Ciência & Tecnologia

Neoplasia – O que é, quais os tipos e formas de tratamento

Neoplasia, ou mais conhecidos como tumores malignos ou benignos é o aumento do número de células em um determinado lugar.

Muitos não conhecem o termo neoplasia, mas podem ser definidas como tumores. Ou seja, neoplastia são descritas como massas anormais de tecido, com crescimento excessivo e descontrolado. Assim como seu nome significa neo (novo) + plasia (crescimento).

Também existem três conceitos muito usadora quando falamos de neoplasia: são eles o tumor, como é mais conhecido, a própria neoplasia e o câncer. Contudo, apesar de serem usados como sinônimos eles possuem significados distintos que se completam.

Desta forma tumor se refere ao efeito de massa. Um aumento de volume ou tecido de uma parte do organismo ou região. Bem como podem ser causados por ração inflamatória, aumento de fluidos ou proliferação desordenada de células. Já a neoplasia é especificamente uma proliferação descontrolada de células.

Neoplastia - O que é? Quais os tipos? E tipos e tratamento
Whow

Assim como as neoplasias podem ser benignas ou malignas, sendo essa conhecida como câncer. Bem como para se diferenciar as neoplasias benignas as malignas são analisados diversos fatores. Como por exemplo qual tipo de tecido, ritmo de crescimento e capacidade de se espalhar.

Continua após a publicidade

Neoplasia e seus tipos

Neoplasias benignas

Neoplastia - O que é? Quais os tipos? E tipos e tratamento
Lipoma – Allure

Também chamadas de tumores benignos, a neoplasia benigna não invadem tecidos adjacentes, bem como seu crescimento é lento e limites evidentes. Eles também podem ser retirados facilmente, e não se espalham para além do local de origem, o que chamamos de metástase.

As neoplasias benignas também não apresentam risco a vida, porém podem ser perigosas dependendo da sua localização ou crescimento descontrolado. Desta forma elas podem vir a comprimir órgãos ou tecidos próximos.

Continua após a publicidade

– Exemplos de neoplasias benignas 

  • Condroma: com origem na cartilagem.
  • Lipoma: com origem a partir do tecido adiposo.
  • Mioma: com origem no tecido muscular.

Neoplasias malignas

Neoplastia - O que é? Quais os tipos? E tipos e tratamento
Câncer de pele – Clínica CMP

Mais conhecidas como câncer, as neoplasias malignas possuem seus limites pouco determinados e crescem rapidamente. Assim como também podem se espalhar para além da sua origem, bem como invadir tecidos e outros órgãos. Desta forma provocando o que chamamos de metástase.

Continua após a publicidade

O câncer surge devido a mudanças no DNA das células, que alteram o seu funcionamento natural. E o seu progresso é chamado de carcinogênese ou oncogênese. Do mesmo modo existem vários agentes que provocam ou estimulam o surgimento de neoplasias malignas. A exemplo o tabaco.

O tabaco possui uma série de substâncias tóxicas e cancerígenas, influenciando assim o surgimento de câncer de pulmão em várias pessoas. Assim o tratamento de câncer é bastante complexo e agressivo, além de apresentar grande risco a saúde. E para que o tratamento seja mais eficaz é de suma importância que ele seja descoberto o mais cedo possível.

Neoplastia - O que é? Quais os tipos? E tipos e tratamento
Câncer de Pulmão – Medicsupply

– Exemplo de neoplasias malignas

  • Câncer colorretal
  • Câncer de bexiga
  • Câncer de boca
  • Câncer de estômago
  • Câncer de fígado
  • Câncer de laringe
  • Câncer de mama
  • Câncer de ovário
  • Câncer de pâncreas
  • Câncer de pele
  • Câncer de pênis
  • Câncer de próstata 
  • Câncer de pulmão
  • Câncer do colo do útero
  • Leucemia
  • Linfoma

Nomenclaturas das neoplasias

Neoplastia - O que é? Quais os tipos? E tipos e tratamento
Med Prev

As nomenclaturas dependem de qual tecido está sendo afetado bem como são formados a partir de folhetos germinativos, ectoderma, mesoderma, mesoderma e endoderma. Assim, para tumores benignos mesenquimal, tecido de preenchimento é utilizado o sufixo OMA.

Continua após a publicidade

No geral as nomenclaturas benignas tem terminações oma acrescentada ao nome do tecido de origem, a exemplo o lipoma, que é o tumor do tecido adiposo. Já em uma neoplasia epitelial benigna usamos os termos adenoma e papiloma. Contudo o sufixo OMA também pode ser usado para algumas neoplasias malignas.

Como por exemplo a neoplasia maligna do tecido linfo-hematopoiético, que chamamos de linfoma. Assim como chamamos de leucemia os cânceres que ocorrem em células espinocelulares. Já para os tumores mesenquimais malignos usamos o sufixo sarcoma, e para os epiteliais o termo carcinoma.

Neoplasias tem cura?

Neoplastia - O que é? Quais os tipos? E tipos e tratamento
Wecancer

As neoplasias tem cura, porem o tratamento muda de acordo do seu tipo. A exemplo, as benignas que normalmente não apresentam risco de morte podem ser retiradas e não voltam. Porém dependendo da sua localização e tamanho podem comprimir ou comprometer órgãos e tecidos.

O grande problema são as neoplasias malignas, que geralmente são mais graves e com tratamentos mais complexos. Desta forma, além das cirurgias para a retira do tumor, que podem posteriormente voltar, podemos também mencionar como tratamentos:

Continua após a publicidade
  • Quimioterapia: tratamento com medicamentos que “destruirão” as células que formam o tumor, bem como pode ser via oral, intravenosa, intramuscular, subcutânea, intratecal e tópica.
  • Radioterapia: focado na destruição das células que causam o tumor, bem como impedindo que ele aumente por radiação ionizante. Assim como podem ser duas forma, externa e branquiterapia.
  1. Externa: onde o aparelho que emita a radiação fica afastado do paciente, bem como direcionado para a área a ser tratada.
  2. Branquiterapia: onde são colocados aplicadores no paciente, desta forma a radiação é emitida do aparelho para o corpo do paciente por meio deles.
  • Transplante de medula óssea: destinado a neoplasias que afetam o sangue, como as leucemias. Desta forma o paciente recebe células normais da medula óssea, assim podendo ser autogênico ou alogênico.
  1. Autogênico: quando a medula óssea vem do próprio paciente.
  2. Alogênico: quando a medula é proveniente de um doador.

O que achou da nossa matéria? Se gostou, confira também: Sintomas de câncer, 12 principais sinais que costumam ser ignorados

Fonte: Brasil Escola e Info Escola

Imagem destacada: Renovação 

Continua após a publicidade

Próxima página »

Escolhidas para você