Cleópatra: segredos e história da última rainha do Egito

Cleópatra, com certeza, foi e ainda é uma das mulheres mais influentes do mundo. Mas, nem tudo sobre sua vida estão nos livros de história!

Ela é considerada até hoje como um símbolo de poder, beleza e da astúcia feminina. Cleópatra, com certeza, foi e ainda é uma das mulheres mais influentes do mundo, tendo em vista seu reinado à frente do Egito Antigo.

Mas, apesar de muita gente já ter ouvido falar em Cleópatra e conhecer alguns detalhes sobre sua existência e sobre seu reinado, tanto tempo atrás, a verdade é que alguns fatos sobre a mais famosa rainha do Egito permanecem ainda pouco conhecidos.

20 segredos sobre Cleópatra pouco conhecidos

1. A beleza de Cleópatra não era tão relevante

Por mais que a rainha do Egito seja retratada até hoje como uma mulher irresistível ao homens e seja conhecida por usar o corpo e a beleza para influenciar a política, a verdade é que esses não eram os atributos mais relevantes de Cleópatra.

Na verdade, o que a tornava mais atraente, na época, era o fato de ser uma mulher culta, que entendia e falava várias línguas, sabia matemática, filosofia, oratória e astronomia.

Continua após a publicidade

2. Ela amava impressionar autoridades estrangeiras

Seja com o conhecimento, a beleza física, com sua riqueza ou poder, Cleópatra amava impressionar os estrangeiros importantes e, convenhamos, tinha inúmeras “armas” que lhe permitiam isso. Durante o ano 48 a.C, por exemplo, ela recebeu Júlio César, em Alexandria, escondida em um tapete, já que estava proibida pelo irmão, Ptolomeu XIII, de se encontrar com o visitante. Dizem que, quando Cleópatra se revelou, ela usava vestimentas tão ricas e deslumbrantes que Júlio César não resistiu a ela.

3. Cleópatra morava em Roma durante o assassinato de César

Cleópatra se juntou a Júlio César por volta de 46 a.C. e, com ele, foi viver em Roma. Dizem que a presença da rainha do Egito entre os romanos causou grande reboliço, já que eles não escondiam de ninguém a posição de amante de Cleópatra. A mulher, que se considerava uma verdadeira deusa na Terra, chegou até mesmo a erguer uma estátua sua, completamente dourada, no templo de Vênus Genetrix.

Continua após a publicidade

Conforme apontam alguns registros histórico, Cleópatra só saiu de Roma depois de Júlio César ser esfaqueado até a morte, no Senado, em 44 a.C. Mas, até então, ela já havia deixado várias marcas suas na cidade. Até mesmo seu estilo exótico de cabelo e as joias de pérolas que usava se tornaram moda em Roma.

4. Ela criou o “clube da bebedeira” com Marco Antônio

Cleópatra, mesmo em sua histórica promiscuidade, amou profundamente Marco Antônio, com quem teve 3 filhos. Contam as histórias que, durante o auge da paixão entre os dois, por volta de 41 a.C., ela e Marco Antônio fundaram um clube da bebedeira. Dizem que esse clube foi desculpa para muitas festas e bacanais durante o ano inteiro, regadas a muita bebida e comida.

Continua após a publicidade

5. Provavelmente, ela NÃO morreu por uma picada de cobra

Conta a lenda que Cleópatra teria se matado ao permitir que uma cobra a mordesse e envenenasse seu corpo. Mas há quem conteste essa versão dos fatos.

O historiador e filósofo Plutarco (que viveu na Roma antiga na primeira década do século 1 depois de Cristo), afirmou que a rainha do Egito mantinha escondido em suas roupas um veneno muito potente. Aliás, outros historiadores, mais recentes até, apostam que Cleópatra possa ter usado um alfinete, mergulhado no veneno de cobra, para se envenenar, ao espetar seu corpo com ele.

6. Era fruto de um incesto

Na época de Cleópatra era comum que os nobres casassem com seus próprios parentes para garantir a pureza da linhagem. Com a dinastia ptolemaica, a qual pertencia a rainha, isso não foi diferente. Contam que a própria rainha tenha sido fruto de um incesto, já que seus pais eram também irmãos.

7. Foi responsável pela morte de 3 de seus irmãos

Essa etapa da história também tem muito a ver com incestos. A própria Cleópatra também o cometeu.

Continua após a publicidade

Contam que seu primeiro marido, Ptolomeu XIII, era também era seu irmão. Ele teria saído do Egito depois que Cleópatra tentou tomar conta do trono sozinha. Mais tarde, os dois acabaram se enfrentando em uma guerra civil por esse mesmo motivo. Como, naquela época, a rainha tinha apoio de Júlio César, ela conseguiu vencer a disputa. Seu irmão e marido, por outro lado, foi afogado no rio Nilo.

Logo após a Guerra, por ser mulher, ela foi obrigada a casar-se novamente, agora com seu irmão mais novo, Ptolomeu XIV. Contam que ela mesma tirou sua vida, na tentativa de tornar o filho dos dois seu co-regente. bDepois disso, a rainha do Egito ainda arquitetou a morte de sua irmã, Arsinoe, em 41 a.C. Segundo alguns historiadores, Cleópatra considerava a irmã sua principal rival ao trono naquela época.

