Curiosidades

Preços de 15 órgãos humanos no mercado negro

Já ouviu falar em "pagar com um rim" ou "custa os olhos da cara"? Isso vai fazer TODO depois dessa matéria. Descubra quanto custam alguns órgãos humanos mais procurados no mercado negro.

Atualizado em 26/09/2019

Os órgãos humanos são um bem precioso, que não só tornam sua vida possível. Basicamente, eles também podem ser vendido a peso de ouro. É no chamado “mercado negro“.

Aliás, acredite, partes do corpo e órgãos humanos valem fortunas. Inclusive, são vendidos clandestinamente pelos mais diversos motivos.

O tema, certamente, é desagradável e está ligado a milhares de casos de sequestros, mutilações e mortes em todo o mundo. Sobretudo, estes órgãos humanos comercializados advém de crimes contra crianças e adolescentes.

Contudo, quem compra e, especialmente, quem vende órgãos humanos não são pessoas facilmente identificáveis. Mas, mesmo assim, é possível levantar o preço pelo qual algumas partes de corpos são vendidas por aí.

Para provar o quanto o mercado negro é aquecido e real, a empresa americana Medical Transcription, focada no transplante de órgãos, foi atrás do preço de alguns órgãos humanos traficados. O resultado desse levantamento, aliás, é impressionante.

Confira os preços de alguns dos órgãos humanos mais procurados no mercado negro:

Par de olhos – R$ 2.877,00

Escalpo (cabeleira destacada do crânio com a pele) – R$ 1.145,00

Fígado – R$ 296.277,00

Rim – R$ 494.341,60

Artéria coronária – R$ 2.877,37

Pele (polegada) – R$ 18,86

Mão e antebraço – R$ 726,418

Coração – R$ 224.529,20

Litro de sangue – R$ 635,85

Vesícula biliar – R$ 2.300,00

Caveira com dentes – R$ 2.264,16

Intestino delgado – R$ 4.752,84

Baço – R$ 958,49

Ombros – R$ 943,40

Estômago – R$ 958,49

Impressionante, não?

E falando em órgãos humanos, você pode se interessar também por esse outro assunto: Por quanto tempo resistimos quando nosso coração para de bater?.

Por <a href='https://segredosdomundo.r7.com/author/renata/' rel='dofollow' class='dim-on-hover'>Thamyris Fernandes</a>
Por Thamyris Fernandes
Jornalista pela PUC Goiás. Já flertou com assessoria de imprensa, passou um tempo em jornais impressos e encontrou na internet seu habitat natural. Basicamente, uma taurina curiosa. Gosta de vinho, café, livros, um bom papo e aconchego. Ama o que faz e faz o que ama por aqui. Instagram: @thamyriscf