as crianças cujo pai é desconhecido são filhos de Boto.

Continua após a publicidade

7. Capelobo

Esse personagem do folclore brasileiro faz parte de uma lenda comum a diversos estados do norte e nordeste. Em suma, ele é muito semelhante ao lobisomem, mas possui um olho no meio da testa e o pescoço comprido.

Aliás, ele só aparece nas noites de sexta-feira 13 que ostentem uma lua cheia nos céus, de modo que suas aparições são raras. Assim, ele persegue suas vítimas em busca de sangue. Também dizem que o único jeito de derrotá-lo é ferindo-o gravemente na região do umbigo.

8. Cobra grande ou Boiúna

Um dos personagens mais famosos do nosso folclore é a Boiuna ou Cobra Grande. Em suma, trata-se de uma gigantesca serpente que habitava os rios caudalosos da Amazônia. Ligada à criação do mundo, a Boiuna podia mudar o curso das águas e dar origem a muitos animais.

A Boiuna é descrita como uma cobra de cor escura com pele brilhante. Este animal é tão grande que é capaz de afundar navios, segundo lendas populares. As lendas também dizem que esse ser tem o poder de causar ilusões e de se transformar em mulher.

Continua após a publicidade

Quando o Boiúna ficar velho, ele vai procurar comida no chão. Impossibilitada de caçar em um ambiente ao qual não está acostumada, dizem as histórias que a Boiúna é auxiliada por uma incrível centopeia de 5 metros de comprimento.

9. Corpo-seco e bradador

Essa figura se refere a uma alma penada e amaldiçoada que passou a vida fazendo o mal. Ao morrer, nem Deus nem o Diabo a quiseram, e até a terra se recusou a decompor sua carne. Assim, o cadáver foi definhando e secando.

Assim, essa lenda é muito famosa em Minas Gerais, Paraná, Santa Catarina e, principalmente, São Paulo, em muitas regiões diz-se que ele ataca quem passa por perto, sugando o sangue da vítima como um vampiro.

10. Cuca

Este é outro ser mitológico bastante conhecido no folclore brasileiro. Cuca é descrita como uma bruxa temível, com garras afiadas e, em algumas versões, tem cabeça de jacaré. Aliás, a popularidade desse personagem folclórico aumentou quando ele foi interpretado por Monteiro Lobato no clássico infantil Sítio do Picapau Amarelo.

Continua após a publicidade

11. Curupira

Assim como a Cuca, o Curupira é outro personagem do folclore brasileiro cujo objetivo é proteger os animais e as árvores. É uma criatura travessa do folclore indígena, com cabelos ruivos brilhantes e patas para trás.

O Curupira usa seus pés para trás para criar pegadas que enganam caçadores e outros exploradores que destroem as florestas. Assim, ele é implacável, ou seja, sempre persegue e mata aqueles que põem em perigo a natureza.

Além disso, quando alguém desaparece na floresta, as pessoas acreditam que a culpa é do Curupira.

12. Gorjala

Dizem que essa figura habita os sertões. Em suma, ele é um gigante de pele escura e possui um olho no centro da testa, sendo muito parecido com os ciclopes descritos na mitologia grega.

Continua após a publicidade

13. Iara

A Iara mora na região amazônica. A mãe das águas, como é chamada, é uma linda sereia de cabelos negros que atrai os pescadores com seu belo e sedutor canto.

Sua voz ecoa pelas águas e matas, enfeitiçando os homens até o fundo de um rio. Entretanto, uma vez lá, eles nunca poderão retornar à terra. Os poucos homens que conseguem escapar da voz encantadora de Iara enlouquecem.

14. Ipupiara

Também chamado de “Demônio das Águas” (tradução, em tupi-guarani, de Ipupiara), dizem que ele é um monstro marinho que fazia parte da mitologia dos povos do período da colonização, que habitavam o litoral brasileiro no século XVI. Segundo o folclore, ele atacava as pessoas e comia partes de seus corpos.

15. Jaci Jeterê

O nome Jaci Jaterê pode ser traduzido como “pedaço da lua”. Acredita-se que ele é o responsável pela criação do famoso Saci Pererê. Jacy Jaterê, em algumas versões, é dito ser um rapaz pequeno, de pele e cabelos claros como a Lua.

Continua após a publicidade

Está sempre carregando um cajado mágico que parece feito de ouro, com o qual hipnotiza crianças que não dormem no meio da tarde, no período da sesta. Ele costuma levá-las para um lugar secreto, onde brincam até cansar, deixando os pais em desespero pelo sumiço da criança.

