9 alimentos que podem sumir devido ao aquecimento global

Por incrível que pareça, a influência do homem na produção de alimentos, como legumes e frutas já foi positiva e garantiu à nós uma alimentação mais saudável e mais gostosa. Hoje em dia, no entanto, nossa influência no mundo é ameaçadora, tanto que o atual nível do aquecimento global pode tirar para sempre de nossas mesas alguns alimentos.

E olha que essa não é uma previsão para os séculos seguintes. Na verdade, o aumento da temperatura em todo o mundo está destruindo gradativamente plantações de inúmeras variedades de alimentos, desde os grãos e cereais, até as injustiçadas abóboras. Dá para acreditar?

Alguns alimentos, segundo os cientistas, podem desaparecer em questão de 20 ou 3o anos. Outros, no entanto, podem se tornar artigos de luxo, que somente ricos poderão adquirir, em um intervalo ainda menor de tempo.

Agora, se você acha que viver no Brasil, tropical e fértil como só esse país sabe ser, livra você das consequências dessas “catástrofes”, acredite, você está redondamente enganado. Ninguém está livre do sumiço de alguns alimentos e de seus tão consumidos derivados. Quer ver?

Veja os alimentos que vão sumir devido ao aquecimento global:

9. Abóboras

1

Não que alguém, um dia, chore a falta de abóboras, especialmente frente aos outros alimentos que também podem sumir devido ao aquecimento global; mas a verdade é que as colheitas desse vegetal estão cada vez menores.

Empresas líderes deste mercado já começaram a sentir os impactos nas plantações em 2015, especialmente no estado de Illinois, nos Estados Unidos, que registrou queda de 10% frente ao volume que estavam acostumados nos últimos 100 anos.

8. Manteiga de amendoim

7

Sim, a manteiga de amendoim, um dos itens que todo norte-americano tem na cozinha; e que vem ganhando o mundo, especialmente pelo aumento da pegada fitness; também está fadada ao desaparecimento devido ao aquecimento global. Mas isso vai acontecer porque o próprio amendoim pode estar se extinguindo do planeta… o que é muito mais sério, aliás.

8

As plantações de amendoins, por si só, já são sensíveis. Com o clima cada vez mais louco e desregulado, então, é possível que cada vez menos amendoim possa ser comercializado.

Conforme os cientistas, existe até mesmo uma previsão para a completa extinção do amendoim, e de tudo o mais que possa ser feito com ele (inclusive nossa amada paçoquinha), chegue no ano de 2018. Isso, claro, se até lá não conseguirem desenvolver sementes mais resistentes às intempéries climáticas.

7. Salmão

11

Outro alimento que o aquecimento global coloca em risco é o salmão, bem como muitos outros seres marinhos. De acordo com quem entende do assunto, o sumiço desse peixe pode vir devido ao aumento das temperaturas das águas dos mares e oceanos, fator que altera diretamente o ciclo reprodutivo da espécie.

Isso, claro, sem contar que as mudanças climáticas estão deixando o alimento para o salmão mais escasso. Como as águas dos mares estão mais ácidas, está cada vez mais comprometida a formação dos cascos dos pequenos moluscos que servem de comida ao salmão.

6. Mel

jar of honey, honeycombs and wooden drizzler on yellow background

Nem mesmo o “ouro doce e líquido”, produzido pelas abelhas, deve escapar ileso ao aquecimento global. O fenômeno, associado à poluição e ao uso de defensivos agrícolas, está comprometendo as colônias de abelhas, especialmente, na Europa, na América do Norte, na África e na Ásia; fazendo com que boa parte desses insetos sumam do mapa.

5. Arroz

10

Começou a ficar preocupado, não é mesmo? E não é para menos. Somente nos últimos 25 anos, as colheitas de arroz, em alguns locais do mundo, já caíram entre 10% e 20%.

Nos países em que o problema foi detectado, como na Tailândia, no Vietnã, na Índia e na China; ele estava diretamente relacionado ao aumento da temperatura, especialmente durante as noites. Conforme pesquisadores, quando a planta do arroz precisa gastar mais energia tentando “respirar” em noites abafadas, sua capacidade de fotossíntese acaba ficando comprometida.

4. Uísque

13

Acredita que o aquecimento global vai ser capaz de detonar até mesmo a produção de uísque? As mudanças climáticas, aliás, já estão afetando o maior produtor mundial da bebida, a Escócia. Isso porque a produção de cereais está comprometida, bem como a disponibilidade de água; além do fornecimento do uísque estar cada vez mais comprometido pelos invernos rigorosos da região.

3. Cerveja

6

Sim, você já pode começar a chorar. Considerada uma das bebidas mais consumidas em todo o mundo, além de ser uma das mais antigas já registradas, a cerveja está com os dias contados porque o aquecimento global está prejudicando, e muito, as plantações de lúpulo. Isso, claro, sem contar com a menor disponibilidade de água potável no mundo.

O problema é tão ameaçador que mais de 40 cervejarias assinaram, em 2015, uma declaração do clima, solicitando políticas climáticas mais rígidas em todo o planeta.

Mas, no caso da cerveja, ainda resta uma esperança: o uso de milho transgênico na produção. E, embora muita gente torça o nariz para essa opção, o melhor mesmo é ir se acostumando com a ideia ou aceitar o fim da cervejinha gelada por volta de 2032.

2. Café

2

Sim, o elixir da vida pode estar comprometido pelo aquecimento global! Embora essa influência do clima possa demorar um pouco mais aqui, devido às inúmeras variedades de cafés, adaptados à diversas regiões do mundo; a verdade é que um belo dia a bebida também se tornará escassa.

Pesquisadores explicam que as temperaturas cada vez mais altas estão deixando os fungos nocivos às plantas do café mais resistentes. Isso, sem contar que os maiores produtores do mundo, como Índia, Costa Rica e Etiópia já estão produzindo menos desses grãos.

1. Chocolate

3

Que rufem os tambores! Conforme estudos, o consumo do chocolate é cada vez maior em todo o mundo, enquanto a produção de sua matéria-prima, o cacau, reduz todos os anos devido às intempéries climáticas.

Mas o aquecimento global não é o único fator que está comprometendo a sobrevivência do chocolate em nossa sociedade. Até mesmo o terrorismos, desastres tropicais e baixa expectativa de vida nos principais países produtores de cacau, como Costa do Marfim, Gana e Indonésia; estão tornando a existência do chocolate cada vez mais difícil. Isso, claro, sem contar que o solo desses lugares já está pobre, devido às sucessivas plantações da fruta.

Sierra Exif JPEG

E embora a ciência já esteja trabalhando na questão, para melhorar a adaptação do cacau em outras regiões do planeta, a verdade é que o preço do chocolate já deve aumentar exorbitantemente nos próximos 10 anos. Muitos acreditam que ele se tornará tão caro quanto na época em que surgiu, e se torne uma iguaria apenas para os mais abastados.

Bom, então é isso: corram todos para as colinas (e façam estoques)!

E, se o você achou esse assunto polêmico, espere até você ler: 10 alimentos que viciam mais que cocaína.

Fontes: Exame e R7