Curiosidades

Menino com síndrome do cabelo impenteável viraliza nas redes sociais; veja fotos

Uma mãe da Geórgia, EUA, empreendeu uma iniciativa para mudar a visão sobre a percepção de uma doença rara: a síndrome do cabelo impenteável.

Não é nenhuma novidade que o corpo humano está cheio de segredos e, às vezes, esses segredos podem se manifestar na forma de doenças raras como a síndrome do cabelo impenteável.

Com apenas 100 casos no mundo, esta condição é uma doença rara que leva ao desenvolvimento de cabelos extremamente crespos, incontroláveis ​​e secos. Geralmente é diagnosticado em crianças de 3 meses a 12 anos de idade como o pequeno Locklan Samples, de 16 meses.

Natural da Geórgia, nos Estados Unidos, ele nasceu com o cabelo preto parecido com o de sua mãe, mas quando ele tinha 6 meses “mudou drasticamente”, disse a família de Locklan à revista People.

Você, já tinha ouvido falar dessa síndrome? Então vamos saber mais sobre ela neste artigo!

Continua após a publicidade

O que é a síndrome do cabelo impenteável?

Em suma, a síndrome do cabelo impenteável, também conhecida como síndrome do cabelo incontrolável, é uma anomalia rara da haste capilar que ocorre em crianças e melhora com a idaade.

Desse modo, os pacientes que recebem diagnóstico para esta condição têm cabelos rebeldes, secos e crespos (cabelos de vidro fiado) que não podem ser penteados.

A síndrome do cabelo que não se penteia se desenvolve na infância, geralmente entre a infância e os 3 anos, mas pode aparecer até os 12 anos. Além disso, as crianças afetadas têm cabelos claros, descritos como loiros ou prateados com um tom brilhante.

Assim, o cabelo não cresce para baixo, mas para fora do couro cabeludo em várias direções. Apesar de sua aparência, o cabelo não é frágil ou quebradiço, e cresce a um ritmo normal ou um pouco mais lento. Dessa forma, a doença afeta apenas o cabelo do couro cabeludo.

Continua após a publicidade

Quais as causas da doença rara?

A síndrome é causada por mutações no gene PADI3, TGM3 ou TCHH. Esses genes fornecem instruções para a produção de proteínas que ajudam a dar estrutura ao fio de cabelo (haste).

As proteínas produzidas a partir dos genes PADI3 e TGM3 modificam a proteína produzida a partir do gene TCHH, conhecida como tricohialina.

A tricohialina modificada pode se ligar a outras proteínas de tricohialina e a moléculas chamadas filamentos intermediários de queratina para criar ligações cruzadas organizadas.

Esses elos formam redes densas que fornecem estrutura à haste capilar e lhe conferem uma forma cilíndrica. Mutações nos genes PADI3, TGM3 ou TCHH provavelmente levam à produção de proteínas com pouca ou nenhuma atividade. Como resultado, a forma do eixo do cabelo é alterada.

Continua após a publicidade
Continua após a publicidade

Portanto, em crianças com síndrome do cabelo impenteável, 50 a 100 por cento de seus fios de cabelo têm uma forma irregular. Além disso, o cabelo anormal reflete a luz de forma diferente do cabelo normal, conferindo um aspecto mais brilhante.

Como a mãe de Locklan descobriu a doença rara no filho?

A mãe de Locklan viu alguém mencionar num comentário no Instagram uma condição chamada “síndrome do cabelo impenteável”. No entanto, o pediatra de Locklan não tinha ouvido falar da condição e encaminhou o menino para o Emory Hospital, em Atlanta .

Então eles foram ver o especialista e a mãe do menino, Katelyn Samples, disse à revista People: “Fomos vê-lo e ele disse que só tinha visto isso uma vez em 19 anos”.

Samples disse que o médico “não achou que fosse a ‘síndrome do cabelo impenteável’ por causa de sua raridade, mas eles coletaram amostras e um patologista a examinou sob um microscópio especial”. Foi quando o diagnóstico foi confirmado.

Continua após a publicidade

Locklan se juntou a um pequeno grupo de pessoas consideradas com a síndrome. A família diz que em todos os lugares que vão as pessoas ficam fascinadas por seu cabelo. Aliás, eles compartilham toda a jornada do pequeno no Instagram.

E no que diz respeito a Samples, as madeixas da Lock são motivo de orgulho. “Adorei”, diz ela. “Estamos muito orgulhosos disso. Acho legal ter algo que te destaque.”

Há tratamento para esta condição?

Não há tratamento definitivo para a síndrome do cabelo impenteável, mas a condição geralmente melhora ou se resolve sozinha com o início da puberdade.

Além disso, especialistas recomendam cuidados suaves com o cabelo, geralmente por meio do uso de condicionadores e escovas macias, além de evitar tratamentos capilares agressivos, como relaxantes químicos ou escovação e secagem excessivas. Essas estratégias podem melhorar a maleabilidade geral do cabelo, embora o seu funcionamento seja subjetivo.

Continua após a publicidade

Outra estratégia que pode melhorar a aparência do cabelo é o uso de suplementos de biotina. Um relato de caso sugeriu melhora significativa na resistência e penteabilidade do cabelo, com aumento na taxa de crescimento após 4 meses de suplementação.

Veja as fotos do pequeno Locklan e seu cabelo raro:

Menino com síndrome do cabelo impenteável viraliza nas redes sociais; veja fotos Menino com síndrome do cabelo impenteável viraliza nas redes sociais; veja fotos Menino com síndrome do cabelo impenteável viraliza nas redes sociais; veja fotos

Gostou de saber mais sobre essa condição raríssima que afeta o cabelo? Pois, leia também: Síndrome de Peter Pan – O que é, como reconhecer e tratamento

Continua após a publicidade

Próxima página »

Escolhidas para você