8 curiosidades sobre psicopatas que você não sabe

A psicopatia, com certeza, é um dos mistérios que ainda rondam a humanidade, embora a ciência tente explicá-la a séculos. O problema, no entanto, é que os cérebro dos psicopatas é complexo demais para ser entendido em sua totalidade e o fato dessas pessoas mentirem muito bem e não sentirem muito coisa por outras pessoas também acaba dificultando que elas sejam “desvendadas” por completo.

Mas, por mais difícil e até mesmo perigoso que seja lidar com psicopatas, a verdade é que muitas coisas já são conhecidas sobre essas mentes brilhantes, mas perturbadas. Vários estudos ao redor do mundo descobriram fatos isolados, que eles não conseguem disfarçar em suas ações.

É exatamente sobre isso, aliás, que vamos tratar nessa matéria hoje. Você vai ter a oportunidade de conhecer uma série de fatores que a Ciência já sabe a respeito do modo de agir ou da mentalidade dos psicopatas, mas que a maioria das pessoas ainda não tomou conhecimento.

E é melhor se preparar, porque muita coisa é pesada! Por exemplo, já imaginou conviver, sem saber, com uma pessoa que pode decidir ou não quando sentir alguma coisa, como empatia, por outro ser vivo? Ou melhor, que só sente alguma coisa quando quer sentir?

Agora imagine uma pessoa que não sente medo e que é incapaz de compreender quando uma outra pessoa está com medo também. Parece perigoso, não acha? Isso e muito mais está na lista que disponibilizamos abaixo e que você confere em segundos.

Confira 8 curiosidades sobre psicopatas que você não sabe:

1. Psicopatas não compreendem medo

1

Você, com certeza, já sabe que psicopatas são pessoas praticamente sem sentimentos. É difícil para quem não tem o problema entender do que se trata, mas um psicopata, por exemplo, não vai cair de empatia por você, nem sentir medo das coisas que uma pessoa normal sentiria, como o medo.

Aliás, eles também não compreendem o medo ou expressões que sinalizam esse sentimento em outras pessoas. Pelo menos foi isso que indicou um estudo realizado pela Universidade de Georgetown, nos Estados Unidos.

Conforme os especialistas, isso tem muito a ver com as amígdalas ou amídalas cerebelosas, como é chamada essa parte do cérebro responsável pela resposta de medo, entre outras funções. Foi observado que no cérebro dos psicopatas a camada dessa parte do cérebro é mais fina que o comum e, por isso, tem uma atividade menos ativa, que impede essa interpretação por parte das pessoas que têm psicopatia.

2. Psicopatas são viciados em dopamina

3

O cérebro dessas pessoas não só produz uma quantidade superior dessa substância, quanto precisa de mais e mais dopamina. Para quem não sabe, esse neurotransmissor ativa os sentimentos de recompensa no cérebro e causa sentimentos bem parecidos com que costumamos sentir ao nos apaixonar ou terminar uma sessão de exercícios físicos (como você viu aqui).

É por esse motivo que os psicopatas não medem consequências para conseguir o que querem e para fazer coisas que lhes dão prazer, como controlar pessoas ou mesmo matar. Pelo menos foi isso que os estudos realizados na Universidade de Vanderbilt, em Nashville, nos Estados Unidos; concluíram recentemente.

3. Psicopatas decidem quando sentir ou não empatia

2

A impressão que temos que é psicopatas são monstros insensíveis, capazes de tudo, contra todos, desde que sintam necessidade. Bom, é mais ou menos isso. Mas, conforme estudos realizados em 2012, na Universidade de Groningen, Holanda, os psicopatas, estranhamente, têm a capacidade de decidir quando querem ou não sentir empatia por outros seres humanos.

Conforme os estudos, é como se essas pessoas tivessem um interruptor, como o da luz de seu quarto, em que o sentimento de empatia (ou qualquer outro sentimento humano, como o de compaixão), pudesse ser ligado ou desligado. Isso porque, quando aconselhados pelos pesquisadores, os voluntários do estudo, todos com psicopatia, sentiram empatia e até mesmo vivenciaram a dor de pessoas que apanhavam, em um vídeo.

