Ciência & Tecnologia

O que é cobreiro? Causas, sintomas, vacina e como tratar

O Herpes zóster, conhecido popularmente como cobreiro causa dor e irritação na pele e não tem cura. Mas há tratamentos que ajudam a aliviar os sintomas.

Herpes zóster, popularmente conhecido como cobreiro, se trata de uma doença que ocorre na pele de pessoas que já sofreram com a catapora. Ou seja, é uma infecção viral proveniente da Varicela-zoster, o mesmo vírus da catapora.

Logo, o vírus da catapora se mantém alojado na coluna espinhal, permanecendo inativo ou em estado latente, reativando no organismo das pessoas após elas passarem dos 50 anos de idade. Por outro lado, na grande parte dos casos, a doença se manifesta apenas uma única vez e some após algumas semanas.

Essa doença surge comumente em locais como as costas e o tórax, mas podendo também afetar outras partes, como os membros e a região genital. Para conhecer melhor essa doença, preparamos uma lista sobre causas, sintomas e tratamentos, confiram:

O que é cobreiro

Imagem: Blog Saúde

Trata-se de uma infecção viral causada pelo vírus Varicela-zoster, que é o mesmo que causa a catapora. Da mesma forma que a catapora causa bolhas no corpo, o cobreiro também, entretanto, as bolhas se concentram apenas em um local específico e causam dor intensa. As bolhas podem aparecer em diversas regiões do corpo, sendo mais comum no rosto e no tronco.

A doença é comum em afetar idosos, indivíduos imunocomprometidos, pessoas transplantadas e pacientes que realizam quimioterapia para o tratamento do câncer, que já possuem o vírus Varicela-zoster no organismo.

O Herpes zóster é causado pela reativação do vírus da catapora. Em suma, o vírus se encontra inativo em um gânglio da medula espinhal e em algum momento é reativado.

Continua após a publicidade

Causas

Imagem: Rocha Lima

Não existe uma forma de contagio para o cobreiro, pois ele é causado exclusivamente nas pessoas que já tiveram catapora anteriormente. Portanto, para ter Herpes Zóster, é necessário já ter tido uma crise de catapora, que normalmente surge na infância e o vírus se mantém adormecido no organismo.

Entretanto, esse vírus adormecido só volta a ser ativado, principalmente, quando o sistema imune da pessoa se enfraquece, e assim, desenvolvendo o cobreiro, já que é quase impossível pegar catapora mais de uma vez.

No cobreiro, as bolhas na pele ficam apenas em uma parte do corpo, diferentemente da catapora, onde as bolhas ficam por todo o corpo. O vírus adormece em um único nervo do corpo, e por isso as bolhas se concentram em uma única parte do corpo.

A doença também pode surgir em crianças e bebês que já tiveram contato com a catapora, entretanto, esses casos são mais raros de acontecer. Além disso, também é raro a doença se espalhar por mais de uma parte ao longo do corpo.

Sintomas

Imagem: Catraca Livre

Existem diversos sintomas do cobreiro. Um dos principais sintomas é o aparecimento de pequenas bolhas pela pele, que podem durar em média 10 dias. Ademais, essas bolhas estão cheias do líquido que contém o vírus varicela zóster. Os outros sintomas comuns são:

  • Coceira
  • Vermelhidão e inchaço na pele
  • Formigamento ou dor na pele
  • Dor de cabeça
  • Distúrbios gastrointestinais
  • Dor nevrálgica muito forte
  • Febre
  • Sensação de mal-estar
  • Dores muito fortes no caminho do nervo

O cobreiro pode ter algumas complicações em pacientes com mais de 60 anos, ou naqueles que apresentam o sistema imunológico frágil. Dependendo do local afetado, pode-se acarretar:

Continua após a publicidade
  • Pneumonia
  • Cegueira
  • Problemas de audição
  • Inflamação no cérebro
  • Inflamação na córnea
  • Em casos mais raros, pode causar a morte

Vacina

Imagem: UOL

A partir de 2014 foi liberada uma vacina de dose única contra o herpes-zóster, feita com o vírus atenuado. A vacina Zostavax possui aprovação pela ANVISA e é aplicada em indivíduos com mais de 50 anos, por possuírem maior risco de desenvolver a doença. Entretanto, essa vacina não é liberada no SUS, apenas em redes particulares.

Em síntese, além de reduzir a possibilidade de o vírus reativar, a vacina também previne a incidência da nevralgia pós-herpética e outras complicações.

Porém a vacina não é recomendada para as pessoas que fazem parte do grupo de mulheres grávidas, pessoa com sistema imunológico frágil e quem toma corticoides. Ademais, estudos recentes mostram que a vacina é eficaz na população acima de 50 anos e reduz em até 70% o risco de contrair a doença.

Tratamento do Cobreiro

Imagem: DCI

Não existe uma cura para a doença, entretanto existem formas de reduzir o período de duração da doença, prevenindo as possíveis complicações causadas pela mesma.

O recomendado é entrar em contato com um médico ou especialista que possa te examinar, e assim seguir à risca as orientações do seu médico, sem se automedicar.

Dessa forma, alguns tipos de tratamentos indicados pelos médicos são: O uso de medicamentos antivirais, de medicamentos analgésicos, banhos frios e realizar compressas na região das lesões.

Continua após a publicidade

Acima de tudo, é essencial se manter atento à evolução da doença, se ela está melhorando ou piorando, assim, evitando futuras complicações.

Entretanto, na maioria dos casos o cobreiro evolui para uma cura espontânea, mas caso as dores persistam após sumirem as bolhas, procure a orientação de um médico.

Então, se você gostou dessa matéria, veja também: O que o coronavírus faz- Como o vírus funciona em nosso corpo.

Fontes: Herpes pardini, Tua Saúde, Dr. Drauzio Varella, CMNG

Imagens: Vix, Blog Saúde, Rocha Lima, UOL, DCI, Catraca livre

Continua após a publicidade
Próxima página »

Escolhidas para você