Saúde

Tipos de dores de cabeça: quais são, causas e tratamentos

Existem diversos tipos de dores de cabeça. Sendo que a cefaleia pode ser causada por fatores simples, ou por doenças mais graves.

Uma das queixas de dores mais comuns entre as pessoas é a cefaleia. Também conhecida popularmente como dor de cabeça. Entretanto, existem diversos tipos de dores de cabeça. Dessa forma, algumas dores podem ser bem intensas e recorrentes. Enquanto que outras podem aparecer e sumir rapidamente. Portanto, a dor de cabeça pode indicar inúmeros fatores ligados à saúde do corpo.

Ademais, as dores de cabeça podem ser divididas entre dois grupos. Sendo o primeiro denominado de cefaleias primárias. Que não são provocadas por outras doenças. Porém, a causa não é bem esclarecida. Como a enxaqueca, por exemplo. Já o segundo grupo é denominado de cefaleias secundárias. Que são provocadas por outras doenças. Por exemplo, tumor, aneurisma, sinusite ou até mesmo problemas de coluna.

Enfim, os diferentes tipos de dores de cabeça podem ocorrer por diversas causas e em diferentes regiões da cabeça. Inclusive, em alguns casos, a dor de cabeça pode vir acompanhada de outros sintomas. Normalmente, o tratamento é feito de acordo com a origem ou causa da dor. Podendo ser administrados remédios analgésicos e anti-inflamatórios. Entretanto, é importante buscar por uma avaliação médica, para um diagnóstico e tratamento mais adequado.

Tipos de dores de cabeça: causas

Nossa Sáude

Diferentemente do que muitos acreditam, existem diversos tipos de dores de cabeça. Que podem ter inúmeras causas diferentes. Portanto, as cefaleias não são todas iguais. Então, antes de sair tomando qualquer remédio, você precisa saber o tipo e a causa da dor. Em suma, cerca de 90% das vezes se trata de cefaleias primárias. Sendo causadas por enxaqueca (migrânea), cefaleia tensional, cefaleia em salvas.

Continua após a publicidade

Já em cerca de 10% das vezes, a dor se trata de cefaleias secundárias. Causadas por: tumores cerebrais, aneurisma cerebral, AVC hemorrágico, arterite temporal, trombose venosa cerebral e meningite. Entretanto, entre as cefaleias secundárias, existem outras causas que não são doenças graves, com risco de morte. Por exemplo, sinusite, problemas de coluna, uso abusivo de analgésicos, herpes zoster e neuralgia do trigêmeo. Além de cefaleia pós-trauma, cefaleia pós-raquianestesia ou punção lombar.

Por fim, segundo especialistas, problemas de visão, como miopia, hipermetropia e astigmatismo, não são causas comuns de dores de cabeça. Entretanto, pode ocorrer em crianças. Além disso, não há associação direta entre a cefaleia crônica e problemas no fígado.

Tipos de dores de cabeça: mais comuns

1 – Dor de cabeça tensional

Receita de Vida

Um dos tipos de dores de cabeça mais comum é a dor de cabeça tensional. Sendo mais comum em mulheres. Em suma, esse tipo de cefaleia é causado pela rigidez dos músculos do pescoço, das costas ou couro cabeludo. Normalmente, esse tipo de dor é causado por uma má postura e ansiedade. Além de excesso de exercícios físicos ou dormir na posição errada. Sendo o estresse a principal causa da dor de cabeça tensional.

Ademais, os sintomas mais comuns são dor leve a moderada, uma espécie de pressão, podendo durar entre 30 minutos a 1 semana. Principalmente, na nuca, laterais da cabeça ou na testa. Além de sensibilidade excessiva nos ombros, pescoço e couro cabeludo e a ruídos e luz. Geralmente, a dor tende a se intensificar no final do dia. Dessa forma, provocando dificuldade de concentração, insônia, dores musculares, fadiga crônica e irritabilidade.

Continua após a publicidade

Portanto, para aliviar os sintomas, o paciente pode tentar praticar atividades que proporcionem relaxamento físico e mental. Tais como, ioga, massagem no couro cabeludo, banho relaxante e exercícios aeróbicos. Contudo, caso não seja suficiente, pode ser necessário o uso de analgésicos. Como paracetamol, ibuprofeno ou aspirina, por exemplo.