Na primeira vez em que as imagens foram passadas, nenhum deles esboçou qualquer reação. Na segundo vez, no entanto, quando instruídos pelos cientistas, eles conseguiram sentir a dor das pessoas das imagens. Isso sim é louco, não?

Para os estudiosos do assunto, isso quer dizer que se os psicopatas criminosos, ou mesmo os demais, poderiam conviver em sociedade (ou mesmo se regenerar) se fossem ensinados a manter a empatia ligada o tempo todo. Isso porque, se tratando de psicopatas, esse “dispositivo” é naturalmente desligado.

4. Psicopatas no trabalho

4

Sabia que o mundo está cheio de psicopatas por aí e que existem profissões que são mais atraentes para essas pessoas de mentes perturbadas? Conforme uma lista criada em 2013, por um pesquisador de Oxford, chamado Kevin Dutton, psicopatas costumam se tornar policiais, advogados, cirurgiões, líderes e presidentes de grandes empresas, jornalistas e assim por diante.

Aliás, o número de executivos que são psicopatas é algo realmente impressionante, como mostrou uma pesquisa realizada nos Estados Unidos, em 2010, por Paul Babiak. Ele 203 executivos e concluiu que 1 em 25 eram psicopatas.

Mas, se na vida profissional eles não costuma matar ninguém, isso não significa que eles não usem da agressividade e de suas armas naturais para subir na carreira. Eles são influenciadores, usam charme, influência, chantagens e seus incríveis poderes de persuasão e de controle para chegar aos cargos de chefia, no menor tempo possível, passando em cima de quem por preciso e se tornando péssimos líderes.

5. Eles são os malvados dos games

5

Claro que há exceções a essa regra, mas a maioria dos que sempre são os vilões dos jogos online e dos que fazem bullying online são psicopatas ou apresentam, pelo menos 4 características mais comuns em quem tem psicopatia: sadismo, maquiavelismo, narcisismo e psicopatia em si.

Conforme estudos realizados por universidades canadenses, indivíduos que têm prazer em magoar os demais, são gananciosos mais que o comum, não costumam sentir remorso e, de quebra, passam uma quantidade de horas impressionante na internet podem se tratar de psicopatas potenciais.

6. Psicopatas também podem ser sociáveis

6

Esse tipo de psicopata ilustra bem o personagem Dexter Morgan, da série Dexter (esse carinha mesmo, que vem ilustrando toda nossa matéria). Pessoas desse jeito são psicopatas por predisposição genética, mas se controlam frente ao “socialmente aceito”. Normalmente elas são são pessoas que tentam não machucar as demais, pelo menos não fisicamente, e não muito calorosas, não gostam que socializar e têm uma falicidade incrível de manipular os que estão ao seu redor.

7. Psicopatas costumam ter olfato ruim

7

Devido ao nível de funcionamento mais baixo dos córtices orbitais de seus cérebros, os psicopatas não conseguem fazer planos de longo prazo como também são ruins para descrever aromas. Isso, segundo os responsáveis pela pesquisa, realizada em 2013, leva a crer também que eles não costumam ter o olfato muito desenvolvido.

8. A fala dos psicopatas têm um padrão específico

8

Conforme estudos da Universidade de Cornell, nos Estados Unidos, o jeito de falar ou escrever são outros sentidos que acabam traindo e denunciando um psicopata. Mas isso, claro, só é visível para quem é especialista no caso, já que os psicopatas não sentem muita coisa, mas são ótimos mentirosos.

Conforme análises das falas de 52 assassinos analisados nesse estudo, 14 eram psicopatas e todos estes tentavam parecer normais ao usar interjeições como “hum” e “uh”. Só que eles fazem isso excessivas vezes, muito mais que uma pessoa normal faria.

Da mesma forma, o jeito de escrever e as mensagens, na maioria sombrias, podem denunciar um psicopata.

9

E, no final das contas será que você também é um psicopata? Faça o teste aqui e descubra em segundos.

Fonte: Hypescience