Ciência & Tecnologia

Sinais de ansiedade – Causa, como evitar e tratamento dos sintomas

Qualquer pessoa pode apresentar sinais de ansiedade, no entanto, quando os sintomas se tornam excessivos e recorrentes, se trata de uma doença chamada de transtorno de ansiedade.

A ansiedade é uma reação emocional que pode ter origem em vários distúrbios, por exemplo, nervosismo, medo, apreensão, preocupação, fobias, etc. Ademais, é normal experimentar episódios de ansiedade em determinadas situações do dia a dia como, falar em público, consultas médicas, véspera de provas ou algum acontecimento importante.

No entanto, quando a ansiedade se torna frequente e intensa, pode indicar uma patologia, o que pode prejudicar a saúde mental e a rotina do indivíduo. Por isso, é importante saber reconhecer os sinais de ansiedade e quando começa a prejudicar, nesse caso é preciso procurar orientação médica.

A princípio, quando a ansiedade se torna excessiva, ela se torna uma doença chamada de Transtorno de Ansiedade Generalizada (TAG). Onde o indivíduo sente preocupação e medo extremos em situações simples do dia a dia. Ademais, a ansiedade pode desencadear sintomas tanto físicos quanto emocionais. Por exemplo, suor frio, taquicardia, insônia, medo constante, dor no peito, falta de ar, etc.

Porém, não podemos confundir ansiedade com medo. Pois, o medo é uma resposta emocional diante uma ameaça, seja percebida, eminente, real ou não. Já o ataque de pânico se trata de uma resposta ao medo extremo, resultado do transtorno de ansiedade.

Continua após a publicidade

Sinais de ansiedade

Imagem: Blog Dr. Consulta

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), no Brasil 9,3% da população sofre com transtornos de ansiedade, fobias, ansiedade social e pânico. Sendo que as mulheres são mais afetadas com esses distúrbios psicológicos do que os homens.

Os primeiros sinais de ansiedade são sintomas físicos e emocionais que se manifestam no corpo. Isso acontece devido à liberação de substâncias no organismo como, a noradrenalina e o cortisol. Que são hormônios responsáveis em preparar o organismo a reagir em situações específicas. Consequentemente, a atenção é ativada, há um aumento da pressão sanguínea e dos batimentos cardíacos.

Então, o indivíduo começa a hiperventilar (respirar mais rápido e forte) emitindo sinais equivocados para o cérebro, que confunde com situação de perigo. Como resultado, desencadeia outros sintomas que podem ser confundidos como infarto, mas são apenas sinais de ansiedade, por exemplo:

Sintomas psicológicos:

Continua após a publicidade
  • Tensão muscular ou nervosismo
  • Apreensão
  • Medo constante
  • Angústia
  • Inquietação ou descontrole
  • Insônia
  • Dificuldade de concentração
  • Não consegue relaxar
  • Esgotamento
  • Preocupações com problemas futuros
  • Pensamentos catastróficos e pessimistas, enxergando perigo em tudo
  • Irritabilidade
  • Medo de falar em público
  • Perfeccionismo

Já os Sintomas físicos são:

  • Suor excessivo ou sensação de frio, principalmente nas mãos e nos pés
  • Fadiga ou sensação de fraqueza
  • Falta de ar ou Hiperventilação
  • Secura na boca
  • Formigamento nos membros do corpo
  • Náusea ou vômito
  • Desconforto no estômago
  • Ondas de calor
  • Calafrios
  • Tremores
  • Tensão muscular
  • Dor ou aperto no peito
  • Taquicardia (coração acelerado)
  • Sensação de desmaio
  • Tonturas ou vertigem
  • Problemas gastrointestinais
  • Cansaço
  • Dificuldade para engolir

Tipos de sinais de ansiedade

Os sinais de ansiedade podem aparecer em alguns tipos de distúrbios, tais como:

1- Ansiedade Generalizada

Imagem: Super Abril

Conhecida como transtorno de ansiedade (TAG), causando preocupação demasiada sobre assuntos ou eventos corriqueiros. Ademais, os sintomas são dores musculares, cefaleias, problemas gastrointestinais, entre outros.