Ademais, a dor de cabeça tensional pode ser classificada em:

  • Cefaleia tensional infrequente: acontece até uma vez no mês.
  • Tensional frequente: acontece entre 1 e 14 vezes por mês.
  • Tensional crônica: acontece mais de 15 vezes por mês.

Por fim, é muito comum pacientes que sofrem com esse tipo de cefaleia abusarem do uso de medicamentos. Porém, o excesso pode levar a outro tipo de dor de cabeça. A cefaleia induzida por remédios. Por isso, caso a dor se torne frequente, o recomendado é procurar orientação médica.

2 – Enxaqueca (migrânea)

Hospital de Olhos

A enxaqueca se trata de um tipo de dor de cabeça específico, caracterizado por dores pulsantes que vão se agravando até ficarem intensas. Onde 70% dos casos a dor é unilateral, deixando o paciente sensível à luz forte e barulho. Geralmente, a dor vem acompanhada de náusea, vômito ou tonturas. Piorando ao fazer movimentos mais bruscos. Além disso, provoca sensibilidade no couro cabeludo.

Continua após a publicidade

Em suma, as crises podem durar de 4 até 72 horas, ocorrendo mais de 4 vezes ao mês. Ademais, como característica, ela é mais comum em mulheres. Principalmente, entre 20 e 40 anos de idade e, com obesidade. Além de ser hereditária.

Outra característica é paciente apresentarem a aura. Ou seja, sinais neurológicos que precedem o início da crise. Em suma, são pontos brilhantes ou raios luminosos na vista. Além de formigamento em regiões do corpo, fraqueza muscular, perda parcial da visão e alteração na fala. O que pode assustar pacientes em meio à crise de enxaqueca. Pois, os sintomas lembram um AVC. Contudo, a diferença é que a aura dura em média 20 minutos, desaparecendo espontaneamente logo quando a dor se inicia.

Em casos raros, pode causar a síndrome dos vômitos cíclicos. Em suma, com episódios que podem se repetir 3 a 4 vezes por ano. Que costumam durar entre 3 a 6 dias. Dependendo do caso, é preciso internar o paciente para a hidratação e correção de distúrbios hidreletrolíticos. Enfim, as crises de enxaqueca podem ser causadas por estresse, menstruação, fome, exercícios, anticoncepcionais, perfume, fumaça, refrigerante ou alimentos com nitritos, aspartanos, tiramina ou glutamato.

Enfim, enxaqueca não tem cura, mas pode ser remediada com o uso de analgésicos, anti-inflamatórios, antieméticos (para náuseas ou vômitos) e repouso. Quanto ao diagnóstico, ele é clínico, feito pelo médico.

Continua após a publicidade

3 – Cefaleia em salvas

Cukiert

Um dos tipos de dores de cabeça mais raros é a cefaleia em salvas (ciclos de crises). Sendo que sua ocorrência é mais comum em homens. Em suma, é uma dor muito forte e incapacitante. Portanto, mais forte do que a enxaqueca. Normalmente, atinge apenas um lado da face e o olho causando lacrimejamento e vermelhidão. Também pode entupir o lado do nariz, provocando coriza e inchaço da pálpebra.

Na maior parte das vezes surge durante o sono, podendo repetir durante todo o dia. Podendo durar por várias semanas, intercalando por períodos assintomáticos. Que podem durar de meses a anos. Geralmente, a crise pode durar de 30 minutos a 3 horas.

Ademais, a cefaleia em salvas não tem cura. E, tão pouco os tratamentos aliviam os sintomas. Apenas diminuem a sua duração. Dessa forma, os remédios mais usados são anti-inflamatórios não esteroides e analgésicos fortes. Por exemplo, opioides e máscara de oxigênio a 100% nos momentos de crise.

Por fim, a cefaleia em salvas pode ter várias causas. Desde lesões a alterações hormonais. Sendo que o consumo de álcool e cigarro podem piorar os sintomas. Todavia, o ideal é procurar por orientação médica.

