Curiosidades

30 deuses da mitologia africana, seus poderes e mistérios

Aqui veremos alguns dos principais deuses africanos cultuados pelas religiões afro-brasileiras com seus nomes e respectivos poderes.

Os povos africanos sempre acreditaram na existência do sobrenatural, antes mesmo que os europeus os colonizassem e apresentassem o cristianismo. Eles acreditavam em um ser natural Supremo que criou o universo. Aliás, a maioria das culturas africanas acredita que Deus costumava viver entre eles no passado antes de partir para o Seu Reino no Céu após várias transgressões humanas. Em seu lugar, Ele designou deuses e deusas africanas para desempenhar certas funções.

Como tal, os povos africanos têm o deus da água, das chuvas, dos ventos, da terra e do fogo, entre outros, a quem podem orar diretamente, e intercederão em nome de Deus. Vamos conhecer os principais deles!

30 deuses da mitologia africana, seus poderes e mistérios

1. Exu

Exu é um orixá famoso e um dos espíritos da mitologia iorubá. Seu espírito aparentemente acompanhou os escravos ao novo mundo; ele continua sendo uma presença importante nas religiões de matriz africana em países como Haiti, Brasil, Cuba e em outros lugares.

Também chamado Elegba, deus trapaceiro doYoruba da Nigéria, é um espírito essencialmente protetor e benevolente que serve Ifa e o deus principal, que serve como mensageiro entre o céu e a terra.

2. Ogum

Esta divindade representa guerreiros, caçadores, ferreiros etc. tem como símbolo principal o ferro. Ele também é conhecido como o deus da transformação e mediação.

Para os seguidores iorubás desta tradição, eles juram dizer a verdade “beijando um pedaço de ferro em seu nome”. Seus outros símbolos primários são um cachorro e folhas de palmeira.

3. Oxóssi

Oxóssi caça com arco e flecha, que dizem estar caçando energias positivas e boas influências. Ele está associado principalmente à caça, florestas, animais, riqueza, sabedoria e astúcia. Os animais sacrificados para os rituais Oxóssi são cabras, porcos cozidos e galinhas-d’angola.

4. Logunedé

Logunedé é tido como andrógeno, patrono dos homossexuais, orixá iorubano, tendo como elemento terra e água dominando rios, cachoeiras e matas. É considerado orixá “métametá”, em ioruba, méta significa “três” e métametá traduz-se a melhor guiza como: três ao mesmo tempo.

Apesar da sua história, é preciso esclarecer que Logunedé não muda de sexo a cada seis meses, ele é um Orixá do sexo masculino. A sua dualidade dá-se à nível de manifestação de energia comportamental, já que em determinadas ocasiões pode ser doce e benevolente como Oxum, e em outras, sério e solitário como Odé.

5. Xangô

De acordo com a língua iorubá é descrito como o terceiro Alaafin do Reino de Oiô. Diz-se que ele se manifesta assim – Agodo, Afonja, Lube e Obomin e com seu popular Axé. Considerado um dos governantes mais poderosos que a terra iorubá já produziu, mas também conhecido por sua raiva.

6. Ajá

É um Orixá feminino que representa a alma da floresta e as criaturas dentro dela, e curandeiros caseiros. Ela é uma defensora das florestas e de todas as criaturas que vivem lá. Além disso, ela é bastante famosa entre as deusas nigerianas e os deuses nigerianos.

7. Obaluaiê

Orixá das doenças, das pragas, da miséria, domina a terra árida e quente, como o calor do sol e do fogo. Conhecido por sua personalidade muito forte, está sempre contra os malfeitores e àqueles que não têm caráter. Aliás, esse deus africano é sempre indispensável dentro de qualquer ritual do candomblé ou outros.

Este orixá tem também um grande poder sobre os eguns (espíritos desencarnados ou ancestrais). Conhece todos os segredos da morte, sendo as vezes confundido com eku (a própria morte). Ele usa também um longo cajado com três cabaças presas, onde carrega todo o segredo da criação.

8. Oxumaré

Deus da mobilidade, cobra-arco-íris (ele é uma serpente em algumas representações), guardião das crianças, lorde das coisas prolongadas e controlador do cordão umbilical.

9. Ossaim

É o orixá das Folhas sagradas, conhece o segredo de todas elas. Junto com Oxóssi, protege as matas e os animais.

