Mundo Animal

Este é o animal mais antigo conhecido, com 558 milhões de anos

Em setembro de 2018, uma equipe de pesquisadores afirmou ter descoberto que o fóssil de Dickinsonia é o animal mais antigo do mundo.

Se, para responder essa pergunta, você pensou nas tartarugas ou em qualquer bicho realmente cascudo e com cara de pré-história ou mesmo naquela salamandra de 200 anos, acredite, você está completamente enganado. O animal mais antigo do mundo, só agora teve sua verdadeira idade descoberta pelos cientistas.

Em suma, o fóssil data de 558 milhões de anos. Pesquisadores conseguiram extrair a gordura do colesterol – uma marca registrada da vida animal – de um fóssil particularmente bem preservado de uma criatura conhecida como Dickinsonia. Aliás, ele foi encontrado perto do Mar Branco, no noroeste da Rússia.

A criatura de formato oval, que tinha segmentos semelhantes a costelas ao longo de seu corpo e cresceu até 1,4 metro de comprimento, pertence a um grupo de organismos conhecido como biota ediacarana que viveu na Terra de 635 a 540 milhões de anos atrás.

Essas formas de vida particulares até agora escaparam da classificação, pois os cientistas ficaram perplexos com seu lugar na árvore evolutiva.

Continua após a publicidade

Mas a última descoberta os coloca firmemente dentro do reino animal e data a presença de animais na Terra 20 milhões de anos antes do que se pensava anteriormente.

O que se sabe sobre o animal mais antigo do mundo?

Este é o animal mais antigo conhecido, com 558 milhões de anos

Continua após a publicidade

Dicksonia datam do período Ediacarano, que antecede a chamada “explosão cambriana” em 20 milhões de anos. Foi durante o período cambriano que se pensou que animais complexos – como vermes e moluscos – surgiram.

A nova análise, no entanto, mostra que animais genuínos, e não apenas plantas, fungos e bactérias unicelulares, já estavam bem estabelecidos.

Continua após a publicidade

Dicksonia não era de forma alguma uma criatura minúscula. Achatada pelo processo de fossilização, apresenta-se aproximadamente oval, com um grande número de estrias finas irradiando de cada lado de uma linha central claramente visível.

A espécie foi descoberta há cerca de 75 anos. A maioria dos exemplares, no entanto, foram descobertos nos leitos fósseis da Austrália conhecidos como Ediacara Hills (da qual o período deriva seu nome) e foram mal preservados.

6 curiosidades sobre o fóssil de Dickinsonia

1. Dickinsonia é um gênero extinto de animais basais que viveu durante o final do período Ediacarano no que hoje é a Austrália, Rússia e Ucrânia.

Continua após a publicidade

2. Animais basais são animais que possuem simetria radial em seus planos corporais. Eles têm corpos muito simples e tendem a ser diploblásticos (derivam de apenas duas camadas de células embrionárias).

3. Pensadas para representar o florescimento mais antigo de vida multicelular complexa em nosso planeta, essas criaturas surgiram em um mundo desprovido de predadores e não precisavam de carapaças ou esqueletos protetores rígidos.

4. Seus corpos macios e macios pareciam tubos, folhas ou até mesmo travesseiros finos e acolchoados, eles tinham pouca semelhança com a anatomia dos animais de hoje.

5. Suas afinidades são atualmente desconhecidas, seu modo de crescimento é consistente com uma afinidade bilateriana de grupo-tronco, embora alguns tenham sugerido que ele pertence aos fungos ou mesmo a um “reino extinto”.

Continua após a publicidade

6. A descoberta de moléculas de colesterol em fósseis de Dickinsonia dá suporte à ideia de que Dickinsonia era um animal.

Esponja do mar pode ser o animal mais antigo do mundo, segundo o MIT

De acordo com pesquisadores do MIT, nos Estados Unidos, outra criatura que está por aqui há muito tempo é, nada menos, que a esponja do mar. Dá para acreditar?

Antes do estudo que permitiu esse olhar mais atento às esponjas do mar, que já estavam por aqui há 640 milhões de anos; a comunidade científica acreditava que o animal mais antigo do mundo era um ctenóforo chamado a água-viva-de-pente ou carambola-do-mar.

Continua após a publicidade

O problema é que esses seres, embora muito antigos, só surgiram milhões de anos depois das esponjas do mar. Os cientistas puderam concluir isso quando identificaram uma espécie de colesterol, o 24-isopropilcolestano, que só é liberado pelas esponjas do mar; nas rochas do período Criogeniano, quando a Terra estava coberta de neve.

Para quem não sabe, esse tal período ocorreu entre 850 milhões e 630 milhões de anos. Isso que indica que elas, as esponjas do mar, têm pelo menos 250 milhões de anos a mais do que costumávamos acreditar.

Características da esponja do mar

Este é o animal mais antigo conhecido, com 558 milhões de anos

Mas, se você espera que as esponjas do mar tenham parecidas com o famoso Bob Esponja, você está prestes a sofrer a maior decepção de sua vida! Elas são seres muito mais complexos e surpreendentes e estão longe de parecer com o tal personagem amarelo do desenho animado.

Continua após a publicidade

Para começar, o que torna este outro animal antigo tão interessante é o fato dele se parecer com uma planta, mas ser um animal. Isso, sem contar que, embora seja formado pela união de várias células, ou seja, se trata de um organismo multicelular; as esponjas do mar não contam com tecido muscular, nervos ou órgãos. Além disso, sua reprodução é sexuada!

E, mesmo se tratando de uma das criaturas mais primitivas do planeta, os cientistas já conseguiram catalogar mais de 5 mil espécies diferentes desses seres. Todas elas, aliás, sem a menor simetria corporal, com cores e tamanhos tão variados quando díspares, variando de milímetros a metros.

Interessante, não? Então agora que você já conhece o animal mais antigo do mundo, que tal conferir também estes 18 animais híbridos incríveis que você precisa conhecer?

Fontes: All That Is Interesting, MITMega Curioso

Continua após a publicidade

Próxima página »

Escolhidas para você