História

Yom Kipur – História e significado por trás do dia do perdão

Sabe o que é o Yom Kippur? Conheça aqui a história e o significado por trás do dia do perdão, uma data muito importante para os judeus

O Yom Kipur é o Dia da Expiação para a religião judaica. A expiação é sinônimo de penitência e castigo. Então, são os  sacríficos feitos, com a pretensão de ter o perdão dos pecados.

O Torá, texto sagrado do judaísmo, o explica com a seguinte passagem: “No décimo dia do sétimo mês, afligirás tua alma e não trabalharás, pois, neste dia, a expiação será feita para te purificar; perante a Deus serás purificado de todos teus pecados”.

Então, o Yom Kipur é o dia mais sagrado do ano para os judeus. Aliás, é o dia em que as pessoas estão mais próximas de sua espiritualidade. É, aliás, descrito no Torá: “Pois, neste dia, Ele te perdoará, te purificará, para que sejas purificado de todos os teus pecados perante D’us” (Levítico 16:30).

D’us, em resumo, é uma forma dos judeus se referirem a Deus, em respeito ao terceiro mandamento recebido por Moisés: “Não tomarás o nome do Senhor teu Deus em vão”.

Continua após a publicidade

Conheça mais sobre esse dia que, sem dúvida, é tão sagrado para o judaísmo no mundo todo.

Significado de Yom Kipur

É descrito na religião judaica: “Após o pecado do bezerro de ouro, Moshê (Moisés) rezou e, no dia dez do mês de Tishrei, D’us concedeu pleno perdão ao povo judeu”.

Ou seja, este período em que Moisés ficou rezando é chamado de Yom Kipur. A natureza da cerimônia é descrita por Rambam (rabino que viveu no século XII) como o “dia do arrependimento” e o “tempo do perdão para Israel”. Por isso, todos são obrigados a se arrepender e a confessar os erros em Yom Kipur.

Continua após a publicidade

A cerimônia tem início um pouco antes do pôr do sol, no dia 9 de Tishrei, ou no sétimo mês do ano religioso judaico. Ela segue, então, até o cair da noite em 10 de Tishrei.

Assim, durante quase 26 horas, os fiéis deixam de comer, beber, usar calçados de couro, lavar o corpo, passar cremes ou desodorantes, usar eletrodomésticos e manter relações sexuais. Dessa maneira, todo o tempo é voltado para o pensamento em D’us.

Para os judeus, o Yom Kipur garante uma expiação maior perante a Deus do que o arrependimento, também chamado de Teshuvá. Aliás, segundo o judaísmo, “neste dia, os judeus e Deus são apenas um. O judeu une-se com Deus para revelar um vínculo intocável pelo pecado, sem obstáculos.”

Teshuvá, no hebraico quer dizer “retorno”. Em suma, é arrepender-se dos pecados profundamente e sinceramente. Entretanto, essa prática não deve ser feita somente no Yom Kipur. Na verdade, o bom judeu, segundo a própria religião, deve refletir sobre seus atos diariamente.

Continua após a publicidade

Como obter o perdão?

Yom Kipur - História e significado por trás do dia do perdão
JW.ORG

Não basta você participar do Yom Kipur para ter o perdão dos pecados. Primeiramente, é preciso que tenha o arrependimento e, segundo os rabinos, só assim você consegue obter a expiação e sua alma ser purificada.

Contudo, este estado de graça só é alcançado se a pessoa sentir arrependimento de tudo que causou, assim como os prazeres que também teve com aquele pecado. Não é no Yom Kipur que o pecado é visualizado, e sim no processo de Teshuvá diário que a pessoa consegue visualizar o pecado.

