História

Maria Antonieta: nascimento, reinado e morte na guilhotina

Toda a vida de Maria Antonieta, rainha da França, foi vivida com extravagância e luxuosidade sob os holofotes da sociedade da época.

Você já ouviu falar sobre a Rainha da França, Maria Antonieta? Ela nasceu em 2 de novembro de 1755 em Viena, Áustria, e era a filha mais nova da Imperatriz Maria Teresa e de Francisco I, Sacro Imperador Romano.

Além disso, seu nome de batismo era Maria Antônia Josefa Johanna, seus padrinhos foram o Rei José I e a Rainha Mariana Vitória de Portugal. Ela tinha quinze irmãos e cresceu com sua irmã mais velha, Maria Carolina, pela governanta dos filhos imperiais, Condessa von Brandeis.

Maria Antônia passou os primeiros anos em Viena e teve uma educação difícil, pois aos dez anos não sabia escrever em alemão, nem em francês e italiano, que eram as línguas usadas nos tribunais.

No entanto, ela aprendeu a tocar harpa e flauta, cantava em reuniões de família e era uma excelente dançarina. Mas tudo mudou por causa da ambição de sua mãe que a levou ao altar com apenas aos 14 anos; saiba mais sobre essa história a seguir.

Por que Maria Antonieta se casou aos 14 anos?

Maria Antonieta: biografia, curiosidades e morte na guilhotina

Em suma, a Imperatriz Maria Teresa usou seus filhos como peões em suas ambições diplomáticas e este também foi o caso de Maria Antonieta. A imperatriz Maria Teresa decidiu encerrar as hostilidades com o rei Luís XV da França após a Guerra dos Sete Anos.

Continua após a publicidade

Com efeito, eles se tornaram aliados para destruir as ambições da Prússia e da Grã-Bretanha e decidiram selar sua aliança com um casamento. Assim, em 7 de fevereiro de 1770, o rei Luís XV solicitou formalmente a mão de Maria Antonieta, que tinha apenas 14 anos na época, para que ela pudesse se casar com seu neto mais velho e herdeiro Luís Augusto, Duque de Berry e Delfim de França.

Desse modo, a jovem Antonieta renunciou a seu direito aos domínios dos Habsburgos e se casou por procuração em 19 de abril de 1770 com seu irmão, o arquiduque Ferdinand, no lugar de Louis-Auguste.

Então, após sua chegada à França em 14 de maio, ela começou a usar a versão francesa de seu nome, Maria Antonieta, e um casamento cerimonial ocorreu em 16 de maio de 1770 no Palácio de Versalhes. Maria Antonieta tornou-se a rainha consorte da França, aos 15 anos.

Como foi o reinado de Maria Antonieta?

As reações iniciais ao casamento foram decididamente mistas. Todavia, a princesa era especialmente desfavorável aos cortesãos franceses, que desconfiavam da Áustria e esperavam que Luís se casasse com uma princesa saxã.

Ademais, Luís XVI, ele próprio, ao se tornar rei, desconfiava da influência austríaca e deixou que a nova rainha tivesse pouca influência nos assuntos políticos. Em vez disso, Maria passava os dias jogando, comprando roupas e joias e reformando o Petit Trianon, um castelo que seu marido lhe dera.

Continua após a publicidade

Maria Antonieta deu à luz sua primeira filha, a mais velha de quatro filhos, em 1778. Em 1781, nasceu seu segundo filho, desta vez um filho. Apesar do nascimento de um herdeiro, no entanto, sua influência política não aumentou nem um pouco, para a decepção de seu irmão, governante da Áustria.

Apesar da situação financeira endividada da França, resultado da Guerra dos Sete Anos e da Guerra Revolucionária, a rainha francesa continuou a comprar propriedades luxuosas, uma ação que, junto com rumores escandalosos que acompanharam seu reinado, lhe rendeu reputação como um perdulário corrupto.

Finalmente, desesperado por fundos necessários para restaurar a estabilidade financeira da França, Luís XVI foi levado a convocar uma reunião dos Estados-Gerais, que não ocorria há 160 anos.

Após a conferência, Maria Antonieta abandonou suas atividades habituais e, em vez disso, tornou-se muito mais envolvida na política, desta vez contra os interesses da Áustria, seu país natal.

Como aconteceu a ascensão política da rainha francesa?

Por causa da depressão crescente de seu marido e seu desejo de preservar seus filhos por qualquer meio, a rainha da França, sem querer, emergiu como uma figura política importante nos assuntos franceses.

Continua após a publicidade

Contudo, Maria Antonieta também manteve o foco na saúde de seu filho mais velho, que continuou piorando ao longo de sua vida. O herdeiro morreu em 1789, mas seu falecimento já não tinha importância para o povo francês, que já iniciava os primeiros estágios da Revolução Francesa. Apenas alguns meses depois, Louise sua esposa foi forçada a se mudar para Paris, onde foram encerrados no Palácio das Tulherias, sob estreita vigilância.

Quando a França entrou em guerra com a Áustria em 1792, a reputação de Maria Antonieta ficou ainda mais manchada. Com efeito, o vulnerável casal real foi transferido para a torre do Templo no Marais, onde receberam um tratamento cruel.

Em 1973, a monarquia havia caído e Luís XVI foi executado. A rainha, que caiu em luto profundo e se recusou a comer após a morte de seu marido, foi mais tarde morta em 16 de outubro do mesmo ano.

Como Maria Antonieta morreu?

Maria Antonieta: biografia, curiosidades e morte na guilhotina

Como lido acima, após a morte de seu marido, Maria Antonieta entrou em luto profundo enquanto ainda estava presa com seus filhos Marie-Thérèse-Charlotte e Louis-Charles; que se tornou o delfim após a morte de seu irmão em 1789.

No entanto, os novos líderes franceses não tinham certeza sobre o que deveria acontecer com a ex-rainha, eles a separaram de seu filho em julho de 1793, pois como ele ainda era muito jovem, eles pensaram que poderiam lhe ensinar ideias revolucionárias e, assim, poderiam colocá-lo contra sua mãe.

Continua após a publicidade

Vários planos para ajudá-la a escapar da prisão falharam. Então, o julgamento da rainha francesa aconteceu em outubro de 1793. Suas principais acusações eram “esgotamento do tesouro nacional, conspiração contra a segurança interna e externa do Estado e alta traição por causa de suas atividades de inteligência no interesse do inimigo”.

Maria Antonieta: biografia, curiosidades e morte na guilhotina

Ela também foi acusada de enviar dinheiro do tesouro para a Áustria e também de incesto. Assim por causa dessas três principais acusações sua sentença foi à morte; o que foi um grande golpe, pois ela e seus advogados esperavam, na pior das hipóteses, prisão perpétua.

Assim, a rainha da França morreu na guilhotina em 16 de outubro de 1793. Suas últimas palavras registradas são “Perdoe-me, senhor, não fiz de propósito”, depois que ela pisou no sapato de seu carrasco. Ela tinha 38 anos.

Incialmente, enterraram seu corpo em uma cova sem identificação. Mais tarde, os corpos dela e de Luís XVI foram exumados em 1815 durante a Restauração dos Bourbon e receberam um sepultamento cristão. Seus restos mortais encontram-se na necrópole dos reis franceses na Basílica de Saint Denis.

Então, gostou de fazer essa viagem na história e conhecer mais sobre a vida de Maria Antonieta? Pois, leia também: Por que 536 foi o pior ano da história?

Continua após a publicidade
Próxima página »

Escolhidas para você