Curiosidades

Cinofobia, o que é? Principais causas, sintomas e tratamento

A cinofobia é uma doença psicológica que, assim como outras fobias, causa ansiedade e um grande medo irracional de cachorros.

Grande parte da população sofre com algum tipo de fobia. Em síntese, é uma perturbação da ansiedade que tem como característica o medo ou aversão irracional, que pode ser por uma situação, um animal ou objeto. Existem inúmeros tipos de fobias, sendo a cinofobia  uma das mais comuns.

A cinofobia, ou fobia de cachorros, é caracterizada como um medo irracional e incontrolável de cão, independente se ele apresenta perigo real ou não.

Apesar de não ser uma fobia tão popular como o medo de aranhas, medo de altura ou de lugar fechado, a cinofobia deve ser levada a sério. Uma pessoa que sofre dessa fobia, pode ter sua vida social, familiar e/ou profissional prejudicada pelo medo excessivo de cachorros.

Afinal, no dia a dia, ela pode se deparar com um cachorro a qualquer momento. Portanto, a cinofobia não pode ser considerada uma frescura ou mania. Pois a pessoa com essa condição sofre muito com. Sobretudo, em alguns casos, pode desencadear sintomas mais graves como, taquicardia e desmaio.

O que é cinofobia?

Imagem: Exenim

Como já foi dito anteriormente, a cinofobia é a fobia de cachorros, ou seja, medo ou aversão irracional e incontrolável de um cachorro, mesmo que não apresente perigo real. Também é conhecida como medo mórbido ou aversão a cães.

Por exemplo, é natural ter receio ou medo quando, ao se deparar com um cachorro de grande porte, ele rosnar ou investir contra você.

Continua após a publicidade

Mas, se ao invés de um cachorro de grande porte, for um pequeno e amigável, que só quer brincar com você? Se mesmo nessa situação – a não ser que seja um Chihuahua, nesse caso certamente qualquer um terá medo -, você tiver um medo incontrolável e não conseguir se aproximar do cão, então, trata-se de cinofobia.

chihuahua gifs | WiffleGif

Pessoas com cinofobia sentem um medo tão grande que, ao se deparar com um cachorro, fazem de tudo para ficar o mais longe possível. Isso acontece porque, para a pessoa, todo cão é tido como uma ameaça. Ou seja, nenhum cão é confiável, e poderá lhe fazer mal a qualquer momento.

Portanto, a cinofobia é um problema psicológico que precisa de atenção e tratamento psicológico.

Causas da fobia

Imagem: Cachorro de raça

Geralmente a cinofobia é causada devido a algum trauma vivido pela pessoa, como um ataque sofrido ou presenciado, por exemplo. De acordo com psicólogos, até mesmo ataques onde não envolvem mordidas ou ferimentos, podem ajudar no desenvolvimento da cinofobia.

Inclusive, há casos de pessoas que nunca sofreram um ataque de algum cão, mas sempre tiveram um grande medo de cachorros em geral.

Continua após a publicidade

Outra possível causa é a indução ao medo. Por exemplo, os pais que por medo de seus filhos machucarem, incutem o medo do risco em se aproximar ou fazer carícias no animal. No futuro dessa criança, certamente pode haver o desenvolvimento da fobia por cachorros. As constantes notícias divulgadas pela mídia, de ataques de cachorros, também podem causar o medo de cães.

Para pessoas com cinofobia, apenas o som de rosnados, já é suficiente para desencadear os sintomas da fobia.

Sintomas

Imagem: Portal do Dog

Assim como qualquer fobia, a cinofobia eleva o nível de ansiedade de tal forma que a pessoa se sente ansiosa e assustada, o que pode provocar sintomas físicos e psicológicos.

Entre os sintomas físicos, estão:

  • Tonturas, desorientação
  • Desmaios
  • Sudorese
  • Agitação e tremores
  • Náuseas e desconforto gastrointestinal
  • Boca seca, falta de ar ou dificuldade em engolir
  • Paralisação do corpo
  • Necessidade de fugir da presença do animal
  • Crise de choro
  • Taquicardia

Já entre os sintomas psicológicos estão:

  • Pensamentos de morte
  • Sentimento de estar perdendo o controle ou enlouquecendo
  • Não sabe diferenciar realidade do que é irreal
  • Evita qualquer situação que possa se ver diante um cachorro

É importante destacar que a cinofobia é uma doença psicológica, e, portanto, é uma coisa séria e deve ser tratada com psicólogos. Por isso, as pessoas que sofrem com a fobia de cachorros, devem ser respeitadas, tanto por seus medos, quanto por suas limitações. Acima de tudo, nunca devem ser ridicularizadas.

Continua após a publicidade

Tratamento da cinofobia

Imagem: Gang da Mel

Ao fazer o diagnóstico, o profissional analisa a frequência e a intensidade do medo por cães, como também se a ansiedade desencadeia alguns dos sintomas característicos.

Ainda deve ser analisado se o problema interfere no dia a dia e em atividades sociais, familiares ou profissionais. Se sim, então, é um caso de cinofobia.

O tratamento de cinofobia envolve técnicas de terapia, autoajuda ou hipnose, com o objetivo de descobrir o que fez com que a fobia se desenvolvesse.

gif cachorro | Portal de qualidade de vida: Saúde, Beleza, Amor, Dinheiro,  Sucesso

Após descobrir a causa, o psicólogo fará sessões com o objetivo de ajudar na perda do medo irracional por cachorros. Porém, o tratamento é gradual e o avanço difere de pessoa para pessoa.

Em alguns casos, cães adestrados são usados durante a terapia de exposição, onde o paciente fica na presença do cachorro.

Continua após a publicidade

Outra técnica é a de dessensibilização sistemática, criada por Joseph Wolpe, em 1958. O método consiste em induzir o paciente a se imaginar na mesma sala com um cachorro, enquanto pratica técnicas de respiração e relaxamento para reduzir a ansiedade.

É importante lembrar que, essas técnicas devem ser aplicadas por profissionais, e nunca se deve tentar obrigar a pessoa a tentar superar o medo por conta própria. Por exemplo, ficando na presença do cão que lhe causa medo. Pois os efeitos podem ser contrários, o que pode agravar ainda mais os sintomas da cinofobia.

Então, se você gostou dessa matéria, veja também: 9 das fobias mais esquisitas que alguém pode ter no mundo.

Fontes: Petz, Canal do pet, Cachorro gatoPsicoativo.

Imagens: Brasília de FatoExenim, Cachorro de RaçaGang da Mel.

Continua após a publicidade
Próxima página »

Escolhidas para você