História

Interpol, o que é? Origem, história e funcionamento

A Interpol é um órgão destinado a coibir e combater crimes a nível internacional. A polícia internacional conta hoje com 194 países membros.

Atualizado em 20/08/2020

Certamente você já ouviu o nome Interpol, provavelmente em algum filme sobre investigação ou intrigas internacionais. Mas, você sabe do que se trata essa instituição? Primeiramente, vale ressaltar que o termo é uma espécie de sigla para Organização Internacional de Polícia Criminal.

De modo geral, a Interpol se trata de uma polícia internacional, cuja responsabilidade é cuidar de casos criminais pelo mundo. Sendo assim, a organização conta com banco de dados internacional sobre criminosos, bem como a cooperação das forças policiais de diversos países.

Além do mais, a Interpol se trata da segunda maior organização internacional existente, e está atrás apenas da ONU. Atualmente, essa polícia possuiu 194 países membros que contam com uma sede da mesma em seus territórios.

História

Fundador da Interpol. Fonte: Interpol

Inicialmente, a Interpol surgiu em 1923. De modo geral, a polícia internacional surgiu em Viena, na Áustria, a partir da ideia de um policial austríaco chamado Johann Schober. Inicialmente, o órgão surgiu como Comissão Internacional de Polícia Criminal e contava com a participação de outros 14 países.

Schober criou a organização a fim de acabar com a prática que muitos criminosos europeus tinham, de fugir da lei mudando para algum país vizinho. No entanto, em 1938, a Áustria foi anexada pela Alemanha de Hitler e o órgão ficou temporariamente suspenso.

Então, em 1946 a polícia internacional ressurgiu, já com o nome de Interpol. Além disso, sua sede passou a ser Lyon, na França. Ao longo de sua história, os países foram aderindo à organização progressivamente. As únicas nações que não integram a Interpol hoje são:

  • Coreia do Norte
  • Estados Federados da Micronésia
  • Kiribati
  • Palau
  • Tuvalu
  • Vanuatu

Atuação da Interpol

Fonte: Agência Brasil

No entanto, a polícia internacional não atua em todos os crimes que acontecem. Desse modo, o foco da Interpol gira em torno de terrorismo, crime organizado e crimes digitais. Além disso, delitos relacionados ao meio ambiente e à economia também.

Ao longo dos anos, a atuação da Interpol se tornou ainda mais importante. Isso porque, com a globalização, os crimes também ganharam um caráter transnacional. Assim, é ainda mais comum que criminosos fujam para outros países.

Desse modo, a Interpol somente é acionada quando seu escritório central no país acionar um pedido de ajuda, informando o crime e quem o cometeu. Então, o nome do delator vai para a “difusão vermelha”, que consiste em um alerta que chega a todos os membros da organização instantaneamente.

Caso o criminoso seja localizado, a Interpol entra em contato com o país de origem e emite uma ordem de prisão interacional. Contudo, o pedido de extradição fica a cargo da nação de origem. Sendo autorizado o pedido, também é responsabilidade da polícia internacional cuidar da segurança e do transporte do suspeito.

Fonte: Interpol

Ainda que esse procedimento possa ser realizado em caso de qualquer crime, a Interpol atua, sobretudo, quando há os seguintes delitos:

  • Corrupção
  • Falsificação de moeda e documentos
  • Crimes contra o patrimônio cultural
  • Crimes contra crianças
  • Tráfico de pessoas
  • Tráfico de drogas internacional
  • Crimes ambientais e financeiros
  • Tráfico de armas
  • Crime organizado
  • Crimes marítimos
  • Crimes de guerra

Sendo assim, a atuação da polícia internacional funciona em um sistema de comunicação chamado I-24/7, que integra todos os países membros. Por isso, as nações integrantes colaboram para evitar e combater crimes de modo conjunto, ainda que não tenham relações diplomáticas entre si.

Funcionários

Sede da Polícia Federal em Brasília. Fonte: Agência Brasil

Afinal, quem pode trabalhar na polícia internacional? No caso do Brasil, são os funcionários públicos da Polícia Federal, ou seja, concursados. Os representantes brasileiros da Interpol atuam na sede do escritório localizado em Brasília, desde que o país passou a integrar o órgão, em 1986.

Já a nível mundial, a Interpol contrata seus funcionários por meio de concurso público ou recrutamento. Além disso, eles são alocados em uma das três partes do órgão: Secretaria Geral, Escritório Central Nacional (BCN) e Assembleia Geral.

  • Secretaria Geral: responsável pelas ações cotidianas de combate ao crime
  • Escritório Central Nacional (BCN): é a sede da Interpol em cada país, comandada por policiais federais
  • Assembléia Geral: organização de todos os países membros da polícia internacional

De modo geral, pode-se dizer que a Interpol atua fazendo uma ponte entre as leis de um país com as autoridades legais de outro. Assim, se alguém cometer um crime em uma nação e fugir para outra, a polícia internacional garante que ela seja encontrada, extraviada e julgada.

Confira também essa matéria, escolhida especialmente para você: 8 crimes online que você comete todos os dias e não sabia

Fonte: Canal Ciências Criminais, Estudo Prático, Infoescola

Imagens: Interpol, Infoescola, Agência Brasil, Interpol

Por <a href='https://segredosdomundo.r7.com/author/amandasales/' rel='dofollow' class='dim-on-hover'>Amanda Sales</a>
Por Amanda Sales
Jornalista, escritora, redatora e social media. Gosto de coisas demais para caber aqui. Instagram: @tobemcansada