Além disso, contam que se você conseguir pegar seu cajado, ele se joga no chão e grita, feito criança, e fará e encontrará o que você quiser em troca de ter seu objeto de volta.

16. Labatut

Monstro Labatut é um personagem comum no folclore do sertão do Nordeste brasileiro, especificamente na região da Chapada do Apodi, na divisa entre o Ceará e o Rio Grande do Norte.

Dizem que o Labatut tem forma humana. Seus pés são redondos, suas mãos são compridas, os cabelos são longos e assanhados e seu corpo é cabeludo, tendo só um olho na testa e seus dentes são como os do elefante, sendo considerado pelos nativos, pior que o lobisomem, a caipora e a besta fera.

Continua após a publicidade

17. Lobisomen

No interior do Brasil, dizem que a maldição do lobisomem recai sobre o sétimo filho homem de um casal ou ainda se um padre tiver um filho. Nas noites de lua cheia, ele corre até uma encruzilhada, onde sofre a transformação.

Para libertá-lo do seu terrível destino é preciso cortar uma das patas do bicho, para ele se transformar em homem novamente. E para matá-lo, é necessário cravar uma lâmina de ferro ou uma bala de prata em seu coração.

18. Mapinguari

Dizem que se trata de um bicho imenso, parecido com homem, mas coberto de pelos grossos, e que tem uma armadura feita do casco da tartaruga. Os povos Tuxaua acreditam que o Mapinguari é a reencarnação de um antigo rei que, no passado, habitava suas regiões.

Por outro lado, há quem diga que ele seria um índio, um pajé que descobriu o segredo da imortalidade, e seu castigo foi se transformar em um animal horrível e fedorento.

Continua após a publicidade

19. Matinta Pereira

É uma bruxa velha que se transforma em um horrível pássaro. Assobia de modo estridente nos muros e telhados das casas até o morador lhe prometer um presente. Se ele não cumprir o prometido, acontece uma desgraça na casa do morador.

Esse pássaro é conhecido no Nordeste como Mati-Taperê, Sem-Fim ou Peitica. Na Amazônia, há duas lendas sobre a Matinta Pereira: uma conta que ele se transforma numa coruja-rasga-mortalha ou num corvo, e a outra afirma que ele se veste com uma roupa preta que cobre todo o corpo e que as mangas largas e folgadas lhe permitem voar sobre as casas.

20. Mboi Tu”i

Conforme o folclore guarani, o Mboi Tu’i é o segundo dos 7 filhos monstros de Tau e Kerana. Assim, ele é o deus das águas e criaturas marinhas, uma bizarra criatura com corpo de serpente e a cabeça de papagaio. Além disso, ele tem a língua vermelha com um furo e a pele cheia de escamas e listras. Às vezes pode possuir penas em sua cabeça.

Existem historias que afirmam que Mboi Tu’i pode voar, mesmo sem possuir asas, ele subia em rochas e montanhas enquanto procurava alimento.

Continua após a publicidade

21. Moñai

De acordo com o folclore guarani, Moñai é um dos sete monstros lendários. Ele é o deus do ar e possui chifres que funcionam como antenas. Desse modo, o ser é capaz de hipnotizar e dominar as matas, além de escalar árvores para se alimentar.

Continuamente roubava pertences das aldeias e escondia em cavernas, fazendo com que os povos se acusassem mutuamente, gerando guerras e desavenças.

22. Mula sem Cabeça

Esta lendária criatura do folclore brasileiro é uma mula sem cabeça que cospe fogo pelo pescoço. Segundo a lenda, uma maldição é lançada sobre qualquer mulher que tenha um relacionamento romântico com um padre.

Com efeito, essa mulher se transforma em uma mula sem cabeça que corre sem parar pela floresta assustando pessoas e animais, ferindo tudo que encontra em seu caminho.

Continua após a publicidade

23. Negrinho do Pastoreio

Cruzando mitos cristãos e africanos, a lenda do Negrinho do Pastoreio nasceu no Sul do Brasil, e é uma lembrança triste do sofrimento dos negros escravizados.

Dizem que um menino foi castigado por um fazendeiro cruel por ter deixado um cavalo fugir. Assim, o amarraram e o deixaram sobre um formigueiro. Na manhã seguinte, quando voltou ao local, o fazendeiro encontrou o menino ao lado de Nossa Senhora, e se ajoelhou pedindo perdão.

Com a bênção da santa, o menino montou em um cavalo e saiu galopando pelos pampas, onde até hoje as pessoas dizem tê-lo visto, e a quem rezam pedindo ajuda quando precisam achar algum objeto perdido.