Quando pecam, há um distanciamento no vínculo dos judeus com o criador. Eles são:

  • O cumprimento das Mitsvá (qualquer ato de boa ação) faz com que o judeu estabeleça um vínculo entre ele próprio e D’us.
  • O segundo nível advém de uma conexão mais profunda com o criador. Esta conexão, portanto, permanece mesmo que o fiel descumpra com as Mitzvá pecando. Assim, prejudicando apenas o primeiro vínculo, que pode se reestruturar através da Teshuvá.
  • O terceiro nível une a essência do judeu com a essência do criador. Este vínculo não pode ser produzido pelo homem, mesmo com a Teshuvá. Isso porque se trata de um vínculo inerente à alma judaica, que é “uma parte do D’us acima”, segundo o Torá. Neste nível, D’us e o fiel são, na totalidade, um só. O terceiro nível, aliás, transcende todos os limites e não pode ser afetado por nenhuma ação do homem. Pecados e desonras não podem interferir neste nível, que só é atingido no Yom Kipur.

Judeu e D’us

No Yom Kipur, as manchas na alma do judeu são removidas devido ao vínculo entre sua própria essência e a essência do Criador.

Continua após a publicidade

Portanto, todos os judeus são convidados a participarem do Yom Kipur e conseguirem estabelecer esse vínculo com D’us. Há aqueles que realizam essa expiação em outras épocas, no entanto, digamos não ter a “efetividade” do Yom Kipur, que consegue limpar todas as manchas dos judeus.

Aliás, o povo de Israel, na antiguidade, tinha um líder religioso que representava, por sinal, todo o judaísmo. A ele, era atribuído o nome de Cohen Gadol. No Torá, está descrito sobre o serviço de Yom Kipur do Cohen Gradol: “Nenhum homem deve estar no Ohel Moed quando ele entra para fazer expiação”.

Ohel Moed, por sua vez, significa tenda de encontro e o momento que o eterno visita o homem. A descrição no Torá quer dizer que ninguém, nem mesmo os anjos, podem entrar no Ohel Moed no Yom Kipur. Lá está apenas o judeu e D’us.

Dia de Yom Kipur

Yom Kipur - História e significado por trás do dia do perdão
Representação de um templo sagrado judeu – Chabad

Para os judeus,  Yom Kipur não é uma data fácil. Afinal, realmente é muito difícil arrepender e também saber pedir perdão. Os judeus precisam estar preparados para essa decisão, que muitos classificam como a vida e a morte.

Continua após a publicidade

Sendo assim, os judeus realizam, neste dia, um jejum total. Este, é quebrado durante a cerimônia que mencionamos antes. Mas, não pense você que todos os judeus podem participar do Yom Kipur. Afinal, é preciso ter mais de 12 anos (mulheres) e 13 anos (homens), apesar de que as crianças não têm sobremesa neste período.

Celebração

A celebração de Yom Kipur é muito bonita e realizada em diferentes etapas. Vamos falar um pouco deles abaixo.

  • Kól Nidrê é uma prece cantada, na qual os judeus mostram seu arrependimento pelas promessas não cumpridas durante o ano.
  • Benção das crianças.
  • Benção dos sacerdotes.
  • Al-Chêt é a confissão dos pecados.
  • Ne’ilah última oração para encerrar a cerimônia.
  • Havdalá – celebra o sábado e a santidade.
  • Momento para alegrar, comer e beber.

Vestimenta

Yom Kipur - História e significado por trás do dia do perdão
Diário Contrapeso

As mulheres vestem roupas brancas tradicionais, já os homens precisar estar com o robe branco (kitel) e o manto de oração (talit).

Não há templo

Continua após a publicidade

Há muito tempo, antes de 70 d.c, os judeus utilizavam do templo de Jerusalém para realizar sacrifícios. Mas hoje para o Yom Kipur não é preciso de templo. As ações de arrependimento é que fazem o Dia do Perdão.

E aí, curtiu a matéria? Então, confira a próxima: Páscoa Judaica, o que é, características e mitos sobre a data comemorativa.

Fontes: Brasil Escola; Chabad¹; Chabad²; Gospel Prime.

Imagens: Jornal da Record, JW.ORG, Chabad, Diário Contrapeso

Continua após a publicidade
Próxima página »

Escolhidas para você