Continua após a publicidade

4 – Cefaleia cervicogênica

Nossa Saúde

Esse tipo de dor de cabeça tem como sua característica principal à alteração cervical. Ou seja, alterações na região da nuca ou pescoço. Que podem ter sua origem em problemas posturais e torcicolos. Ou até mesmo em uma doença na região. Por exemplo, hérnia de disco e osteoartrose. Pois, esses problemas tendem a sobrecarregar a região da nuca, pescoço e ombros. Dessa forma, causando a contração muscular e, consequentemente, a dor de cabeça.

Outro fator que pode causar a cefaleia cervicogênica é a tensão muscular gerada por estresse, preocupação e ansiedade. Por fim, o tratamento deve ser feito de acordo com a origem da dor.

5 – Dor de cabeça relacionado à sinusite

Tua Saúde

A sinusite é uma inflamação dos seios nasais. Causando dor de cabeça ou na face, piorando ao abaixar a cabeça. Em suma, a sinusite pode ser causada por vírus, bactéria ou por elementos alérgenos. Ademais, outros sintomas para esse tipo de dor de cabeça é dor ao redor do nariz e olhos, corrimento e congestão nasal, tosse, febre e mau hálito.

Quanto ao tratamento, ele deve ser feito combatendo diretamente a sinusite. Portanto, podem ser usados remédios anti-histamínicos. Como a loratadina ou cetirizina, por exemplo. Além de descongestionantes como a fenilefrina e analgésicos. No entanto, em casos mais graves, como uma infecção por bactéria, pode ser necessário o uso de antibióticos. Por isso, é importante procurar por orientação médica, para que ele possa identificar a origem do problema. Afinal, caso não determine a origem, se automedicar não surtirá efeito algum.

Continua após a publicidade

Tipos de dores de cabeça: quando é um sinal de alerta

Receita de Vida

Alguns tipos de dores de cabeça podem significar que algo não está certo no corpo. Assim como a ocorrência de alguma doença. Por isso, fique atento aos seguintes sinais:

  • Início súbito – dores de cabeças que tem início abrupto, atingindo alta intensidade em poucos segundo. Podem indicar rotura de aneurisma ou trombose venosa. No entanto, é importante não confundir com a cefaleia em salvas.
  • Dor de cabeça mais forte já sentida – se o paciente afirma que está sentindo a pior dor de cabeça de sua vida. Ou uma dor diferente do que já sentiu antes. Pode ser indícios de hemorragias e infecções. Sendo que, em pacientes com câncer, AIDS e imunossuprimidos uma crise assim é mais preocupante.
  • Infecções concomitantes – pacientes com quadros de sinusite, otite, infecções de pele na face apresentam um risco maior de desenvolver abscessos cerebrais e meningite. Da mesma forma, infecções após implantação de piercings.
  • Febre – dores de cabeça intensa acompanhada por febre sem causa definida, principalmente seguido de rigidez na nuca, pode indicar meningite. Entretanto, vale lembrar que a febre por si só pode causar febre. Assim, como gripe e resfriados.
  • Medicações – medicamentos como corticoides com anticoagulantes, que facilitam infecções podem provocar sangramentos.
  • Alteração do estado de consciência – doentes que entram em coma podem apresentar crises convulsivas, desorientação ou déficits neurológicos. Nesses casos, o paciente deve ser levado imediatamente para a emergência.
  • Trauma – traumatismos podem causar dores de cabeça. Portanto, é importante que um especialista avalie. Principalmente, em idosos, devido ao risco de hemorragias intracranianas. Além disso, em alguns casos o paciente pode desenvolver dores de cabeça crônicas.

Procure um médico

MD Saúde

Enfim, qualquer tipo de dores de cabeça que seja persistente. E, recorrente, deve ser analisado por um especialista. Pois, ele poderá fazer um diagnóstico mais preciso. Assim como indicar o tratamento mais adequado.

Então, se você gostou dessa matéria, também pode gostar dessa: Enxaqueca: sintomas, fatores que a desencadeiam e como tratá-la.

Fontes: Cukiert; Tua Saúde; MD Saúde; Med Prev;

Continua após a publicidade

Imagens: Atend Já; Nossa Saúde; Receita da Vida; Hospital de Olhos;

Próxima página »

Escolhidas para você