Ciência & Tecnologia

O que é impingem? (E o que causa?)

A impingem é causada pelo excesso de fungos na pele e pode provocar bastante incômodo. Quer saber mais sobre ela? Então, leia o texto!

Impingem, impinge, tínea ou tinha é um tipo de doença de pele causada por fungos e que tem como sintomas principais o aparecimento de manchas vermelhas na pele, podendo ainda causar coceira ou descamação. Alguns tipos de fungos podem afetar o couro cabeludo e causar caspa e, até mesmo, queda de cabelo.

De modo geral, a impingem é mais comum nas crianças, sobretudo no couro cabeludo, mas pode ocorrer em pessoas de qualquer idade e os fatores de risco envolvem a baixa imunidade, hábitos de higiene inadequados, ingestão excessiva de açúcar ou alergia. A transmissão ocorre principalmente através do contato direto com o fungo, tanto na natureza como em superfícies ou pessoas infectadas.

Para saber mais sobre essa doença, acompanhe nosso texto.

Sintomas da impingem

Os sintomas mais comuns da impingem englobam:

Continua após a publicidade
  1. Manchas arredondadas e avermelhadas com bordas bem definidas na pele;
  2. Surgimento de manchas em vários locais do corpo;
  3. Manchas que podem coçar ou descamar;
  4. Perda de cabelo e descamação na área afetada do couro cabeludo.

Embora não seja uma condição grave, é importante procurar atendimento médico assim que surgir as primeiras manchas, uma vez que a impingem é contagiosa, inclusive se espalhando no próprio paciente, e pode causar muito incômodo.

Causas da impingem

A impingem é causada pela proliferação exagerada dos dermatófitos, que são fungos que vivem naturalmente em nossa pele. O crescimento no número desses fungos pode se dar devido a fatores, por exemplo:

  1. apresentar o sistema imunológico debilitado;
  2. não ter hábitos de higiene adequados;
  3. morar em locais quentes e úmidos;
  4. vestir roupas apertadas e/ou feitas de tecidos sintéticos;
  5. ter contato físico com uma pessoa afetada;
  6. ter alguma doença crônica;
  7. compartilhar roupas com pessoas que tenham infecções fúngicas.

Além disso, a transmissão da impingem também pode se dar a partir do contato com animais, sobretudo, em casos de animais que fiquem dentro de casa e que apresentem algum tipo de alteração na pele. Por isso, é essencial que eles sejam levados regularmente ao veterinário para verificar possíveis problemas que podem ser facilmente tratados e que podem evitar algum tipo de problema para os humanos.

Diagnóstico

Para confirmar o diagnóstico de impingem, é necessário buscar um dermatologista que, a partir do exame dermatológico, vai observar as características das manchas da pele ou da alteração no couro cabeludo.

Continua após a publicidade

Além disso, existem outros tipos de exames que podem auxiliar nesse tipo de diagnóstico, como análise microbiológica, raspado da lesão e exame da lâmpada de Wood, em que o dermatologista observa a forma como a mancha se comporta após à exposição à luz UV.

Tratamento

O tratamento para impingem deve partir do médico e, em geral, é feita por meio de uso de cremes ou pomadas antifúngicas. Esses remédios que vão eliminar os fungos em excesso e também vão aliviar o incômodo, por exemplo, a coceira.

Os antifúngicos mais comumente utilizados para o tratamento dessa condição são:

  1. terbinafina;
  2. cetoconazol;
  3. isoconazol;
  4. miconazol;
  5. clotrimazol.

Em suma, esses remédios precisam ser aplicados sobre a área afetada durante cerca de 2 semanas, independentemente dos sintomas terem desaparecido. É importante manter a continuidade do uso para assegurar que os fungos tenham sido combatidos.

Continua após a publicidade

Além disso, é primordial que, durante o tratamento, se mantenha uma higiene pessoal adequada, mantendo todas as partes do corpo limpas e secas. Nesse período, não é recomendável o compartilhamento de itens de uso pessoal e evitar coçar as lesões, pois ambos podem causar transmissão da doença.

Existem, ainda, algumas opções caseiras que podem ser utilizadas em casos de impingem, por terem propriedades antifúngicas, por exemplo:

  1. beber a mistura de levedura de cerveja com água, durante 10 dias;
  2. aplicar a pasta de repolho amassado na região afetada;
  3. passar a infusão de alecrim e tomilho na área;
  4. aplicar óleo de coco morno no couro cabeludo;
  5. lavar a região afetada com infusão de alecrim-pimenta;
  6. passar mistura de vinagre de maçã com água na parte da pele afetada;
  7. aplicar mistura de óleo essencial de melaleuca com outra base oleosa na área vermelha e com coceira.

Prevenção da impingem

Para prevenir a impingem, existem alguns cuidados bem básicos, como:

  1. manter a pele sempre seca e limpa;
  2. evitar o contato com as manchas na pele de outras pessoas;
  3. se alimentar de forma saudável com pouca ingestão de açúcar;
  4. evitar o compartilhamento de itens de uso pessoal, por exemplo, roupas, toalhas etc.

Além disso, para evitar que o problema se agrave – quanto ao incômodo causado – se indica procurar atendimento médico sempre que houver qualquer tipo de suspeita de impingem.

Continua após a publicidade

Leia também:

Fontes: Biblioteca Virtual em Saúde, Tua Saúde.

Bibliografia:

DE SOUSA, Santina Barbosa et al. Plantas Fungicidas Utilizadas em Comunidades Rurais da Região Sul do Piauí, Nordeste do Brasil. 2021.

FERNANDES, Débora Cristina de Lima et al. Análise fenotípica e genotípica de isolados de Trichophyton rubrum de pacientes com dermatofitoses. 2011.

Continua após a publicidade
Próxima página »

Escolhidas para você