14 dicas muito valiosas para cuidar dos pets no verão

Os pets no verão sofrem tanto com o calor quanto nós, seres humanos, ou mais. Por isso precisamos ter cuidado extra com eles. Leia as 12 dicas

12 dicas muito valiosas para cuidar dos pets no verão

Você sabe como cuidar dos seus pets durante o verão? Neste artigo, mostramos 14 dicas para você tomar conta melhor dos seus amigos de quatro patas (ou duas).

Os pets no verão sofrem tanto quanto a gente. O calor e o sol extremamente fortes podem castigar. Você precisa se lembrar que os animais não usam roupa, andam com as patas em contato com o chão e, principalmente, não conseguem se cuidar sozinhos. Não apenas o calor e a umidade, é preciso lembrar que eles têm pelos e não transpiram como nós. 

É necessário tomar muito cuidado para que os nossos melhores amigos animais não sofram duras penas com o calor. Para isso, é fundamental alguns cuidados muito especiais.

 

12 dicas muito importantes para cuidar dos pets no verão

1 – Não deixe seu pet no carro

Nunca, em hipótese alguma, deixe o seu pet trancado dentro de um carro sozinho. Por mais que seja rápido, no verão as temperaturas sobem muito rápido e o seu bichinho pode sofrer uma insolação, como também dificuldades para respirar. Isso pode levar até a morte do seu animal.

Continua após a publicidade

Mesmo com as janelas parcialmente abertas, a temperatura dentro de um carro pode aumentar rapidamente, não fornecendo ventilação adequada para o animal. Isso pode ser ainda mais perigoso em climas quentes ou ensolarados.

Além disso, a falta de água e a ansiedade do animal também são problemas sérios quando deixados sozinhos dentro de um carro. Eles podem ficar estressados, assustados e até mesmo feridos ao tentar escapar.

Continua após a publicidade

Logo, deixar os pets trancados dentro de um carro, mesmo por um curto período de tempo, pode ter consequências graves para a saúde e o bem-estar deles. É sempre importante garantir que os animais de estimação estejam seguros, confortáveis e nunca deixados em condições que possam colocar suas vidas em risco.

2 – Muita água

É muito fácil que o seu pet de estimação fique desidratado nessa época, por isso é essencial que você forneça muita água fresca para ele. Se ele resistir a beber água, leve-o para passear e correr. Isso colocará ele em movimento, fazendo-o com que tenha sede.

Continua após a publicidade

Além de deixar o pote de água sempre cheio, uma boa opção é colocar alguns cubinhos de gelo para que a água não esquente muito.

3 – Temperatura do asfalto

Quando for passear com o seu pet, é preciso tomar cuidado com a temperatura do asfalto. Como eles andam em contato direto com o chão, se a temperatura estiver muito quente ele pode queimar as patinhas e você não quer que isso aconteça.

Além disso, cães não transpiram como os humanos, então eles dependem do suor pelas patas para regular a temperatura corporal. Se as almofadinhas estiverem queimadas, isso pode interferir na capacidade do animal de regular sua temperatura corporal.

Sendo assim, para proteger os pets, é importante testar a temperatura do asfalto antes de levá-los para passear. Se estiver muito quente para você colocar a mão no chão por alguns segundos, é muito quente para as patas sensíveis do seu pet. Opte por passeios em horários mais frescos, como no início da manhã ou à noite, ou escolha locais com grama ou superfícies mais frescas para evitar queimaduras nas patas dos seus animais de estimação.

Continua após a publicidade

4 – Parasitas

Parasitas como pulgas e carrapatos são mais comuns na época do verão. Para evitar aumentar as chances de isso acontecer, é necessário evitar levar o seu pet em locais com grande aglomeração de outros animais. Isso aumenta as chances de contaminação. No entanto, se isso acontecer, aplique algum remédio antipulgas e, dependendo da gravidade, leve-o ao veterinário.

Uma dica para evitar parasitas é manter a pelagem baixa, por que assim é mais fácil visualizar esse tipo de problema. Observe se existem marcas de picadas, manchas avermelhadas ou hematomas na pele do pet.

Animais domésticos também sofrem com mosquitos que podem transmitir doenças, como a Dirofilariose e a Leishmaniose. Fique atento às marcas na ponta do nariz, no abdômen, na orelha e ao redor dos olhos. Os animais costumam coçar intensamente estes locais caso tenham sido picados.

O verão também é uma época propícia para as moscas, que depositam larvas. Por isso, mantenha os ferimentos do seu animal sempre protegidos e cobertos.

Continua após a publicidade

5 – Sono

Quando os pets percebem que o local em que dormem está muito quente, eles mesmos costumam procurar um lugar mais fresco para dormir. Por isso, é muito importante que você fique de olho e deixe a área mais aberta, para que seu pet tenha um leque maior de opções, conforme o tempo e eles não fiquem sufocados em um ambiente muito restrito.

Para garantir o conforto e a segurança dos pets no verão, é importante proporcionar um local fresco e sombreado para descanso, preferencialmente com boa circulação de ar e acesso à água fresca. Evitar deixá-los expostos ao sol direto, fornecer superfícies resfriadas, a exemplo de tapetes gelados para pets, e permitir que escolham lugares frescos para descansar são medidas essenciais para evitar problemas devido ao calor excessivo.

6 – Cuidado com insolação

Observa se o seu pet parece exausto, apático, puxando a língua para fora constantemente, se está tonto, vomita ou se cai para o chão. Se isso acontecer, ele está sendo vítima de uma insolação.