10. Oyá ou Iansã

É a deusa dos ventos, raios e tempestades violentas, morte e renascimento. Também conhecida como “mãe de nove”, a história menciona que esse nome surgiu por causa do nascimento de todos os 9 filhos como natimortos, sendo estéril durante toda a vida. Ademais, ela é coroada a Rainha do rio Níger.

11. Oxum

Deusa da divindade, feminilidade, fertilidade, beleza e amor está ligada ao destino e à adivinhação. Aliás, ela é a deusa do rio afiliada ao rio Osun na Nigéria, que tem sua fonte no estado de Ekiti e passa por Osogbo, onde seu santuário Osun-Osogbo está localizado. Além disso, ela está associada às cores branco, amarelo, dourado e às vezes coral.

12. Iemanjá

É o espírito patrono dos oceanos e rios. Diz-se que ela é maternal, forte e protetora enquanto os conforta e limpa da tristeza. Além disso, a fertilidade é considerada um de seus pontos fortes, pois ela cura a infertilidade em mulheres e as conchas de búzios representam sua riqueza.

Sua raiva e temperamento perdido são simbolizados por águas destrutivas, violentas e turbulentas.

13. Nanã Barukê

Orixá feminino dos pântanos e da morte. Protege idosos e desabrigados. Também dona da chuva e da lama. É mãe de Obaluaiê e junto com ele, dona das doenças cancerígenas. Mais velha orixá do panteão africano.

14. Ewá ou Yewá

Deusa das fontes. É a dona dos segredos que guarda dentro de uma cabaça, o adó, que é o seu símbolo. Também é representada por uma cobra metálica.

Dizem que os descendentes espirituais de Euá, que são raros, são ótimos pais e mães. Mas são pessoas misteriosas e desconfiadas, às vezes consideradas perigosas, que se queixam com razão, de serem pouco compreendidas.

15. Obá

Identificada como a esposa sênior de Xangô, ela é a Orixá do Rio Oba cuja fonte fica perto de Igbon, particularmente onde se diz que sua adoração se originou, mas depois foi transferida para Ogbomosho.

De acordo com algumas histórias, ela teria sido enganada pelas outras esposas de Xangô para alimentá-lo com seus ouvidos.

16. Iyá Axabó

Iyá Asagbó ou Axabó é um orixá feminino da família de Xangô, é a irmâ de Iyá Massé Malé, e assim sendo tia de Xangô. Usa vestimentas nas cores vermelho e branco ou rosa (podendo ser estampado). Ademais, ela usa sempre pano da costa e traz na mão uma lira. Por fim,Iyá Axabó também faz parte fundamental dos ritos da fogueira de Xangô.

17. Ibeji

Deuses da juventude e vitalidade, também conhecidos como os Gêmeos Sagrados. Além disso, são normalmente relacionados aos famosos santos Cosme e Damião.

18. Irôco

Está relacionado à uma árvore sagrada africana cujos cultos são diversificados de acordo com as comunidades africanas e suas origens. A relação que existe entre Iroko e o “tempo” é devido a um Orixá da nação Bantu denominado Kitembo que foi posteriormente associado a Iroko da nação Iorubá (das regiões da Nigéria, Benin e Togo). Porém, não se trata da mesma deidade, já que o Candomblé de Angola possui muitas diferenças do Candomblé de Ketu.

19. Egungun

Na mitologia africana, Egungun-Oya é uma Deusa da adivinhação. Assim, ‘Egungun’ alude aos espíritos agregados dos mortos.

20. Iami ou Iami-Ajé

É uma orixá iorubá que é representada por uma senhora de ascendência africana de nome Aje. Uma Aje é uma mulher com poderes biológicos, espirituais e cósmicos.

21. Omolu

Omolu, como é conhecido nacionalmente, é o senhor da terra, o Orixá da cura, da saúde e também das doenças. Desse modo, é um dos sete orixás maiores, e o sincretismo pode variar de acordo com a região do Brasil, mas comumente, é sincretizado com São Lázaro. Ele é o orixá da cura, da saúde e da transformação.

22. Erinlé

Inlé (do iorubá Erinlẹ), ou Ibualama é o orixá da caça de Ijexá, onde passa um rio do mesmo nome. Além disso, é o deus da saúde física e bem-estar das pessoas.

23. Onilê

É um orixá que carrega um saco nas costas e se apóia num cajado. Além disso,OInilê é a guardiã da moradia e o grande símbolo da sobrevivência, estreitamente associada a Ewá.

