Ciência & Tecnologia

5 curiosidades reveladas pelas novas fotos do universo

James Webb é o maior e mais poderoso telescópio já lançado ao espaço; veja as novas fotos do universo que ele produziu.

A NASA divulgou novas fotos do universo feitas pelo Telescópio Espacial James Webb, anunciando uma nova era da astronomia.

“Cada imagem é uma nova descoberta”, disse o administrador da NASA, Bill Nelson. “Cada um dará à humanidade uma visão do universo que nunca vimos antes.

O equipamento que custou US$ 10 bilhões ao governo norte-americano, revelou a imagem mais clara até hoje do universo primitivo, remontando a 13 bilhões de anos.

Desse modo, as novas fotos do universo feitas pelo James Webb foram selecionadas por um grupo de representantes da NASA, ESA, CSA e do Space Telescope Science Institute, e estão detalhadas a seguir.

Continua após a publicidade

5 curiosidades reveladas pelas novas fotos do universo

1. Imagem infravermelha mais profunda e nítida do Universo

5 curiosidades reveladas pelas novas fotos do universo

A imagem mostra o aglomerado de galáxias SMACS 0723 como apareceu há 4,6 bilhões de anos. A massa combinada deste aglomerado de galáxias atua como uma lente gravitacional, ampliando galáxias muito mais distantes atrás dele.

Assim, Webb forneceu a imagem infravermelha mais profunda e nítida do Universo distante até agora, e em apenas 12,5 horas.

Esta nova foto mostra uma composição colorida de múltiplas exposições, cada uma com cerca de duas horas de duração, é aproximadamente do tamanho de um grão de areia mantido à distância de um braço.

Continua após a publicidade

Portanto, é apenas uma amostra das capacidades de Webb em estudar campos profundos e rastrear galáxias até o início do tempo cósmico.

2. Detecção de água, neblina e nuvem em planeta fora do Sistema Solar

WASP-96 b é um planeta gigante fora do sistema solar da Terra que a NASA diz ser composto principalmente de gás.

O planeta, fica a cerca de 1.150 anos-luz de distância, orbita sua estrela a cada 3,4 dias. Tem cerca de metade da massa de Júpiter, e sua descoberta ocorreu em 2014.

Continua após a publicidade

A observação detalhada de Webb deste planeta quente e inchado fora do nosso Sistema Solar revela a assinatura clara de água, juntamente com evidências de neblina e nuvens que estudos anteriores deste planeta não detectaram.

Desse modo, com a primeira detecção de água do Webb na atmosfera de um exoplaneta, ele agora começará a estudar centenas de outros sistemas para entender do que são feitas outras atmosferas planetárias.

3. Detalhes da Nebulosa do Anel do Sul

5 curiosidades reveladas pelas novas fotos do universo

O James Webb revelou que uma nuvem de gás em expansão envolve esta anã branca (estrela que perdeu seu envelope gasoso).

Continua após a publicidade

Aliás, esta nebulosa está a aproximadamente 2.000 anos-luz de distância. Por lá, os poderosos olhos infravermelhos de Webb trazem uma segunda estrela moribunda à vista pela primeira vez.

Do nascimento à morte como uma nebulosa planetária, Webb pode explorar as conchas expelidas de poeira e gás de estrelas antigas que podem um dia se tornar uma nova estrela ou planeta.

4. Visual único do grupo de galáxias Quinteto de Stephan

O Quinteto de Stephan é um complexo visual de cinco galáxias, em que elas interagem umas com as outras há milhões de anos e criam estruturas cheias de atividade cósmica.

Continua após a publicidade

Dessa forma, as estrelas derivam e contribuem para a formação de gás e poeira em grandes quantidades, girando em torno de galáxias.

Com efeito, a poeira evolui ao longo do tempo e Webb pode estudar esses elementos e galáxias próximas e em interação dinâmica, para ver a poeira em ação.

Agora, os cientistas podem ter uma visão rara, em detalhes sem precedentes; de como as galáxias em interação estão desencadeando a formação de estrelas umas nas outras.

5. Berçário de estrelas na Nebulosa Carina

5 curiosidades reveladas pelas novas fotos do universo

Continua após a publicidade

O olhar de Webb sobre a Nebulosa Carina revela as primeiras e rápidas fases da formação estelar que estavam anteriormente escondidas.

Em suma, a Nebulosa Carina é uma das maiores e mais brilhantes do céu, aliás, trata-se de um berçário estelar, ou seja, onde estrelas nascem entre as nuvens e os tufos. Ela está localizada a 7.500 anos-luz da Terra.

Observando esta região de formação estelar na constelação sul de Carina, bem como outras semelhantes, Webb pode ver estrelas recém-formadas e estudar o gás e a poeira que as formaram.

Sobre o James Webb

O Telescópio Espacial James Webb é o principal observatório de ciência espacial do mundo. Dessa forma, Webb ajudará a resolver os mistérios do sistema solar e investigará as estruturas e origens de nosso universo e nosso lugar nele.

Continua após a publicidade

Além disso, Webb é um programa internacional liderado pela NASA com seus parceiros, a ESA e a Agência Espacial Canadense.

O Telescópio Espacial James Webb foi lançado em 25 de dezembro de 2021, em um foguete Ariane 5 do Porto Espacial da Europa na Guiana Francesa, América do Sul.

Por fim, depois de concluir a sequência de implantação mais complexa e difícil no espaço, o Webb passou por meses de comissionamento, onde seus espelhos foram meticulosamente alinhados e seus instrumentos foram calibrados para seu ambiente espacial e preparados para a ciência.

Fontes: G1, Uol, National Geographic, Mega curioso

Continua após a publicidade

Imagens: NASA, ESA, CSA, STScI/James Webb

Então, gostou de ver as novas imagens do universo feitas pelo James Webb? Pois, leia também: Expansão do universo: será que realmente conhecemos o cosmos?

Próxima página »

Escolhidas para você