8. Criações

Cleópatra é conhecida por ter sido uma pessoa muito criativa e inovadora.

Um dos inventos atribuídos à ela é um perfume que ela teria criado usando suas flores favoritas, a rosa e o narciso. A fragrância teria sido usada por ela em banquetes e eventos importantes.

Continua após a publicidade

9. Intelectual

Cleópatra era uma grande admiradora da ciência e da medicina, e mantinha uma grande biblioteca em Alexandria.

Logo, apoiava a pesquisa científica e médica, e acredita-se que tenha sido uma das primeiras a incentivar o estudo da anatomia humana.

10. Líder militar

Cleópatra era uma líder militar habilidosa e valente, e liderou suas tropas em várias batalhas contra os romanos.

Ela era conhecida por sua inteligência tática e sua habilidade em manobrar suas forças para obter vantagem.

Continua após a publicidade

11. Lábia habilidosa

Cleópatra era uma diplomata habilidosa e experiente, e negociou com sucesso com os líderes romanos para manter o controle do Egito.

Então, ela usava sua inteligência e seu charme para estabelecer alianças políticas importantes e preservar a independência do Egito.

12. Cultura

A rainha era uma grande patrona das artes e da cultura, e apoiava escritores, artistas e filósofos.

Dessa forma, ela patrocinava festivais e eventos culturais, e era conhecida por sua paixão pela música, dança e teatro.

Continua após a publicidade

13. Júlio César

Cleópatra teve um relacionamento com Júlio César, o líder romano, e teve um filho com ele, chamado Cesarião.

O relacionamento com César foi importante para Cleópatra, pois garantiu a ela o apoio político e militar dos romanos em sua luta pelo poder no Egito.

14. Marco Antônio

Depois da morte de Júlio César, Cleópatra formou uma aliança com Marco Antônio, um dos líderes romanos, com quem teve três filhos.

A aliança com Antônio permitiu que ela continuasse a controlar o Egito e a manter sua independência em relação a Roma.

Continua após a publicidade

15. Como governante

Cleópatra era uma governante inteligente e astuta, e expandiu o império egípcio através de alianças políticas e guerras.

Assim, ela usava sua habilidade diplomática e militar para estabelecer alianças estratégicas com outras nações, e aumentar o território e o poder do Egito.

16. Após sua morte

Após sua morte, o Egito se tornou uma província romana, marcando o fim da dinastia Ptolemaica que governou o Egito por mais de 300 anos.

No entanto, o legado de Cleópatra permanece vivo na história e cultura do Egito, e ela continua sendo uma figura icônica e fascinante até hoje.

Continua após a publicidade

17. Primeira governante

Acredita-se que Cleópatra tenha sido a primeira governante egípcia a retratar-se em retratos oficiais com traços egípcios em vez de gregos, mostrando assim a sua ligação com a cultura e o povo do Egito.

Além disso, foi a única governante da dinastia Ptolemaica que falava fluentemente a língua egípcia.

18. Ameaça a Roma

Cleópatra governou o Egito com um grau de autonomia significativo em relação a Roma. Dessa forma, era responsável por cobrar impostos, construir obras públicas e manter a ordem pública no Egito, entre outras coisas.

Sendo assim, ela era vista como uma ameaça ao poder de Roma, devido ao seu sucesso em unir as províncias romanas do Oriente Médio e à sua capacidade de mobilizar recursos e tropas.

Continua após a publicidade

Por isso, ela foi retratada negativamente por muitos historiadores romanos, que a descreveram como uma sedutora e uma bruxa.

19. Cleópatra não era egípcia

Embora tenha nascido no Egito, a origem familiar de Cleópatra vem da Macedônia. Contam que a família da rainha chegou ao poder depois da morte de Alexandre, O Grande; em 323 a.C.

Nessa época, Ptolomeu I era um dos generais do imperador e acabou assumindo as rédeas do governo. A partir de então, esse parente distante da rainha fundou a dinastia dos Ptolomeus, que durou quase 3 séculos.

Mas, mesmo não sendo etnicamente egípcia, Cleópatra abraçou muitos dos costumes antigos do País. Ela também foi a primeira governante mulher de sua dinastia a aprender a língua do Egito.

Continua após a publicidade

20. Filme quase faliu a Fox

Uma curiosidade interessante sobre a interpretação de Elizabeth Taylor como Cleópatra no filme de 1963 é que o orçamento da produção foi tão grande que acabou afetando a economia do estúdio 20th Century Fox.

O filme teve um custo estimado de US$ 44 milhões, tornando-se o filme mais caro já produzido até então. Embora tenha sido um sucesso de bilheteria, não foi suficiente para recuperar todo o dinheiro gasto na produção e acabou sendo um dos motivos que quase levaram o estúdio à falência.

E por falar em passado: 10 cidades perdidas que ressurgiram do passado.

Fonte: Aventuras na História,

Continua após a publicidade

Outras postagens

2 comentários em “Cleópatra: segredos e história da última rainha do Egito