2- Fobia social

Imagem: Info Escola

Consiste em um medo ou ansiedade paralisante quando o indivíduo precisa fazer algo em público como apresentar trabalho, por exemplo. Também conhecida como timidez patológica.

Continua após a publicidade

3- Fobias específicas

Imagem: Sbie

Consiste no medo irracional ou exagerado sobre determinada situação, lugares, objeto, seres ou personagens. Por exemplo, medo de avião, aranha, multidão, agulhas, palhaços, etc.

4- Pânico

Imagem: Boa Consulta

O pânico consiste na variação entre períodos de normalidade e períodos de crise, onde o indivíduo sente medo excessivo ou ansiedade paralisante, mesmo sem nenhum motivo aparente.  Ou seja, a pessoa sente como se fosse morrer ou enlouquecer. Cujos sintomas são, taquicardia, falta de ar, formigamento e sensação de desmaio.

5- Agorafobia

Imagem: Orienteme

Consiste no medo de aglomerações ou de locais e situações que seriam difíceis de conseguir socorro. Por exemplo, elevadores, show lotado, túneis, etc. Cujos sintomas são semelhantes a um ataque de pânico.

6- Transtorno obsessivo compulsivo (TOC)

Imagem: INPA

É uma doença onde o indivíduo é ansioso, tem pensamentos intrusivos e realiza rituais para amenizá-los. E caso não os faça, sente como se algo ruim fosse acontecer. Por exemplo, rituais de limpeza, organização, verificação, repetir palavras, etc.

Continua após a publicidade

7- Transtorno de estresse pós-traumático

Imagem: Portal de Notícias

Acontece após uma experiência traumática onde a vida do indivíduo foi ameaçada. Por exemplo, assalto, sequestro, acidente, etc. Portanto, após algum desses eventos, a pessoa desenvolve sinais de ansiedade, além de sentimentos de angústia e sintomas físicos.

8- Ansiedade Noturna

Imagem: Vix

Distúrbio emocional que ocorre durante a noite, geralmente relacionado à privação de sono. Como consequência afeta a qualidade de vida do indivíduo.

O que causa os sinais de ansiedade

Imagem: Portal Saúde

Não há estudos que comprovem as causas exatas da ansiedade, e nem o porquê algumas pessoas são mais propensas a desenvolver sinais de ansiedade do que outras. Porém, alguns fatores podem ser responsáveis, tais como:

  • Genética – pessoas com histórico de casos na família de transtornos de ansiedade.
  • Ambiente – eventos e situações traumáticas ou estressantes
  • Mentalidade ou modelo de pensamento – maneira como o indivíduo conduz seus pensamentos ou o comportamento no dia a dia.
  • Doenças físicas – algumas doenças também podem desencadear sinais de ansiedade como, problemas cardiovasculares, doenças hormonais, problemas respiratórios, tumores cerebrais, concussões, infecções por bactérias e dores crônicas.
  • Uso de drogas, álcool ou medicações como os benzodiazepínicos.

Entretanto, os sinais de ansiedade podem ser detectados em pessoas com predisposição biológica ou através da exposição a fatores que desencadeiam ansiedade e estresse. Portanto, caso uma pessoa venha de uma família de ansiosos, ela terá uma maior chance de desenvolver transtornos de ansiedade.

Continua após a publicidade

Assim como as pessoas expostas a traumas, abusos, perdas, dificuldades econômicas, também estão propensos a desenvolver sinais de ansiedade.

No entanto, apenas o médico pode identificar se os sinais de ansiedade são provenientes de causas físicas ou emocionais.

É possível controlar quando os sinais de ansiedade aparecem?

Imagem: Veja

A partir do momento que você descobre quais são os gatilhos emocionais que desencadeiam os sinais da ansiedade, fica mais fácil controlar os sintomas. Porém, é através da psicoterapia que o indivíduo aprende a usar as ferramentas adequadas para lidar com as crises de ansiedade.

No entanto, os gatilhos emocionais podem ser identificados por conta própria ou com a ajuda de um terapeuta. E podem ser cafeína em excesso, álcool, cigarro, ou por problemas de longo prazo como, problemas financeiros ou relacionados ao trabalho, relacionamentos, entre outros.

