Curiosidades

Medo, o que é? Causas, quando vira fobia e como enfrentar

O medo é uma reação normal do corpo diante uma situação de ameaça. Entretanto, quando as reações são exageradas, se trata de fobia.

O medo ou temor é uma reação do corpo a uma situação de perigo, de atenção ou amaça. No entanto, é uma reação involuntária e natural, que está ligada basicamente ao instinto de sobrevivência do ser humano. Portanto, até certo ponto é considerado normal. Porém, quando ele se torna paralisante, impedindo que a pessoa tenha uma vida normal, se torna uma fobia, e é necessário fazer um tratamento para tentar supera-la.

De acordo com o dicionário, a palavra medo significa uma perturbação diante a ideia de estar exposto a algum tipo de perigo, seja ele real ou não. Então, ao sentir medo, o cérebro produz mais substâncias, o coração começa bombear mais sangue, os músculos ficam mais rígidos e a força aumente significadamente.

Ou seja, é uma sensação que deixa o corpo em alerta e produz reações físicas. Por exemplo, a respiração acelera, a boca fica seca, as mãos e as pernas ficam trêmulas. Entre as causas mais comuns de medo está o de altura, o de lugar fechado, o de multidão, de insetos, elevadores, etc.

Em suma, sentir medo é normal, pois nos ajuda a pensar nos riscos e perigos a nossa volta e assim sermos mais cautelosos. Mas, a partir do momento que se torna incapacitante, ele se torna uma fobia. Então, é necessário procurar por tratamento médico.

Continua após a publicidade

O que é o medo?

Imagem: Psico.online

O medo é basicamente uma resposta do organismo diante uma situação de perigo ou ameaça, real ou não, que pode ser desencadeado por uma situação de ansiedade ou estresse.

Portanto, é um estado emocional, que está ligado ao instinto de sobrevivência, que desde a pré História serve para manter e preservar a espécie.

De acordo com psicólogos, acontece quanto uma pessoa se sente ameaçada, ou quando se depara com situações que geram ansiedade e insegurança. Em alguns casos pode ser desencadeado pela simples ideia de se expor a algo que seja desagradável, mesmo que fuja da lógica. Como medo de fantasmas, por exemplo.

Ao sentir medo, o cérebro aumenta a produção de hormônios, como a adrenalina, como consequência os batimentos cardíacos e o bombeamento de sangue aumentam. O que gera outras reações físicas como, respiração acelerada, fadiga, rigidez muscular, boca seca, palidez e tremedeiras.

Continua após a publicidade

Em suma, todas essas reações são uma espécie de preparação do corpo para dois possíveis hábitos naturais, que é o de lutar ou fugir.

No entanto, existem vários tipos e níveis de medo, que podem ser desde um pequeno desconforto ou ansiedade, até o nível de sentir completo pavor.

Portanto, quando o organismo reage de forma exagerada ao medo, pode-se tornar um estado patológico, ou seja, se tornar uma doença, conhecida como fobia.

A fobia é um nível elevado de medo, que pode afetar profundamente uma pessoa, seja no âmbito físico, psicológico ou social. Atualmente existem inúmeros tipos de fobia, por exemplo, acrofobia (medo de altura), cinofobia (medo de cães), entre tantas outras.

Continua após a publicidade

O que é fobia

Imagem: Info escola

Ao contrário do medo que é uma reação normal do organismo, a fobia é um medo irracional e incapacitante, que pode provocar reações físicas mais acentuadas. Como um ataque de pânico, por exemplo.

Atualmente, as pessoas podem ter as mais variadas fobias, seja de insetos, animais, situações ou objetos.

Por isso, o tratamento para a fobia deve ser feito por especialistas, que com a ajuda de sessões de terapia e medicamentos, podem ajudar a diminuir os sintomas.

De acordo com a Psicanálise, a fobia pode ter sua origem em três situações distintas, são elas:

Continua após a publicidade

– Situação vivida ainda na infância, que gerou o trauma.

– Ouvir histórias ruins e traumatizantes de certas situações.

– Por associação, ou seja, associar um momento ruim com uma situação ou objeto. Por exemplo, uma pessoa que está tendo um dia terrível entra em um elevador. Posteriormente ela pode associar o elevador à sensação que estava sentindo.

Em casos mais graves, a fobia pode provocar um ataque de pânico, onde a pessoas sente um medo tão intenso, que pode deixar a pessoa paralisada. Ou até mesmo sentir como se estive morrendo, de tão mal que a pessoa fica.

Continua após a publicidade

Fobia social

Imagem: Canção Nova

É comum as pessoas terem certa ansiedade quando há a necessidade de falar em público, principalmente diante pessoas desconhecidas, o medo de paquerar ou até mesmo pedir um aumento no salário.

Pois são características de pessoas mais tímidas e reservadas, mas, quando o medo é exagerado e irracional, é considerado como fobia social.

Quem sofre de fobia social tem pavor de se expor ou ser o centro das atenções. Por isso, diante dessas situações, alguns sintomas são desencadeados, como angústia, apreensão, ansiedade, palpitações, tremores no corpo, sudorese, aperto no peito ou no estômago.

Os sintomas da fobia social são tão intensos, que a pessoa pensa estar tendo um ataque cardíaco, quando na verdade, está tendo um ataque de pânico.

Continua após a publicidade

Durante um episódio de ataque de pânico, o medo é tão intenso que chega a paralisar a pessoa.  No entanto, ocorre de forma espontânea, involuntária e recorrente. Ou seja, sempre que a pessoa se vê diante a situação ou objeto de sua fobia. Como consequência, a pessoa se vê limitada, o que pode prejudicar a qualidade de vida e as relações com outras pessoas.