Leve-o para uma área ensombrada e lhe forneça água fresca e abundante, principalmente na cabeça, pescoço e torso. Deixe-o beber água e não pare de lhe refrescar todo o seu corpo. Se isso não resolver, então vá ao veterinário.

Continua após a publicidade

Desse modo, para proteger os animais de estimação durante o verão é importante proporcionar sombra adequada, água fresca em abundância, evitar exercícios excessivos em horários quentes e nunca deixar os pets em carros fechados, mesmo por curtos períodos. Estar ciente dos sinais de insolação e agir rapidamente ao perceber qualquer sintoma é fundamental para garantir a saúde e o bem-estar dos animais de estimação durante os meses quentes.

7 – Hora de passear

A melhor hora para sair com o seu pet para um passeio é durante as primeiras horas do dia e no fim da tarde. Para ser mais exato, antes das 10 horas da manhã e depois das 16 horas da tarde.

Das 11 da manhã até as 4 da tarde nem pense em passeios muito longos. Nessas horas, a exposição ao sol é muito forte e poderá prejudicar a saúde de seu animal.

O ideal é passear no começo da manhã ou no final da tarde. Além disso, observe a temperatura do chão que seu pet está caminhando para evitar queimaduras nas patinhas deles.

Continua após a publicidade

8 – Mais banho e tosa que em outros períodos do ano

Os pets, no verão, precisam de mais banho e tosa do que o normal. Se você dá banho e tosa o seu bichinho de 15 em 15 dias, talvez, nessa época do ano seja necessário aumentar a periodicidade para uma vez na semana.

Por fim, também é muito importante que você seque ele com cuidado, pois a umidade no calor pode gerar fungos indesejados no animal. É sempre bom evitar os excessos, conforme seu animal.

9 – Fica de olho em câncer de pele

O risco de câncer de pele nos pets é maior no verão. Uma forma de tentar diminuir os riscos é o uso de protetor solar (não o seu, mas um especial para animais). Seu veterinário poderá indicar um adequado ao seu bichinho.

Além disso, gatos brancos, albinos, cães como o Pitbull ou o Boxer brancos ou claros, que tenham as pontas do nariz, orelhas, o entorno dos olhos e o abdômen despigmentados, fazem parte do grupo de risco.

Continua após a publicidade

10 – Fique de olho na hipertermia

Quando somos exposto ao calor, nós suamos. No entanto, os pets são diferentes, uma vez que o pelo dificulta esse processo. Por isso, é importante que o animal tenha à disposição água, sombra e superfícies frias, para se refrescar.

Os animais que não conseguem encontrar uma forma de resfriar o corpo, ficam ofegantes. Esse tipo de respiração é menos eficiente do que a transpiração. Caso o animal continue exposto ao calor excessivo, ele poderá sofrer uma hipertermia. Os sintomas são:

  • Hipersalivação;
  • Respiração muito ofegante;
  • Pele muito quente;
  • Batimento cardíaco acelerado;
  • Cansaço, fraqueza, indisposição.

11 – Não deixe a ração exposta ao sol

O seu pet não pode ficar carente de nutrientes, não é mesmo? Por isso, evite deixar a ração do seu animal no sol. O ideal é oferecer o alimento somente no momento em que o pet for consumi-lo. Se o animal não comer tudo, recolha após a alimentação. A exposição prolongada ao sol pode causar alterações na composição nutricional da ração, já que o calor e a luz podem degradar vitaminas, oxidar gorduras e diminuir a qualidade dos ingredientes.

Essas mudanças na composição nutricional podem afetar a saúde do seu animal de estimação, levando a uma redução na qualidade dos nutrientes essenciais presentes na ração. Além disso, o calor e a umidade provenientes da exposição ao sol também podem propiciar o crescimento de fungos e bactérias na ração, o que representa um risco para a saúde do seu pet, podendo causar desde problemas digestivos até intoxicações alimentares.

Continua após a publicidade

Portanto, é recomendável armazenar a ração do seu pet em um local fresco, seco e protegido da luz solar direta para preservar a qualidade e a segurança dos alimentos que o seu animal consome.

12 – Cuidados extras com cães idosos, com sobrepeso e problemas de saúde

Animais de focinho curto, idosos, com sobrepeso, com problemas cardíacos ou respiratórios devem ter atenção especial nos dias quentes, pois geralmente são mais suscetíveis a hipertermia. Por isso, com esses grupos específicos, limite os exercícios, faça mais pausas entre os passeios e brincadeiras, ofereça mais água, fuja do sol e do calor e, principalmente, fique atento aos sinais de cansaço e desconforto e, caso note mudanças no comportamento ou na alimentação, comunique o médico veterinário de sua confiança.

13 – Cuidado ao deixar o seu pet sozinho em casa

Vai sair para trabalhar ou resolver algo que vai demandar um longo período longe do seu amiguinho? Se a resposta é sim, é importante redobrar a atenção para que a sua casa seja um ambiente seguro para ele. 

Sendo assim, cuide em deixar uma boa quantidade de água fresca disponível, além de um ventilador ou ar-condicionado ligados. Isso vai ser fundamental para que o ambiente fique agradável para o seu bichinho enquanto você cuida das suas demandas.

Continua após a publicidade

14 – Picolé para o seu pet

Uma forma deliciosa e prática de manter o calor longe e seu pet bem hidratado e alimentado é fazendo um picolé de sachê. É simples: você vai colocar no congelador até que fique com a textura de picolé. Depois, é só servir. Legal, né?

Você gostou dessa matéria? Então você também vai gostar dessa: Por que o cachorro vira a cabeça quando a gente fala com ele?

Fonte: Patinhas carentes, Petz, Rei dos Animais, Digital Vet e BTA.

Outras postagens