Caixa de Pandora: o que é e significado do mito

O mito da Caixa da Pandora conta a origem de todos os males, dores e sofrimentos da humanidade, assim como da esperança; saiba mais!

Caixa de Pandora: o que é e significado do mito

Pandora foi uma figura da mitologia grega, conhecida por ser a primeira mulher criada a mando de Zeus, o rei dos deuses. De acordo com a lenda, Zeus presenteou Pandora com uma caixa contendo todos os males do mundo e a advertiu para que ela nunca a abrisse. No entanto, movida pela curiosidade, Pandora acabou abrindo a caixa, liberando assim todos os males e desgraças para a humanidade.

Além disso, há diferentes versões sobre a criação de Pandora. Numa delas, quem a criou foi Hefesto, o deus do fogo e da metalurgia, a pedido de Zeus. Em outra versão, ela é filha de Prometeu e foi criada para se vingar dos deuses.

Independentemente da versão, Pandora acabou se tornando um símbolo da curiosidade humana e da consequência de nossas ações. A expressão “caixa de Pandora” se refere a uma situação ou problema que, uma vez aberta, pode ter consequências imprevisíveis ou indesejadas.

Praticamente todas as mitologias da história buscam explicar tudo o que existe no mundo. Para justificar doenças, ódio e guerras, por exemplo, os gregos desenvolveram o mito da Caixa de Pandora.

Continua após a publicidade

A história é um mito de origem que tenta explicar a existência das coisas ruins que assolam a humanidade. Além disso, os gregos utilizavam o mito para mostrar como a curiosidade também pode ser negativa, se utilizada sem cautela.

O mito da Caixa de Pandora tem início numa era em que os mortais ainda não eram existiam. Dessa maneira, entre deuses e titãs, a história começa com Zeus, Prometeu e Epimeteu.

Continua após a publicidade

Resumo da Caixa de Pandora

  • Pandora foi a primeira mulher a ser criada, segundo a mitologia grega;
  • Pandora foi criada por Hefesto, por um pedido de Zeus, e recebeu dons de outros deuses gregos;
  • Hesíodo comenta o mito em Teogonia e Os trabalhos e os dias;
  • Zeus a criou com o objetivo de se vingar da humanidade e do titã Prometeu, por este ter roubado o fogo dos deuses;
  • Ela se casou com Epimeteu, irmão de Prometeu, e abriu a caixa que continha os males do mundo.

Mito da Caixa de Pandora

Depois de criar Pandora, o deus (Zeus ou Hefesto, conforme a versão) enviou a mulher para se casar com Epimeteu. Junto da esposa, ele recebeu uma caixa com vários males. Ainda que Epimeteu não soubesse o que a caixa guardava, recebeu a orientação de nunca abri-la. Em algumas histórias, a Caixa de Pandora era guardada por duas gralhas barulhentas.

Pandora abriu a caixa porque foi movida pela curiosidade. Ela não conseguiu resistir à tentação, liberando assim todos os males e desgraças para a humanidade.

Continua após a publicidade

Alguns relatos mitológicos sugerem que Pandora abriu a caixa induzida por meio de truques ou artimanhas de Hermes ou outro deus.

Porém, em geral, a explicação mais comum é que a curiosidade foi o que motivou Pandora a abrir a caixa, demonstrando assim uma característica humana universal: o desejo de explorar o desconhecido.

Utilizando sua beleza natural, Pandora convenceu Epimeteu a se livrar das gralhas. Logo após, ela se deitou com o marido e esperou que ele dormisse. Aproveitando a falta de proteção da caixa, Pandora abriu o presente.

Assim que a Caixa de Pandora foi aberta, saíram dali coisas como ganância, inveja, ódio, dor, doença, fome, pobreza, guerra e morte. Assustada, ela fechou a caixa.

Continua após a publicidade

Apesar disso, algo ainda havia ficado lá dentro. Uma voz vinha da caixa, suplicando pela liberdade, e o casal decidiu abri-la novamente. Isso porque acreditavam que nada poderia ser pior do que tudo que já havia escapado.

Esperança

O que restava lá dentro, entretanto, era a esperança. Dessa forma, além de liberar a dor e sofrimento do mundo, Pandora também liberou a esperança que permitia enfrentar cada um dos males.

Em algumas interpretações, o mito também é responsável pelo ditado “a esperança é a última que morre”.

Por outro lado, outras garantem que a Caixa de Pandora não foi aberta uma segunda vez e a esperança continua guardada.

Continua após a publicidade

Uma curiosidade é que a “Caixa de Pandora” não era bem uma caixa. Era mais uma espécie de jarro, ou vaso. No entanto, por erros de traduções ao longo dos séculos, foi assim que o recipiente ficou conhecido.

Qual é o significado do mito?

O mito de Pandora tem vários significados e interpretações, mas em geral, ele é uma alegoria sobre as consequências de nossas ações e escolhas. Ao abrir a caixa, Pandora libertou todos os males e desgraças do mundo, mostrando que nossas ações podem ter consequências imprevisíveis e indesejáveis.

Além disso, o mito de Pandora também é uma reflexão sobre a curiosidade humana e a busca por conhecimento. Por mais que a curiosidade seja uma característica natural do ser humano, o mito sugere que a curiosidade desmedida pode levar a consequências desastrosas.

Por fim, o mito de Pandora também pode ser interpretado como uma crítica à condição feminina na sociedade grega antiga.

Continua após a publicidade

Fontes: Hiper Cultura, Toda Matéria, Brasil Escola

Outras postagens