Curiosidades

Angela Maxwell: a história da mulher que deu a volta ao mundo andando

Durante seis anos e meio, Angela Maxwell viveu uma jornada de caminhar pelo mundo andando, entrando em contato com a natureza e consigo mesma.

Angela Maxwell ou Angela Marie Maxwell tornou-se famosa por sua jornada ao  redor do mundo, a pé e sozinha. Nesse sentido, a missão surgiu em maio de 2014, quando ela decidiu abandonar seu negócio de sucesso e seu relacionamento para viver essa aventura. Além disso, a proposta da longa missão envolveu inspirar pessoas e experimentar o mundo.

Dessa forma, Angela Maxwell começou sua jornada aos 33 anos na busca por conhecer a si mesmo enquanto conhecia o próximo. Em resumo, a ideia surgiu nove meses após ela escutar a história de um homem que realizou um feito semelhante. Portanto, a coach de crescimento pessoal decidiu desafiar-se para conhecer o mundo ao seu redor enquanto descobria quem era.

Contudo, a história da mulher que deu a volta ao mundo andando não começou repentinamente. Acima de tudo, ela passou semanas estudando livros e histórias sobre mulheres que realizaram grandes feitos. Posteriormente, estabeleceu como inspiração a trajetória de Robyn Davidson, Ffyona Campbell e Rosie Swale-Pope.

Sobretudo, a jornada de Angela Maxwell não surgiu após uma crise ou perda. Muito pelo contrário, a mulher tinha um negócio de sucesso e um relacionamento promissor. Porém, sentia que precisava de algo mais, e a ideia de dar a volta ao mundo sozinha e andando era uma forma de encontrar essa conexão mais profunda com a natureza e as pessoas.

Continua após a publicidade

Angela Maxwell: a história da mulher que deu a volta ao mundo andando

Quem é Angela Maxwell?

Antes de mais nada, Angela Maxwell abriu mão de todos os seus pertences e adquiriu os equipamentos que precisaria nessa aventura. Curiosamente, suas compras envolveram quase 50 quilos em itens, desde pare de sapato até comida desidratada. Sobretudo, sua jornada ao redor do mundo andando envolveu lidar com temperaturas extremas e regiões desconhecidas.

Apesar disso, é importante explicar que a ideia de andar ao redor do mundo não surgiu de uma coragem natural. Basicamente, Angela Maxwell afirma em suas experiências que caminhando poderia minimizar sua pegada de carbono. Por outro lado, andar pelo mundo permitiria que ela vivesse a ornada de forma mais lenta, entrando em contato com a natureza.

Além disso, uma característica fundamental de sua missão envolveu o contato com outras culturas e pessoas variadas. Através das histórias e aprendizados de comunidades com quem ela nunca interagiu, a andarilha adquiriu lições que mudaram sua forma de ver ao mundo. Mais ainda, conectou-se com um grupo de mulheres exploradoras que a encorajaram em cada passo.

Continua após a publicidade

Nesse sentido, Angela Maxwell lidou com as condições desérticas no interior da Austrália Ocidental, com a dengue no Viatnã, com um tiroteio na Turquia e até mesmo um ataque físico na Mongólia. Em contrapartida, tomou vinho com moradores do Mar Tirreno na Itália, descansou no topo da montanha Hai Van Pass e fez amizades na fronteira entre a Mongólia e a Rússia.

No entanto, a jornada envolveu diversas dificuldades, pois ela sofreu um ataque em sua tenda durante o tempo na Mongólia, sendo vítima de um estupro. Ademais, ela viveu com menos de 5 dólares por dia, e dependia de doações que também dividia com quem precisasse no caminho.

Angela Maxwell: a história da mulher que deu a volta ao mundo andando

Como encerrou essa jornada?

Acima de tudo, Angela Maxwell se apresenta ao mundo como uma aventureira. Por outro lado, a viajante conseguiu arrecadar mais de 30 mil dólares para organizações não governamentais que se dedicam a educar, abrigar e nutrir meninas em risco. Mais ainda, estima-se que sua peregrinação durou 6 anos e meio.

Continua após a publicidade

Sendo assim, após visitar 4 continentes,14 países e percorrer mais de 32 mil quilômetros, Angela Maxwell terminou sua jornada em Bend, Oregon. Atualmente, vive contanto suas histórias e compartilhando seus aprendizados, em especial com outras mulheres. Nesse sentido, tomou como missão pessoal inspirar e incentivar outras mulheres a correrem atrás de seus objetivos.

Portanto, atua para criar maneiras colaborativas que incentivem o empoderamento feminino e a autodescoberta através da coragem. Ademais, conversou com públicos diversos em encontros informais e também em palcos de grandes eventos como o TEDx de Edimburgo, na Escócia. Sobretudo, a sua missão agora é incentivar que outras pessoas abracem seus anseios.

Por fim, Angela Maxwell está trabalhando em um livro, mas não planeja parar de viver aventuras. No geral, afirma em suas redes sociais e falas em eventos que a viagem abriu portas para outras experiências e jornadas. Ainda que não tão longas, cada passo de sua missão no mundo envolve inspirar mulheres e difundir o poder do autoconhecimento.

E aí, aprendeu quem é a mulher que deu a volta ao mundo andando? Então leia sobre Ano-Novo Chinês: quando é comemorado e tradições do festival

Continua após a publicidade
Próxima página »

Escolhidas para você