História

Vlad, o Empalador: o governante romeno que inspirou o Conde Drácula

Acredita-se que o Drácula de Bram Stoker tenha sido baseado no príncipe da Valáquia (atual Romênia), Vlad III; saiba tudo sobre ele.

Vlad III, Príncipe da Valáquia, membro da Casa de Drăculești, e conhecido como Vlad, o Empalador, foi a inspiração para o mundialmente famoso romance Drácula do autor irlandês Bram Stoker, publicado em 1897.

Em suma, Vlad III é famoso pelas punições brutais que ele aplicava a seus inimigos e a qualquer um que considerasse uma ameaça ou aborrecimento.

Vlad III nasceu em novembro ou dezembro de 1431 na Transilvânia na corte romena. Na época, havia turbulência constante entre a Hungria e o Império Otomano (atual Turquia), e as dispustas pelo poder eram abundantes entre as famílias reais.

O pai de Vlad (Vlad II) ganhou o controle da Valáquia (atual Romênia) e subiu ao trono. Durante este período de agitação política, Vlad III e seus dois irmãos, Mircea (seu irmão mais velho) e Radu (seu irmão mais novo), foram criados para serem guerreiros. Saiba mais sobre essa história abaixo.

Continua após a publicidade

Como foi a vida de Vlad?

Quando tinha 11 anos, Vlad III viajou com seu irmão Radu, de 7 anos, e seu pai para negociar um acordo com os otomanos para apoio militar. Ao chegarem à corte turca, foram imediatamente detidos e presos.

Seu pai concordou em deixar seus 2 filhos para trás como prisioneiros políticos por um período de tempo indefinido como um esforço de boa fé para garantir sua lealdade.

Os meninos foram mantidos em cativeiro por cinco anos, durante os quais Radu se adaptou à sua nova vida e à cultura otomana, mas Vlad III se rebelou contra seu confinamento. Por sua vez, ele recebeu repetidas punições por meio de espancamentos dos guardas.

Continua após a publicidade

Com efeito, os irmãos deram testemunho de execuções de prisioneiros, incluindo a prática de enforcamento. Especula-se que o abuso físico e mental que Vlad sofreu durante esse período fez muito para transformá-lo no homem que ele se tornaria.

Seu pai não manteve sua palavra com os otomanos, e mais batalhas se seguiram. O palácio da família na Valáquia foi atacado e a mãe, o pai e o irmão mais velho de Vlad foram mortos.

Logo depois, o sultão turco libertou Vlad III e Radu e ofereceu a Vlad III um posto na cavalaria. Ele escapou da Turquia, vingou a morte de sua família e reivindicou o trono da Valáquia.

O que ele fez ao conquistar o trono?

Vlad, o Empalador: conheça o governante romeno que inspirou o Conde Drácula

Continua após a publicidade

O que se seguiu foram 29 reinados separados de 11 governantes separados, de 1418 a 1476, incluindo Vlad III três vezes. Foi a partir desse caos, e de uma colcha de retalhos de facções locais, que Vlad buscou primeiro o trono e depois estabelecer um estado forte através de ações ousadas e terror absoluto.

Houve uma vitória temporária em 1448, quando Vlad aproveitou uma cruzada anti-otomana recentemente derrotada e sua captura de Hunyadi para tomar o trono da Valáquia com apoio otomano. No entanto, Vladislav II logo retornou da cruzada e forçou Vlad a sair.

Desse modo, levou quase mais uma década para Vlad tomar o trono como Vlad III em 1456. Há pouca informação sobre o que exatamente aconteceu durante esse período, mas Vlad foi dos otomanos à Moldávia, à paz com Hunyadi, à Transilvânia, de ida e volta.

Como Vlad conseguiu a fama de Empalador?

Continua após a publicidade

Ao conquistar o trono, ele passou a acertar as contas com os seus inimigos e ganhou sua reputação como Vlad, o Empalador, criando um legado de assassinar homens, mulheres e crianças.

Empalamento é uma forma verdadeiramente horrível de tortura e morte. A vítima ainda vivo é perfurado por um poste de madeira ou de metal que é introduzido nas partes íntimas até que ele sai do pescoço, ombro, ou boca.

Os polos muitas vezes tinham bordas arredondadas para evitar danos aos principais órgãos internos, a fim de prolongar a agonia da vítima como o polo foi levantada e plantadas para deixá-los em exposição.

Vlad matou inimigos em massa, espetando vítimas em uma floresta de picos em torno de seu castelo como uma mensagem para o seu povo do que o seu destino seria se eles não obedecessem.

Continua após a publicidade

Como ele morreu?

Vlad, o Empalador: conheça o governante romeno que inspirou o Conde Drácula

Vlad III morreu na batalha contra os otomanos no inverno de 1476-1477 perto de Bucareste. Ele foi decapitado e sua cabeça foi levada para Constantinopla, onde foi exposta como prova de que Vlad, o Empalador, estava morto.

Hoje, há romenos que argumentam que esse assassino em massa era de fato um herói nacional. Estátuas em sua homenagem em seu local de nascimento, e seu local de descanso é visto como sagrado para muitos.

Como Vlad III inspirou o Conde Drácula?

