Notícias

Rússia diz que tomou a cidade de Kherson, na Ucrânia

Em comunicado do Ministério da Defesa, Rússia diz que tomou a cidade de Kherson, que fica no sul da Ucrânia.

Na última quarta-feira (2), o Ministério da Defesa da Rússia afirmou que suas forças armadas haviam tomado a cidade de Kherson, que fica no sul da Ucrânia. O porta-voz da pasta, Igor Khonashenkov, fez um comunicado sobre isso. Dessa forma, ele revelou: “As divisões russas das Forças Armadas tomaram o controle total do centro regional de Kherson”. Contudo, na ocasião em que Rússia diz que tomou a cidade de Kherson, na Ucrânia, o país vizinho nega a informação.

Dessa forma, o Ministério da Defesa ucraniano logo desmentiu o comunicado russo. “De acordo com as informações de nossa brigada, as batalhas estão acontecendo agora”, disse um porta-voz do ministério. “A cidade não está totalmente capturada, algumas partes estão sob nosso controle”. Vários vídeos já estão circulando nas redes sociais. Neles, é possível notar veículos militares russos próximos à cidade na última terça-feira (1). Os dias passados já haviam sido de bombardeios e combates intensos das duas forças.

Seja como for, um lado das publicações fornece novas evidências sobre o caso. Assim, os russos estariam, sim, em Kherson, e sem impedimentos. Na tarde de terça, o prefeito de Kherson, Igor Kolykhaiev, chegou até mesmo a postar uma mensagem pedindo ajuda nas redes sociais. Ele alertou que a cidade estava sob ataque. “Edifícios residenciais e instalações urbanas estão queimando”, escreveu Igor.

Fonte: CNN

Continua após a publicidade

Rússia diz que tomou a cidade de Kherson, na Ucrânia, mas Ucrânia nega

O Globo

Da mesma forma, Kolykhaiev ainda comentou: “Nós NÃO somos militares! Mas vou manter a cidade e seu funcionamento enquanto eu puder. Se os soldados russos e sua liderança me ouvirem. Peço: saia da nossa cidade, pare de bombardear os civis. Você já pegou tudo o que queria. Incluindo vidas humanas.”

De acordo com o governador da região de Kharkiv, no leste da Ucrânia, pelo menos 21 pessoas teriam morrido e 112 ficaram feridas após o último bombardeio da quarta-feira. Assim, autoridades ucranianas afirmaram que mísseis russos atingiram várias áreas residenciais e prédios da administração no centro da cidade.

Próxima página »

Escolhidas para você