24. Onça-boi

Este personagem do folclore brasileiro é famoso na região Norte. Em suma, é uma mistura de onça-pintada com patas de boi. A criatura é temida por quem habita as florestas e as proximidades dos rios, por seu método de caça peculiar.

Continua após a publicidade

Elas preferem buscar suas presas em duplas. Como não podem escalar árvores em razão do tamanho de suas patas, revezam-se na vigília daquele que busca os galhos mais altos para se abrigar. Esperam até que a presa esteja cansada e com fome e, assim, caiam das árvores para serem mortas.

25. Onça Celeste (Charia)

Segundo o povo Tupi-Guarani, os eclipses solares e lunares ocorrem porque a Charia sempre perseguia os irmãos e Deuses Guaraci (O Sol) e Jaci (A Lua) que o importunam.

Na ocasião de eclipses, eles fazem uma grande festa como objetivo de espantar a onça celeste, pois acreditam que ela pode matar o Sol e a Lua. Caso aconteça, a terra cairá e ficaria numa completa escuridão e em seguida o Fim do Mundo.

26. Papa-figo

Utilizado por muitos pais para assustar e repreender os filhos, o papa-figo seria uma versão brasileira do bicho-papão. Dizem que ele possui um tamanho gigantesco, boca enorme, olhos de fogo e estômago de forno ardente. Assim, ele carrega crianças que não possuem bom comportamento, de acordo com a lenda.

Continua após a publicidade

27. Pisadeira

A Pisadeira é uma mulher muito magra, com dedos compridos e secos, unhas enormes, sujas e amareladas. Suas pernas são curtas, cabelo desgrenhado, nariz enorme e cheio de pelos.

Dizem que ela fica sempre no telhado e quando uma pessoa janta e vai dormir com o estômago cheio, deitando-se de barriga para cima, a pisadeira entra em ação. Ela desce de seu esconderijo e senta-se ou pisa fortemente sobre o peito da vítima que entra em um estado letárgico, consciente do que ocorre ao seu redor, porém ficando incapaz de qualquer reação.

28. Quibungo

Este personagem do folclore é descrito como metade homem e metade animal, e que possui as costas cheia de dentes. Assim, a criatura é uma espécie de bicho-papão, que devorava crianças arteiras e desobedientes.

29. Teju Jagua

Teju Jagua possui um corpo gigante de lagarto, com 7 cabeças de cão (ou uma de lobo com olhos vermelhos que soltavam chamas). Ele possuía incrustada no alto de sua cabeça uma pedra preciosa, o Carbúnculo.

Continua após a publicidade

Sendo o primeiro dos sete filhos de Tau e Kerana e o mais velho e com uma aparência terrível, acredita-seque ele é um ser benigno que não ligava para muitas coisas além de proteger suas frutas e mel.

30. Saci Pererê

O saci é outro personagem muito popular no folclore nacional. O Saci-Pererê é descrito como um menino negro que só tem uma perna, usa gorro vermelho e está sempre com um cachimbo na boca.

Além disso, ele é conhecido por ser muito brincalhão e por fazer muitas travessuras como fazer alimentos queimarem nas panelas ou esconder objetos.

Assim, o Saci-Pererê é um personagem tão emblemático no cenário folclórico brasileiro que foi criada uma data comemorativa exclusiva para ele: 31 de outubro, Dia do Saci. É visto como uma alternativa ao Halloween, com o objetivo de fazer os brasileiros celebrarem a riqueza do folclore nacional.

Continua após a publicidade

31. Luisón

Por fim, Luisón é o sétimo e último filho de Tau e Kerana. Amaldiçoado por seus pais, ele se transforma, durante as luas cheias, em uma criatura metade cachorro e metade homem, ou metade porco e metade homem, como afirmam outras versões.

Fontes: Dentro da História

Leia também:

Conheça 12 lendas urbanas aterrorizantes do Japão

Continua após a publicidade

Lendas do folclore brasileiro – Principais histórias e personagens

30 lendas urbanas brasileiras macabras de arrepiar!

Quais são as lendas e os personagens do folclore brasileiro?

Mitologia chinesa: principais deuses e lendas do folclore da China

Continua após a publicidade

Lendas do Velho Chico – Algumas histórias sobre o rio São Francisco

Mitologia brasileira – Deuses e lendas da cultura indígena nacional

Lendas Indígenas – Origens e importância para a cultura

Continua após a publicidade
Próxima página »

Escolhidas para você