Curiosidades

Novo Testamento – Como surgiram os 27 livros da segunda parte da Bíblia

O Novo Testamento surgiu para contar a história de Jesus Cristo e passar adiante os seus ensinamentos, mensagens e lições

Atualizado em 18/08/2020

O Novo Testamento é a segunda parte da Bíblia, composta por livros escritos durante e após o fim da vida de Jesus. Ao todo, são 27 livros que compõem o Novo Testamento: os Evangelhos, o Livro de Atos, as Epístolas e o Apocalipse.

O nome Novo Testamento surgiu do latim, Novum Testamentum, que significa Nova Aliança. O conjunto de livros também recebeu o nome Escrituras Gregas e começou a ser utilizado pelo chamado Cristianismo Primitivo. A ideia era narrar a vida e os principais feitos e mensagens de Jesus Cristo.

Atualmente, já existem traduções em mais de 450 idiomas. Além disso, são mais de quinze milhões de cópias distribuídas ou comercializadas todos os anos.

História do Novo Testamento

Novo Testamento - como surgiram os 27 livros da segunda parte da Bíblia
Raciocínio Cristão

Depois que foi escrito, o Novo Testamento foi mantido e copiado em papiro e pergaminho por cerca de 1500 anos. Entretanto, não existe uma concordância geral entre todas as cópias, assim como não existe um original que sirva como base.

Além disso, os pergaminhos eram manuseados com muita frequência, o que gerava a destruição física dos materiais. Os próprios textos, inclusive, eram repletos de erros que foram perpetuados em novas traduções.

Por causa disso, pesquisadores precisam de muito esforço para conseguir definir a provável intenção do autor. Existem críticos textuais dedicados a reconstituição do livros da Bíblia com a maior fidelidade possível ao material original.

Originalmente, os textos foram escritos em grego koiné, dominante no Império Romano Oriental. Entretanto, existem teóricos que sugerem que o primeiro Evangelho pode ter sido escrito em hebraico.

As primeiras traduções foram feitas ainda no século II, para o latim e o siríaco. Até o século IX, os livros ganharam versões em diversas línguas, como copta, gótico, georgiano, etíope, armênio, árabe, chinês, anglo-saxão, alemão, eslavônio e franco.

Livros do Novo Testamento

Evangelhos

Novo Testamento - como surgiram os 27 livros da segunda parte da Bíblia
Cléo Fas

Assim como os outros livros do Novo testamento, os Evangelhos foram escritos em épocas e lugares distintos. Entretanto, todos eles eram inspirados pelas mensagens de revolução social e religiosa proposta por Jesus Cristo.

O nome Evangelho significa Boa Nova, uma referência ao nascimento de Jesus. É por isso, portanto, que os livros narram a vida do Messias desde esse momento até à sua morte. Os livros foram escritos por Mateus, João (os dois eram apóstolo de Jesus), Marcos (seguidor de Pedro e Paulo) e Lucas (discípulo de Paulo).

Além dos Evangelhos, há ainda o livro Atos dos Apóstolos, que narra o nascimento da Igreja Cristã no período após a ascensão de Jesus.

Epístolas

Novo Testamento - como surgiram os 27 livros da segunda parte da Bíblia
Estudos Bíblicos

O Novo Testamento reúnem várias cartas escritas para pessoas e povos cristãos da época. Sendo assim, é possível encontrar orientações e regras para entender o cristianismo e suas origens. Elas são divididas entre as Cartas Paulinas, atribuídas a Paulo de Tarso, e Epístolas Universais, nomeadas de acordo com o responsável.

As Cartas escritas por Paulo recebem títulos referentes aos povos que receberam-nas. São eles os Romanos, Coríntios, Gálatas, Efésios, Filipenses, Colossenses, Tessalonicensses, Timóteo, Tito, Filémon e Hebreus.

Já as Epístolas Universais foram redigidas por Tiago (tido como irmão de Jesus), Pedro, João e Judas (irmão de Tiago). As cartas de João, no entanto, muitas vezes são atribuídas ao grupo de seguidores do apóstolo, não necessariamente ao indivíduo.

Apocalipse

Novo Testamento - como surgiram os 27 livros da segunda parte da Bíblia
Religião de Deus

O último livro do Novo Testamento é destinado para profecias e é atribuído a João. Nele, são feitas revelações que teriam sido feitas por Jesus durante um exílio na Ilha da Patmos.

A palavra Apocalipse tem origem no grego para revelação. Eventualmente, o termo apocalipse acabou ganhando um novo significado e é utilizado como sinônimo de fim do mundo.

Entretanto, o nome foi escolhido por tratar de fatos revelados apenas a um profeta escolhido, no caso Jesus.

Fontes: Info Escola, Estilo Adoração

Imagens: WR Educacional, Raciocínio Cristão, Cléo Fas, Estudos Bíblicos, Religião de Deus