Curiosidades

Lobisomen: a lenda, de onde surgiu, no mundo e no Brasil

Lobisomens, também conhecidos como licantropos, são humanos lendários que mudam de forma e suas lendas se espalharam por todo o mundo.

As lendas do lobisomem surgiram de forma independente ou se espalharam para praticamente todas as áreas do mundo. E assim como o nome sugere, a forma que essas criaturas assumem é a de um lobo.

Além disso, também é um dos contos mais antigos de monstros humanos na história registrada. Histórias de licantropos são comuns no folclore predominante em toda a Europa.

Apesar disso, tudo o que sabemos sobre lobisomens é tudo graças a mitos, filmes e romances. Lobisomens adoram caçar durante a lua cheia, eles têm medo de prata e podem facilmente se misturar com humanos comuns sempre que quiserem. É tudo verdade? Saiba mais abaixo.

O que é um lobisomem?

Lobisomem, homem-lobo, licantropo e metamorfo referem-se à mesma criatura. Em latim, o termo usado para lobisomens é Lycaon, que significa “animal do tipo lobo”.

Um lobisomem é um ser humano que tem a capacidade de se transformar em uma criatura parecida com um lobo. Não está claro como essa transformação ocorre, mas de acordo com o folclore, é mais uma maldição do que uma característica.

Ademais, as pessoas que são mordidas por um lobisomem também se tornam um. Afirma-se também que esta transformação pode ser permanente ou temporária.

No que diz respeito às características físicas de um lobisomem, há consenso sobre muitas características. De acordo com o folclore europeu, as características físicas de um lobisomem permaneciam as mesmas mesmo quando estava em forma humana.

Esses traços incluíam sobrancelhas grossas que se encontravam na ponte do nariz, orelhas pontudas e de implantação baixa, unhas curvas e um andar oscilante.

Em sua forma animal, a descrição da aparência do homem-lobo varia em cada cultura. Normalmente, é descrito como diferente e indistinguível dos lobos comuns.

Por exemplo, um lobisomem em sua forma animal não tem cauda e parece maior que os lobos normais. Além disso, quando em forma animal, o lobisomem mantém sua voz e olhos humanos.

Qual a origem das lendas do lobisomem?

Ao longo da história, há registros de julgamentos de lobisomens confessados ​​ou acusados. Eles foram caçados, questionados e executados da mesma forma que as bruxas, porque as bruxas eram frequentemente acusadas de serem licantropos.

Os aldeões prenderam alguns dos acusados ​​porque precisavam de alguém para culpar pelo gado morto ou outras ocorrências explicáveis. Ainda assim, outros foram acusados ​​por causa de ações muito mais sinistras e menos prováveis ​​de serem planejadas.

Desse modo, a origem grega do licantropo tem muitas variantes. Aliás, uma das versões mais antigas e mais conhecidas é encontrada no poema Metamorfoses, do poeta romano Ovídio, publicado em 8 d.C.

De acordo com Ovídio o Rei Lycaon foi o tirano da Arcádia. Um dia Zeus chegou ao palácio de Lycaon disfarçado de homem comum. Depois que Zeus revelou sua verdadeira identidade, o rei clandestinamente elaborou um plano para testar se ele era um deus.

Com efeito, o rei Lycaon matou um de seus reféns chamado Épiro, ferveu e assou a carne da vítima e serviu a Zeus. Contudo, Zeus não comeu.

Lendas do lobisomem ao redor do mundo

Ao longo da história mundial, encontramos muitos mitos, contos populares e folclóricos envolvendo lobisomens. Muitas lendas em diferentes continentes e culturas estão associadas a lobisomens.

Quase todas as lendas se referem aos lobisomens como pessoas que se transformam em lobos poderosos e se tornam bestas sanguinárias. Essas criaturas têm uma propensão para humanos e animais. Veja como são essas lendas nas diferentes partes do mundo.

1. Na cultura americana

Quando os índios nativos vagavam pelas Américas, eles acreditavam em criaturas metamórficas. Era sua crença sagrada que um totem animal ou guia espiritual estava associado aos huanos.

Este guia pode tomar forma física às vezes ou pode sempre permanecer espiritual. A mudança de forma era altamente reverenciada pelos nativos americanos.

2. Na cultura chinesa

No folclore chinês antigo, os animais podiam se transformar em humanos. Essa crença se estabeleceu depois que três animais que mudam de forma foram identificados nas montanhas chinesas. Assim, os três animais incluíam um espírito de raposa chamado HuXian, Da Yu (que era um urso) e dragões.

3. Na cultura africana

Os africanos também contribuíram para a lenda dos lobisomens fornecendo relatos de pessoas que se transformaram em enormes crocodilos. Há histórias de hienas espirituosas vagando pelas aldeias em forma humana e animal.

Não só as hienas, mas os africanos tinham gatos-homens, que se acreditava serem bruxas. É do folclore africano que os gatos pretos foram associados às bruxas.

Com efeito, o conceito foi posteriormente chegou à Europa durante a Idade Média. No entanto, o homem-gato era uma crença menos comum, enquanto a maioria na África acreditava na existência de lobisomens.

4. Na cultura nórdica

No folclore nórdico, os lobisomens são famosos na Saga dos Volsungs. É uma história sobre pai e filho. Eles descobriram peles de lobo, que poderiam transformar as pessoas em licantropos por dez dias. Ambos vestiram as peles para se tornarem lobos e partiram para uma matança dentro da floresta.

Eventualmente, o pai atacou seu próprio filho, e ele ficou gravemente ferido. Para salvar o filho, o pai pediu ajuda a um corvo gentil, que lhe deu uma folha com poderes curativos para tratar a ferida.

5. No folclore escocês e irlandês

O folclore escocês e irlandês também mencionou metamorfos, que eles chamam de selkies. Selkies eram criaturas que viviam como focas em oceanos frios e podiam se transformar em humanos trocando suas peles.

A única reviravolta na história é que as selkies deveriam esconder suas peles. Se suas peles fossem encontradas, eles não poderiam voltar a se transformar em focas. Então, eles deveriam viver em terra com aqueles que possuíam suas peles.

6. Na Idade Média

Na Idade Média da Europa, acreditava-se que os lobisomens só podiam ser mortos queimando na fogueira. Esta teoria é provavelmente tem relação com a queima de bruxas, que era uma norma comum em toda a Europa. Alternativamente, os europeus também acreditavam que os licantropos poderiam ser mortos por decapitação.

7. No Brasil

De acordo com o folclore brasileiro, o lobisomem também é uma mistura de um lobo com um homem. Segundo a lenda do Lobisomem, quando uma mulher tem sete filhos e o oitavo nasce homem, este último será um lobisomem.

Ao longo do dia, ele é homem. A partir da meia-noite, nas noites de lua-cheia, se transforma em lobisomem. Ele se alimenta de sangue, e, segundo a mitologia, é violento. Por fim, a lenda da mistura entre lobo e homem chegou ao país por meio dos portugueses.

Então, gostou deste artigo? Pois, leia também: O que é folclore? História, personagens e manifestação no Brasil

Próxima página »

Escolhidas para você