Curiosidades

Por que os dias da semana acabam com feira e como surgiram seus nomes?

A origem dos dias da semana surgiu como uma forma de organizar os ritmos e rotinas dos indivíduos na Antiguidade, durante o Império Romano.

Em primeiro lugar, a origem dos dias da semana se deu como uma forma de organizar os calendários tradicionais. Porém, consiste em uma tradição da Antiguidade, em especial para determinar a rotina. Além disso, é um elemento fundamental para o ritmo de vida das pessoas, como para saber o período de trabalho e o de descanso.

Mais ainda, a partir dessa organização pode-se determinar eventos básicos como feriados, aniversários e datas comemorativas. Entretanto, existe uma dúvida comum sobre como surgiu a convenção de que a semana tem sete dias. Ademais, alguns perguntam porque existem cinco dias úteis e somente dois para o final de semana;

A princípio, a semana corresponde a um grupo de sete dias porque equivale ao tempo de duração aproximado de uma fase lunar. Nesse sentido, é ainda uma evolução na medida do tempo, cujo início parte da relação do homem com a natureza. Sobretudo, os elementos mais básicos que influenciavam sua rotina, como movimentação dos astros, da Lua, do Sol e de outros plantas.

Em resumo, na Antiguidade, a Lua era muito mais importante ao indivíduo do que o Sol. Em especial, desempenhava o papel de iluminar as noites, alterar as marés para a navegação e afetava os plantios. Portanto, estima-se que a origem dos dias da semana, e da semana com sete dias esteja ligada com a proximidade dos homens com a Lua, gerando os calendários lunares.

Origem dos dias da semana

Antes de mais nada, a organização formal dos dias da semana surgiu propriamente durante o Império Romano. Portanto, entrou para a história como uma origem pagã porque na época eles cultuavam diversos deuses da mitologia romana. Entretanto, existiu um período em que a semana continha oito dias nessa cultura.

Apesar disso, os dias eram dedicados a cada um dos principais deuses. Desse modo, os nomes levavam nomes em homenagem aos deuses, seguindo uma ordem do Latim comum. Portanto, a convenção era a seguinte:

  • Solis dies: dia do Sol (domingo)
  • Lunae dies: dia da Lua (segunda-feira)
  • Martis dies: dia de Marte (terça-feira)
  • Mercurii dies: dia de Mercúrio (quarta-feira)
  • Iovis dies: dia de Júpiter (quinta-feira)
  • Veneris dies: dia de Vênus (sexta-feira)
  • Saturni dies: dia de Saturno (sábado)

Sobretudo, a designação de origem dos dias da semana surgiu com ideias específicas. Por exemplo, o primeiro dia da semana tinha relação direta com a ideia de início, nascimento e vida. Portanto, dedicou-se ao Sol, que com sua luz inicia um novo tempo a partir do domingo, o primeiro dia da semana.

Logo em  seguida, o segundo dia referia-se ao continuísmo, à fluidez e às transformações. Portanto, teve associação com a Lua e à deusa Diana, assim com Perséfone, pois ambas representavam as mudanças. Posteriormente,  o Cristianismo surgiu no mundo, varrendo as tradições pagãs e monoteístas.

Como consequência, surgiu o Latim litúrgico e a organização dos dias da Semana Santa por Martinho de Dume, bispo da cidade de Braga, em Portugal, no quinto século depois de cristo. Curiosamente, os dias passaram a ter nomes de acordo com a ordem, acompanhados da palavra feria que significa dia de descanso. Dessa forma, estabeleceu-se essa convenção:

  • Prima feria (domingo)
  • Secunda feria (segunda-feira)
  • Tertia feria (terça-feira)
  • Quarta feria (quarta-feira)
  • Quinta feria (quinta-feira)
  • Sexta feria (sexta-feira)
  • Septima feria (sábado)

Sábado e domingo

Basicamente, o fim de semana corresponde ao sábado e o domingo. No geral, a convenção é que esses sejam dias de descanso, de modo que a maioria dos assalariados não trabalhem e a maioria das empresas não esteja em atividade. Porém, há exceção do comércio e atividades recreativas.

Entretanto, a determinação desses dias como descanso semanal remunerado consiste numa conquista da luta operária da Inglaterra. Sobretudo, diz respeito às reivindicações trabalhistas depois da Revolução Industrial no início do século 19. Ou seja, anteriormente, os trabalhadores poderiam tirar folgas somente por motivos religiosos, mas sem receber remuneração.

Ademais, definiu-se ambos dias da semana como descanso porque na Antiguidade esse dia era reservado ao deus Saturno, responsável pela agricultura. Portanto, era um dia para o descanso, como uma forma de agradecer ao deus por um boa colheita. Além disso, há as convenções judaico-cristãs sobre essas datas como momentos de repouso semanal.

Contudo, o domingo tornou-se popular um pouco mais tarde, a partir da era Cristã e do evento da ressurreição de Cristo. Sendo assim, existe a convenção em algumas correntes cristãs do sábado como o dia sagrado, enquanto outras acreditam no domingo. Apesar disso, ambas entraram na convenção do final de semana.

E aí, aprendeu sobre a origem dos dias da semana? Então leia Sangue doce, o que é? Qual a explicação da Ciência.

Próxima página »

Escolhidas para você