24. Oxalá

O Orixá Oxalá é considerado o mais poderoso de todos. É o Orixá da energia da criação,e foi o primeiro a ser criado. Assim, a ele foi dada a missão de criar o universo, todos os seres e coisas que existiriam no mundo!

Pai dos homens, criador da humanidade, Oxalá é considerado sábio e benevolente com os filhos, e por isso é associado a prosperidade, ao sucesso e a vitória.

25. Orixanlá ou Obatalá

Este deus africano é o “O Grande Orixá” ou “O Rei do Pano Branco”, na mitologia iorubá, é o criador dos humanos. Foi o primeiro Orixá criado por Olodumarê. É o mais velho dos orixás, é o próprio Oxalufã o rei de vestes brancas, raiz de todos os outros Orixás.

26. Ifá ou Orunmilá-Ifá

Ifá é o porta-voz de Orunmila, orixá da adivinhação, ligado ao Merindilogun. É o deus do destino, do oráculo, do jogo de búzios.

É por meio do jogo de búzios, dedicado a ele que os pais e mães de santo determinam de que orixá descende cada devoto do candomblé. O jogo de Ifá também é usado para se perguntar sobre o destino das pessoas, seus caminhos e seus problemas.

27. Odudua

Também chamado Oodua ou Odudua, nome que significa O Grandioso que criou a existência, segundo a narrativa mítica ele e seu séquito de desbravadores teriam sido os sobreviventes de um dilúvio. Daí serem chamados pelos antigos de ooye, os que foram salvos.

Acredita-se que ele foi o primeiro ooni (rei) da cidade, considerada a pátria espiritual dos iorubás e local onde teria ocorrido a criação do mundo.

28. Oraniã

Oraniã era o filho mais novo de Odudua e foi o mais poderoso de todos, e mais famoso em toda nação Iorubá. Famoso como caçador e pelas grandes e numerosas conquistas, ele também fundou o reino de Oyó.

29. Baiani ou Dadá Ajaká

Dadá Ajaká, filho mais velho de Oranian, irmão consanguíneo de Xangô, reinava então em Oyo. Ele amava as crianças, a beleza, e as artes. De caráter calmo e pacífico, não tinha a energia que se exigia de um verdadeiro chefe dessa época.

Aliás, Dadá é o nome dado pelos yorubás às crianças cujos cabelos crescem em tufos que se frisam separadamente.

30. Olokún

Olokun que se acredita ser o pai de Ajé é famoso como o governante de todos os corpos de água e é elogiado pela capacidade de dar riqueza, saúde e prosperidade a seus seguidores.

Ademais, as comunidades da África Ocidental veem Olokun de várias maneiras como feminino, masculino ou andrógino.

Quais são as três categorias de orixás?

O pesquisador nigeriano Omosade Awulalu divide os Orixás em três categorias, que são: Divindades primordiais; Ancestrais deificados; e Forças ou elementos naturais personificados. Vamos saber mais sobre cada uma delas

1. Divindades primordiais

As divindades primordiais existiam muito antes da criação do mundo, ou seja, foram as primeiras que deram origem a todas as outras; como Oxalá e Obatalá.

2. Ancestrais deificados

Os ancestrais divinizados são reis, heróis, heroínas, guerreiros e fundadores da cidade que viveram entre o povo, como Oraniã por exemplo. Essas divindades têm uma grande influência na vida dos iorubás por meio de sua contribuição à cultura e à vida social.

Além disso, esses deuses africanos tinham uma maneira única de controlar as forças naturais fazendo oferendas e sacrifícios. Eles desapareceram na terra afundando no subsolo, subindo aos céus em correntes e depois se transformando em pedra.

Os povos da África Ocidental interpretam essa transformação como o nascimento dos Orixás. Após a transformação, seus filhos continuaram a fazer oferendas e sacrifícios como eles. E essa tradição continua até hoje.

3. Forças ou elementos naturais personificados

Por fim, forças naturais personificadas ou elementos do mundo natural são Orixás com os quais os povos da África Ocidental se relacionam diariamente, como Iami ou Iami-Ajé. Como pacificadores, eles mantêm e mantêm a paz entre a humanidade e as forças do mundo natural.

Então, gostou de saber mais sobre os deuses africanos? Pois, leia também sobre o Candomblé: história, principais orixás e outros fatos da prática

Próxima página »

Escolhidas para você