6 alimentos que reduzem o risco de infarto consideravelmente

Uma parte considerável de nosso estado de saúde, como todo mundo sabe, é um resultado direto de nossa alimentação. É o que mandamos para dentro, na hora das refeições que vão determinar, por exemplo, como ficará nosso imunidade, alergias, percentual de gordura e até mesmo se temos mais ou menos risco de infarto. Sabia disso?

De acordo com especialistas, embora uma série de fatores estejam envolvidos quando alguém infarta, como o não reconhecimento dos sinais prévios que o problema dá (como você já viu nessa outra matéria aqui), a escolha dos alimentos pode interferir consideravelmente no risco de infarto.

Como você vai ver abaixo, existem alguns alimentos comuns e simples de se encontrar nos supermercados que podem ajudar a manter você afastado do infarto e de outras doenças cardiovasculares.

Isso porque, além de serem muito saudáveis, eles promovem uma verdadeira limpeza nas artérias e proporcionam equilíbrio aos níveis de colesterol.

Quer saber quais são esses alimentos “milagrosos”? Então confira a lista abaixo até o final e se prepare para incluir essas novas dicas em sua alimentação diária.

Confira alguns alimentos que reduzem o risco de infarto:

1. Abacate

O consumo diário de abacate melhora os níveis de colesterol no sangue, baixando o LDL, o considerado ruim; e aumentando o HDL, considerado o bom colesterol, por manter as artérias livres de obstruções.

2. Romã

Rica em fitoquímicos, essa fruta é uma verdadeira fonte de oxidantes que protegem as artérias de vários tipos de danos.

3. Brócolis

O brócolis afasta o risco de infarto se consumido com frequência por ser rico em vitamina K. Para quem não sabe, esse nutriente impede que o cálcio (também necessário para o organismo) se acumule e cause danos às artérias. Ele também é rico em fibras e ajuda a equilibrar a pressão arterial e os níveis de colesterol.

4. Cúrcuma

Também chamado de açafrão-da-terra, a cúrcuma é um ótimo anti-inflamatório para todo o organismo, inclusive para as artérias. Esse tempero também reduz as chances de coágulos no sangue.

5. Berinjela

Ela limpa, naturalmente, as artérias e ajuda a manter a pressão arterial controlada, além de prevenir coágulos no sangue, causa de inúmeras doenças cardíacas. Isso tudo por ser rica em fibras, vitaminas e minerais.

6. Caqui

Além de deliciosa, a fruta é cheia de antioxidantes e polifenois. Ambos trabalham na redução do LDL (colesterol nocivo à saúde) e os triglicérides. Por ser uma ótima fonte de fibras, o caqui também ajuda a regular a pressão sanguínea e a manter as artérias limpas.

7. Espirulina

Essa alga regula os níveis de lipídeos no sangue e é também um ótima fonte de proteína. Por contém os aminoácidos essenciais ao corpo, ela também ajuda a melhorar a saúde em vários outros aspectos, relaxando as paredes das artérias, estabilizando a pressão arterial e equilibrando os níveis de gordura no sangue.

8. Canela

Além de dar um sabor especial aos alimentos, a canela reduz os níveis de colesterol, elimina as placas no interior das artérias e melhora a saúde cardiovascular com seus antioxidantes. São eles também que impedem os processos de oxidação no sangue.

Mas, se você tiver a pressão alta, cuidado: a canela pode aumentar a pressão sanguínea.

9. Cacau

O cacau em pó e o próprio chocolate amargo (rico em cacau), são ótimas fontes de antioxidantes e, por isso, reduzem o colesterol ruim, aumentam os níveis de colesterol bom, e reduzem consideravelmente o risco de doenças cardíacas.

10. Chá verde

Além de ajudar a combater a retenção de líquido e de acelerar o metabolismo, o chá verde dificulta a absorção do colesterol por ser fonte de catequinas. Por causa disso, o consumo diário de apenas dois copos já é o suficiente para melhorar os níveis de lipídeos no sangue, reduzir a obstrução das artérias e melhorar, de forma geral, a saúde cardiovascular.

E então, você sabia que todos esses alimentos poderiam ajudar a reduzir o risco de infarto? Quantos desses já fazem parte do seu cardápio diário? Não deixe de comentar.

Agora, falando em doenças do coração, você precisa conferir ainda: Como sobreviver a um ataque cardíaco se você estiver sozinho.

Fonte: Mais vistas