Continua após a publicidade

Então, após serem identificados, os gatilhos emocionais podem ser trabalhados com a ajuda de um psicólogo, que poderá ajudar o indivíduo a enfrentar os sinais de ansiedade. Consequentemente, aprenderá a controlar e lidar com as situações estressantes do dia a dia. Ademais, o indivíduo em conjunto com um psicólogo de sua confiança poderá trabalhar juntos para mudar os padrões de pensamentos e comportamento que causam as crises de ansiedade.

Uma pessoa com transtornos de ansiedade pode desenvolver depressão. Isso acontece devido aos constantes pensamentos negativos que a pessoa ansiosa tem. Ademais, pode servir como gatilho para desenvolver a doença.

Outra explicação é que, pessoas com sinais de ansiedade tendem a se isolar ou viver de forma mais restrita. Então, o ansioso pode ficar cada vez mais deprimido, consequentemente, com depressão.

Em suma, a ansiedade e a depressão estão ligadas a uma disfunção dos neurotransmissores monoaminas, onde a serotonina faz parte.

Continua após a publicidade

Diagnóstico e tratamento

Imagem: Psicólogo e Terapia

O diagnóstico da ansiedade é feito por um psicólogo após a análise dos sintomas do paciente. Apesar de não ter exames que comprovem os sinais de ansiedade, ao identificar os sintomas físicos, o médico pode realizar exames para descartar outras doenças. Inclusive, alguns medicamentos podem provocar ansiedade.

No entanto, caso a ansiedade excessiva esteja relacionada a alguma doença física, o tratamento adequado ajudará a aliviar os sintomas. Porém, caso os sinais de ansiedade sejam de origem emocionais os tratamentos envolvem diversas abordagens, por exemplo:

  • Psicoterapia: com a ajuda do psicólogo o paciente começa a entender os fatores que desencadeiam os sinais de ansiedade e trabalham juntos para resolver o problema.
  • Psicanálise freudiana: baseado nos pensamentos de Freud, o tratamento consiste em focar no inconsciente e trazer os problemas para o consciente.
  • Junguiana: trabalha o que está reprimido no inconsciente através de símbolos, imagens e sonhos, analisando e buscando encontrar a raiz dos problemas que causam a ansiedade.
  • Lacaniana: é uma abordagem mais livre através da associação das palavras.
  • Gestalt: é uma abordagem holística, pois analisa todas as situações como um todo. Ou seja, analisa o paciente e tudo o que o envolve, mas de forma que o paciente se distancie e enxergue o problema sob uma nova perspectiva.
  • Terapia cognitivo-comportamental: mais conhecida como TCC, é a mais eficiente das abordagens, pois trabalha com atuação focal e direta no problema de forma específica.

Entretanto, em alguns casos são necessários o uso de medicamentos para aliviar os sintomas, tais como:

  • Antidepressivos
  • Ansiolíticos
  • Antipsicóticos

Ansiedade tem cura?

Imagem: Grupo Recanto

A cura dos sinais de ansiedade pode variar de pessoa para pessoa, geralmente os resultados aparecem após poucas semanas de tratamento. Então, com a melhora logo retornam com suas atividades e rotinas diárias.

Continua após a publicidade

Por isso, é muito importante um diagnóstico precoce e preciso. Pois, com o tratamento indicado pelo médico, os resultados em longo prazo são os melhores possíveis, favorecendo uma vida mais saudável.

Mas, caso o indivíduo não procure por tratamento, os transtornos de ansiedade tendem a piorar, consequentemente, causando sérios problemas de saúde, por exemplo:

  • Dificuldades de memória – causado pela liberação excessiva de adrenalina e cortisol no organismo.
  • Hipertensão – da mesma forma, é causada devido ao excesso de adrenalina, que ao aumento da frequência cardíaca.
  • Diabetes
  • Gastrite nervosa – os sinais de ansiedade causa o aumento da liberação do suco gástrico, o que pode trazer sintomas semelhantes à gastrite.
  • Dores no corpo – devido a constante tensão nos músculos

Ademais, quando não são tratados, os transtornos de ansiedade podem provocar outros problemas de saúde, tais como:

  • Depressão
  • Uso inadequado de substâncias
  • Insônia e outros distúrbios do sono
  • Problemas digestivos
  • Isolamento social
  • Problemas de rendimento nos estudos e trabalho, além de afetar a vida pessoal
  • Em casos extremos pode levar o ansioso ao suicídio

Dicas para ajudar a evitar e a combater os sinais de ansiedade

Além de seguir os tratamentos indicados pelo psicólogo, também há alguns cuidados que o indivíduo pode tomar para evitar ou aliviar os sintomas dos transtornos de ansiedade. Segue alguns exemplos:

Continua após a publicidade

1- Faça exercícios físicos para controlar os sinais de ansiedade

Imagem: Método Supera

A prática de fazer exercícios físicos diariamente proporciona diversos benefícios para a saúde e a sensação de prazer. Por isso, reserve um tempo e faça qualquer tipo de atividade física, por exemplo, caminhada, corrida, natação, ioga, dança, musculação, etc.

Por isso, ao realizar atividade física regularmente, você estará fortalecendo seu sistema imunológico, o que ajuda na prevenção de doenças e obesidade. Além de proporcionar maior disposição para realizar as tarefas diárias, aumentar a produtividade, diminui a insônia, melhora a saúde mental e previne a depressão.

Da mesma forma, outro exemplo muito eficaz é a prática da meditação e respiração, que contribuem para aumentar a região do córtex pré-frontal esquerdo, região responsável pelo sentimento de felicidade.

Por fim, a atividade física faz com que o organismo libere a endorfina, o que ajuda a regular o sono, proporciona bem-estar e diminui o estresse e os sinais de ansiedade.

Continua após a publicidade

2- Ouça música

Imagem: Exame

A música é uma boa opção para fazer você relaxar, extravasar, se expressar, dançar, celebrar, descansar e entrar em contato com o seu interior. Portanto, uma maneira terapêutica muito fácil de fazer, além de muito prazerosa que vai ajudar a controlar os sinais de ansiedade.

3- Manter uma alimentação saudável

Imagem: Gazeta de Barão

Não há nada mais eficaz para evitar os sinais de ansiedade, do que manter o cérebro saudável. Dessa forma, uma alimentação saudável pode proporcionar as vitaminas necessárias para a formação dos neurotransmissores que estimulam o bom humor. Além de fornecer energia para proteger e manter o bom funcionamento das células cerebrais.

Por isso, procure consumir alimentos que reduzam os sinais de ansiedade, por exemplo, frutas cítricas, leite e derivados, ovos, carboidratos, banana, carne, peixes, espinafre e chocolate. No entanto, os alimentos devem ser consumidos de forma balanceada e sem exageros.

Ademais, outras dicas muito úteis são:

Continua após a publicidade
  • Procure manter pensamentos positivos
  • Tome um chá
  • Mantenha foco de atenção no agora
  • Seja mais organizado
  • Esteja com quem você ama
  • Separe um tempo para você mesmo
  • Procure sorrir mais
  • Confie mais em si mesmo
  • Desenvolva congruência
  • Fortaleça o autoconhecimento
  • Tente relaxar antes de dormir

Por fim, quando o indivíduo estiver em meio a uma crise de ansiedade, não tente lutar contra o pânico, pois ele é uma resposta automática do cérebro diante a situação. No entanto, algumas técnicas podem ajudar como, meditação, controle da respiração e relaxamento, por exemplo. Ademais, distrações como música suave, palavras que acalmam, massagem. No entanto, caso a crise persista ou os sintomas se agravem, procure um especialista, que indicará a melhor maneira de lidar com os sinais de ansiedade.

Então, se você gostou dessa matéria, também vai gostar dessa: Remédios naturais para ansiedade que você pode usar sem prescrição. 

Fontes: Vittude, Minha Vida, Uol

Imagens: Boa Consulta, Blog Dr. Consulta, Super Abril, Info Escola, Sbie, Orienteme, IMPA, Portal de Notícias, Vix, Portal Saúde, Veja, Psicólogo e Terapia, Grupo Recanto, Método Supera, Exame, Gazeta do Barão

Continua após a publicidade
Próxima página »

Escolhidas para você