Tudo que você precisa saber sobre a vacina da gripe H1N1

Mais uma vez a Influenza A, também chamada H1N1, está assustando os brasileiros. Segundo o Ministério da Saúde, já foram registrados mais de 400 casos de infecção em todo o Brasil, sendo registradas mais de 70 mortes. Desses óbitos, aliás, 55 foram somente no Estado de São Paulo.

Como você pode notar, o assunto é sério. Aqui, no Segredos do Mundo, já falamos um pouco sobre a gripe H1N1 e como evitá-la (clique para relembrar). Hoje, vamos falar um pouco sobre a vacina da gripe H1N1, um dos assuntos mais comentados nos últimos dias.

Você, por exemplo, sabe quem pode e quem não pode receber a imunização? Sabe quem faz parte do grupo prioritário? Você tem ideia de quantos dias a vacina começa a agir no organismo?

As respostas para todas essas perguntas e muitas para muitas outras, também relevantes, você confere na seleção de informações que fizemos abaixo. Todas elas foram respondidas com informações fornecidas no site do Ministério da Saúde e foram uma explicação geral de tudo o que a gente precisa saber sobre a vacina da gripe H1N1.

Agora, se você ainda não se vacinou e começou a identificar os sintomas de uma gripe muito forte, melhor ir ao médico. Mesmo podendo ser um vírus mais ameno da gripe, você não deve facilitar com um vírus tão agressivo.

O que você precisa saber sobre a vacina da gripe H1N1:

1. Quais são os tipos de vacina para a gripe?

A vacina contra a gripe imuniza os vírus Influenza A e previne contra a cepa H1N1 e Influenza B. Mas, pode haver variações dentro dessa característica em comum.

2. Como a vacina da gripe H1N1 é feita?

A vacina contra a gripe, de forma geral, é feita sob o comando da OMS, que convoca duas consultas técnicas ao ano (uma em fevereiro e uma em setembro) para recomendação das amostras das vacinas contra a influenza sazonal dos hemisférios norte e sul.

Para isso, uma amostra vacinal é selecionada, ou seja, um vírus influenza que o Centro de Controle de Doenças (CDC) ou outros colaboradores da OMS selecionam e preparam para o uso na produção das vacinas.

Essas amostras, claro, são escolhidas com base na similaridade com o vírus influenza que está em alta naquele período do ano. Elas também são escolhidas com base na habilidade que desenvolve de se multiplicar em ovos de galinha, onde os vírus das vacinas são cultivados.

3. Por que a vacina da gripe muda todo ano?

Os vírus estão sempre em mutação e, por isso, é preciso se vacinar todos os anos contra a influenza e suas inúmeras variações.

4. Quais vacinas existem contra a gripe?

Existem duas vacinas disponíveis:

. Trivalente: protege contra os vírus da influenza A, tanto o H1N1 quanto o H3N2; além da influenza B do subtipo Brisbane.
. Tetra ou quadrivalente: protege contra a influenza A, dos tipos H1N1 e H3N2; e contra os vírus da influeza B Brisbane e Phuket.

5. Quem deve se vacina?

A vacina da gripe H1N1 e dos demais tipos de gripe são indicadas para todas as pessoas, com exceção aos bebês com menos de 6 meses de vida. Alguns tipos de fabricantes, no entanto, só liberam a tetravalente para crianças a partir de 3 anos de idade.

A vacina trivalente, por outro lado, é recomendada à todos. No caso das crianças, ela pode ser administrada acima dos 6 meses. E, até um ano de idade, a dosegem infantil sobe para duas, com um intervalo de 1 mês entre elas.

6. Qual das vacinas é oferecida pelo SUS?

A vacina disponível na rede pública de saúde é a trivalente.

7. Qual vacina é possível encontrar na rede privada?

Nas clínicas particulares é com encontrar os dois tipos de vacina contra a gripe, a trivalente e a tetravalente.

8. Quanto custa a vacina contra a gripe H1N1 na rede privada?

Atualmente, a vacina está em torno de R$ 120, mas existem denúncias junto ao Procon de reajustes de alguns hospitais e clínicas particulares, que chegam até a R$ 215. Ano passado, o preço médio da vacina era R$ 45.

9. Quanto leva para a vacina fazer efeito?

A vacina começa a agir no organismo dentro em 2 ou 3 semanas.

10. Quem tem prioridade na vacinação gratuíta?

Crianças de 6 meses a menores de 5 anos;

– Gestantes;

-Trabalhador de saúde;

-Povos indígenas;

-Indivíduos com 60 anos ou mais de idade;

-População privada de liberdade;

-Funcionários do sistema prisional;

-Pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis;

-Pessoas portadoras de outras condições clínicas especiais (doença respiratória crônica, doença cardíaca crônica, doença renal crônica, doença hepática crônica, doença neurológica crônica, diabetes, imunossupressão, obesos, transplantados e portadores de trissomias).

11. Qual o calendário da vacinação na rede pública?

As vacinas na rede pública, para as pessoas que têm prioridade, vão de 23 de abril a 20 de maio. Em alguns Estados, as datas podem ser alteradas.

12. A vacina tem contraindicações?

Conforme o Portal da Saúde, quem tem alergia comprovada e importante ao ovo não deve receber a vacina contra gripe. Ela também é contrindicada a quem tem imunodepressão natural ou medicamentosa, que deve receber orientações específicas de um médico para ser imunizado.

E você, já se vacinou ou pretende se vacinar contra a gripe H1N1?

Agora, falando em gripe, se você não acha que essa seja um doença muito relevante, deveria conferir essa outra matéria a seguir: 17 fatos assustadores sobre a gripe que você deveria conhecer.

Fonte: Curta Mais