Vlad, o Empalador: conheça o governante romeno que inspirou o Conde Drácula

Continua após a publicidade
Continua após a publicidade

Embora Vlad Drácula fosse um dos governantes mais famosos da Valáquia, muitos dos habitantes das aldeias ao redor de seus castelos medievais temiam que ele fosse realmente uma criatura aterrorizante e sugadora de sangue. Esse medo perdurou ao longo dos tempos e conseguiu colocá-lo nas mentes de muitas gerações como um personagem altamente controverso chamado Conde Drácula .

Portanto, acredita-se que, por este motivo, Bram Stoker baseou o personagem-título de seu ‘Drácula’ de 1897 em Vlad, o Empalador; apesar dos dois personagens terem pouco em comum.

Aliás, embora não haja evidências concretas para apoiar essa teoria, os historiadores especulam que as conversas de Stoker com o historiador Hermann Bamburger podem ter ajudado a fornecer informações sobre a natureza de Vlad.

Por fim, apesar da infame sede de sangue de Vlad, o romance de Stoker foi o primeiro a fazer a conexão entre Drácula e vampirismo.

Continua após a publicidade

Por que o nome ‘Drácula’?

O nome de Drácula tem sua origem no nome de seu pai, Vlad Dracul, também conhecido como Vlad the Dragon, nome que recebeu após se tornar membro da Ordem do Dragão.

Drácula é a forma genitiva eslava da palavra Dracul (Dragão), e significa Filho do Dragão. Aliás, na Romênia moderna, drac significa “diabo” , e isso contribuiu para a reputação infame de Vlad III.

Quanto à inspiração para o Castelo do Drácula, as coisas não são tão claras. Muitos acreditam que o castelo medieval de Bram desempenhou um papel importante, enquanto outros argumentam que foi realmente o castelo Poenari que inspirou Bram Stoker.

Continua após a publicidade

Entretanto, a verdade é que a maioria das pessoas concorda que a principal fonte de inspiração para o Castelo de Drácula foi o Castelo de New Slains, na Escócia.

Apesar disso, o Castelo de Bran foi amplamente visto como sendo o verdadeiro Castelo de Drácula e, assim, a Transilvânia se tornou o lar dos vampiros que todos nós amamos (ou tememos) hoje.

E enquanto os vampiros podem não ser reais, uma coisa é certa. O Drácula de Stoker tornou-se uma das imagens mais representativas do rico e autêntico folclore romeno, um verdadeiro embaixador de todos os vampiros dos Cárpatos, um vampiro romeno com raízes irlandesas.

10 curiosidades sobre Vlad, o Empalador

Vlad, o Empalador: conheça o governante romeno que inspirou o Conde Drácula

Continua após a publicidade

1. Vlad recebeu o nome de “Tepes”, que significa “empalador” em romeno. Ele também era famoso entre os turcos como Kazikli Bey, que significa “Senhor Empalador”.

2. Uma das táticas militares favoritas de Vlad era emboscar o inimigo com ataques relâmpagos a cavalo, empalar soldados inimigos e sair da batalha o mais rápido possível. Ele fez isso para compensar seu exército menor e recursos limitados.

3. Vlad possuía um senso de humor mórbido. Depois de ser empalado, suas vítimas costumavam se contorcer enquanto morriam. De acordo com um relato, Vlad disse uma vez: “Oh, que grande graciosidade eles exibem!”

4. Quando um de seus soldados desrespeitosamente cobriu o nariz por causa do fedor dos cadáveres em decomposição, Vlad o empalou também.

Continua após a publicidade

5. Quando criança, enquanto o irmão de Vlad, Radu, se adaptava facilmente à vida entre os otomanos, Vlad era frequentemente chicoteado por seus captores por ser teimoso e rude.

Outras curiosidades sobre ele

Vlad, o Empalador: conheça o governante romeno que inspirou o Conde Drácula

6. Segundo os historiadores, Vlad se envolveu em guerra psicológica. Empalar era uma forma de aterrorizar e afugentar potenciais invasores.

7. Depois de incendiar uma fortaleza otomana em 1461, Vlad supostamente apresentou cerca de 24.000 cabeças turcas e búlgaras aos oficiais.

Continua após a publicidade

8. De acordo com o manuscrito do século XV, Vlad promoveu um ritual sangrento na hora do jantar. Ele convidava algumas pessoas para jantar em sua mansão, dava a elas um banquete e depois as empalava na mesa de jantar. Ele então terminava seu jantar, molhando seu pão no sangue acumulado das vítimas.

9. Estima-se que em sua vida, Vlad foi responsável por 100.000 mortes, principalmente de turcos. Isso o torna o inimigo mais brutal que o Império Otomano já enfrentou.

10. Por fim, na Romênia, Vlad é um herói nacional e muito reverenciado. Ninguém ignora sua crueldade, mas ela é vista como necessária no momento para manter seu poder e repelir seus inimigos.

Então, gostou de saber mais sobre a origem do ‘Conde Drácula’? Pois, leia a seguir: Filmes de terror antigos – 35 produções imperdíveis para fãs do gênero

Continua após a publicidade

Próxima página »

Escolhidas para você