Listas

12 dicas muito valiosas para cuidar dos pets no verão

Os pets no verão sofrem tanto com o calor quanto nós, seres humanos, ou mais. Por isso precisamos ter cuidado extra com eles.

Os pets no verão sofrem tanto quanto a gente. O calor e o sol extremamente forte podem castigar. Você precisa se lembrar que os animais não usam roupa, andam com as patas direto em contato com o chão e, principalmente, não conseguem se cuidar sozinhos.

É necessário tomar muito cuidado para que os nossos melhores amigos animais não sofram duras penas com o verão. Para isso, é necessário cuidados muito especiais.

Para te ajudar, o Segredos do Mundo listou sete dicas para ajudar a cuidar do seu pet no verão.

12 dicas muito importante para cuidar dos pets no verão

1 – Não deixe seu pet no carro

Nunca, em hipótese alguma, deixe o seu pet trancado dentro de um caro sozinho. Por mais que seja rápido, no verão as temperaturas sobem muito rápido e o seu bichinho pode sofrer uma insolação, como também dificuldades para respirar. Isso pode levar até a morte do seu animal.

2 – Muita água

É muito fácil que o seu animal de estimação fique desidratado nessa época, por isso, é essencial que você forneça muita água fresca para ele. Se ele resistir com frequência a beber água, leve-o para passear e correr. Isso colocará ele em movimento, aumentando sua sede.

Além de deixar o pote de água sempre cheio, uma boa opção é colocar alguns cubinhos de gelo para que a água não esquente muito.

Continua após a publicidade

3 – Temperatura do asfalto

Quando for passear com o seu pet, é preciso tomar cuidado com a temperatura do asfalto. Como eles andam em contato direto com o chão, se a temperatura estiver muito quente ele pode queimar as patinhas e você não quer que isso aconteça.

4 – Parasitas

Parasitas como pulgas e carrapatos são mais comuns na época do verão. Para evitar aumentar as chances de isso acontecer, é necessário evitar levar o seu pet aonde tenha uma aglomeração de outros animais. Se ver que aconteceu, aplique remédio antipulgas e o leve no veterinário.

Uma dica para evitar parasitas é manter a pelagem baixa, por que assim é mais fácil visualizar esse tipo de problema. Observe se existem marcas de picadas, manchas avermelhadas ou hematomas na pele do pet.

Animais domésticos também sofrem com mosquitos que podem transmitir doenças, como a Dirofilariose e a Leishmaniose. Fique atento as marcas na ponta do nariz, no abdômen, na orelha e ao redor dos olhos. Os animais costumam coçar intensamente estes locais caso tenham sido picados.

O verão também é uma época propícia para as moscas, que depositam larvas. Por isso, mantenha os ferimentos do seu animal sempre protegidos e cobertos.

5 – Sono

Quando os animais percebem que o local aonde dormem está muito quente, eles mesmos costumam procurar um lugar mais fresco para dormir. Por isso, é muito importante que você fique de olho e deixe a área mais aberta, para que seu pet tenha um leque maior de opções.

6 – Cuidado com insolação

Observa se o seu pet parece exausto, apático, puxando a língua para fora constantemente, se está tonto, vomita ou se cai para o chão. Se isso acontecer, ele está sendo vítima de uma insolação. Leve-o para a sombra e aplique água fresca abundante, na sua cabeça, pescoço e torso. Deixe-o beber água e não pare de lhe refrescar todo o seu corpo. Após isso, vá ao veterinário.

7 – Hora de passear

A melhor hora para sair com o seu pet para um passeio é pelas primeiras horas do dia e no fim da tarde. Para ser mais exato, antes das 10 horas da manhã e depois das 16 horas da tarde.

Das 11 da manhã até as 4 da tarde nem pense em passeios muito longos. Nessas horas, a exposição ao sol é muito forte.

O ideal é passear no começo da manhã ou no final da tarde. Além disso, observe a temperatura do chão que seu pet está caminhando.

8 – Mais banho e tosa que em outros períodos do ano

Os pets no verão precisam de mais banho e tosa do que o normal. Se você dá banho e tosa o seu bichinho de 15 em 15 dias, talvez nessa época do ano seja bom aumentar a periodicidade para uma vez na semana.

Mas também é muito importante que você seque ele com cuidado, por que a umidade no calor pode gerar fungos indesejados no animal.

9 – Fica de olho em câncer de pele

O risco de câncer de pele nos pets é maior no verão. Uma forma de tentar diminuir os riscos é o uso de protetor solar especial para os animais.

Além disso, gatos brancos, albinos, cães como o Pitbull ou o Boxer brancos ou claros, que tenham as pontas do nariz, orelhas, o entorno dos olhos e o abdômen despigmentados, fazem parte do grupo de risco.

10 – Fica de olho na hipertermia

Quando somos exposto ao calor, nós suamos. No entanto, os pets são diferentes, uma vez que o pelo dificulta esse processo. Por isso, é importante que o animal tenha à disposição água, sombra e superfícies frias, para se refrescar.

Os animais no verão que não conseguem encontrar uma forma de resfriar o corpo, ficam ofegantes. Esse tipo de respiração é menos eficiente do que a transpiração. Caso o animal continue exposto ao calor excessivo, ele poderá sofrer uma hipertermia. Os sintomas são:

  • Hipersalivação;
  • Respiração muito ofegante;
  • Pele muito quente;
  • Batimento cardíaco acelerado;
  • Cansaço, fraqueza, indisposição.

Durante a hipertermia, a temperatura do animal pode chegar aos 42ºC. Isto pode provocar:

  • Vômito;
  • Coagulação intravascular disseminada;
  • Edema pulmonar;
  • Parada cardíaca;
  • Morte.

Além disso, os animais mais suscetíveis ao problema são:

  • Animais de focinho curto;
  • Idosos;
  • Animais com sobrepeso;
  • Animais com problemas cardíacos;
  • Animais com problemas respiratórios.

11 – Não deixe a ração exposta ao sol

Sobretudo, o seu pet não pode ficar carente de nutrientes, não é mesmo? Por isso, evite deixar a ração do seu animal no sol. O ideal é oferecer o alimento somente no momento em que o pet for consumi-lo. Se o animal não comer tudo, recolher após a alimentação.

Além disso, a ração exposta ao sol pode oxidar e ocasionar danos à saúde gastrointestinal do pet.

12 – Cuidados extras com cães idosos, com sobrepeso e problemas de saúde

Animais de focinho curto, idosos, com sobrepeso, com problemas cardíacos ou respiratórios devem ter atenção especial nos dias quentes, pois geralmente são mais suscetíveis a hipertermia. Por isso, com esses grupos específicos, limite os exercícios, faça mais pausas entre os passeios e exercícios, ofereça mais água, fuja do sol e do calor e, principalmente, fique atento aos sinais de cansaço e desconforto e, caso note mudanças no comportamento ou na alimentação, comunique o médico veterinário de sua confiança.

Você gostou dessa matéria? Então você também vai gostar dessa: Por que o cachorro vira a cabeça quando a gente fala com ele?

Fonte: Petz, Rei dos Animais, Digital Vet e BTA.

LEIA MAIS

Gatinho miando – Significado e os diferentes tipos de miados do animal

Pulgas – Como identificar no animal, prevenção e tratamento

Galinha de estimação: como cuidar, raça mais procurada + curiosidades

Depressão em animais de estimação existe! Aprenda a identificar os sinais

Cachorro tremendo: 13 problemas que podem causar tremores

As 18 raças de cachorros peludos mais fofas para criar

Próxima página »

Escolhidas para você