Como tratar o medo ou a fobia

Imagem: Istoé

Contudo, quando o medo se torna uma fobia, existem tratamentos, sendo que o mais conhecido é a psicoterapia da Dessensibilização Sistemática. Essa terapia consiste em fazer com que a pessoa tenha uma aproximação com o objeto do medo, porém, de maneira sucessiva e gradual.

Apesar de não ser um tratamento fácil, pois requer total dedicação do paciente e do terapeuta, a terapia gera resultados bastante satisfatórios.

Já a Terapia Cognitiva Comportamental ou TCC, é um tratamento mais breve, que pode durar só algumas sessões, no entanto, conseguem eliminar totalmente os sintomas da fobia.

Continua após a publicidade

Por fim, existem outros tipos de tratamentos como, terapias voltadas para descobrir a origem do medo ou da fobia. Pois, compreendendo a origem do trauma, os medos tendem a diminuir de forma significativa.

No caso do medo, não há um tratamento em si, pois é uma reação natural do organismo. Por exemplo, o medo de falar em público, medo de compromisso, medo de ser aceito ou de fracassar, etc.

Mas, apesar de ser normal, é bom tentar superar os medos e temores, e a melhor forma para isso é enfrenta-los.  Pois, somente combatendo o medo é possível conquistar seus objetivos e sonhos, e assim, levar uma vida mais normal.

Pensando nisso, preparamos algumas dicas que vão ajudar você a enfrentar o seu medo.

Continua após a publicidade

7 Dicas para ajudar a enfrentar o medo

1- Aceite o medo

Imagem: Psicólogos Berrini

Definitivamente, negar a existência do medo não é uma solução, por isso, aceite o medo, pois ao aceita-lo você estará pronto para enfrenta-lo e resolve-lo.

Portanto, faça uma reflexão profunda, analise sobre o que te causa medo, sobre os obstáculos mentais e emocionais que te afetam.

2- Escreva sobre seus medos

Imagem: Medium

Quando escrevemos, conseguimos organizar melhor as ideias, pensamentos, as emoções e os medos. Por isso, escreva sobre o que te faz sentir medo e em como você se sente quando está com medo.

Assim, com o passar do tempo suas emoções vão se organizando, e quando o medo se aproximar, tente pensar racionalmente criando alternativas para a situação.

Continua após a publicidade

Por exemplo, diante a situação que causa medo, assuma a posição de observador, dessa forma, você irá enxergar a situação de outra perspectiva. O que ajudará a reduzir o medo.

3- Silencie sua mente

Imagem: UOL

A meditação é uma excelente forma de controlar a mente. O medo faz com que a pessoa fique em um estado de confusão psicológica, o que faz com que as pessoas entram em pânico.

Portanto, ao praticar a meditação, você aprenderá a silenciar a mente de forma consciente. Pois a meditação promove o fortalecimento da mente, o que ajudará a enfrentar situações difíceis do dia a dia.

Por isso, cultive pensamentos positivos, acredite em si mesmo e enfrente seus medos e impeça que ele domine sua vida.

Continua após a publicidade

4- Tenha autocontrole

Imagem: Exame

O medo ou a fobia gera ansiedade, o que pode dificultar o controle da razão e das emoções, resultando em uma grande confusão mental.

Por isso, ter autocontrole é muito importante para controla-los, para isso, exercícios de respiração e exercícios físicos podem ajudar a manter a saúde mental.

Portanto, pratique exercícios de respiração, assim em momentos de crise, você terá mais facilidade em aplicar o exercício do autocontrole e lidar com o medo.

5- Ressalte suas vitórias

Imagem: Focus Concursos

O medo provoca pensamentos negativos e sentimentos de fracasso ou incapacidade, por isso, ressaltar suas vitórias pode ajudar a enfraquecer os medos. Portanto, use suas vitórias para aplacar os medos e continuar sua jornada no dia a dia.

Continua após a publicidade

6- Converse com alguém

Imagem: EJUR

É muito importante compartilhar seus medos com aquelas pessoas de sua confiança. Afinal, a troca de experiências pode ser muito construtiva na hora de enfrentar seus medos.

Além do mais, colocar para fora suas emoções ajuda a aliviar o peso das cargas emocionais.

7- Faça terapia

Imagem: Psicólogo Berrini

Uma maneira eficaz de trabalhar seus medos e emoções é através de terapia com a ajuda de um bom psicólogo. Por isso, não hesite em procurar ajuda profissional para vencer seus medos ou fobias.

Afinal, o temor pode ter sua origem em algo mais profundo, e com a ajuda de um profissional, você poderá explorar a fundo e descobrir a causa. O que facilitará na hora de confrontar e enfrentar.

Continua após a publicidade

Resumindo, todos nós estamos sujeitos a sentir medo, o que é natural. Entretanto, quando o medo começa a atrapalhar sua vida pessoal, social e profissional, quer dizer que se tornou uma fobia. Portanto, nesse caso, um tratamento com um bom psicólogo pode ajudar a resolver esse problema.

Se você gostou dessa matéria, também irá gostar dessa: 9 das fobias mais esquisitas que alguém pode ter no mundo.

Fontes: Minha Vida, Psicólogo e terapia, Psicologia viva, UOL, Vittude

Imagens: Revista Planeta, Psico.online, Info escola, Canção Nova, Istoé, Psicologia Berrini, Medium, UOL, Exame, Focus Concursos, EJUR

Continua após a publicidade
Próxima página »

Escolhidas para você