Curiosidades

Setembro amarelo – O que é o mês mundial de prevenção ao suicídio

O setembro amarelo foi criado pelo CVV como uma forma de conscientizar e evitar que o número de suicídios no país continue crescendo.

Atualizado em 01/09/2020

Setembro amarelo é conhecido mundialmente como o mês de prevenção ao suicídio. Essa campanha foi criada no Brasil pelo Centro de Valorização da Vida em 2015.

A cor amarela representa a valorização da vida. Portanto, mesmo que o assunto deva ser discutido durante todo o ano, é em setembro que o tema é reforçado e trabalhado por diversas instituições.

No Brasil, o suicídio ocupa o quarto lugar no ranking de causas de mortes mais comuns entre os jovens. Além disso, a cada 40 segundos uma pessoa se mata em algum lugar do mundo.

Por fim, segundo a OMS, o suicídio é a segunda causa mais comum de morte em pessoas com idade de 15 a 29 anos. Só no Brasil, 32 pessoas morrem por dia tirando a própria vida.

Infelizmente, o assunto aqui ainda é tratado como um tabu. Aliás, muitos são os que evitam falar sobre o tema com medo de instigar a ideia nos outros. Contudo, um diálogo sobre o suicídio é necessário.

A necessidade do setembro amarelo

Setembro amarelo - O que é o mês mundial de prevenção ao suicídio
Fonte: Portal da Cidade

Você sabia que o auxílio psicológico poderia ser o suficiente para evitar 90% dos casos de suicídio? A maioria desses casos acaba sendo causado em decorrência de doenças mentais que não são tratadas. Entretanto, não são tratadas porque as pessoas nem sequer sabem que precisam de ajuda.

É por isso que o setembro amarelo foi criado. A proposta é trabalhar com o diálogo no intuito de prevenir essas mortes precoces. Surpreendentemente, 60% das pessoas que suicidaram não chegaram a procurar ajuda. Consegue imaginar alguém que quebrou o braço não procurar ajuda?

Entretanto, como assunto não é falado, ele não é conhecido. Por exemplo 17% dos brasileiros já considerou de forma real o suicídio. Além disso, destes, 4,8% chegaram a trabalhar em uma forma disso acontecer. Imagine como o número de perdas seria menor se todos falassem abertamente sobre isso.

Por que setembro amarelo?

O casal Dale Emme e Darlene Emme foram os responsáveis por dar o pontapé inicial a campanha de prevenção ao suicídio. Mike Emme, filho do casal, se matou com 17 anos em 1994. O jovem era reconhecido por ser muito caridoso e hábil em mecânica. Aliás, ele até restaurou um Mustang 68 e o pintou de amarelo.

Setembro amarelo - O que é o mês mundial de prevenção ao suicídio
Fonte: Conexão Umadesb

Como o jovem era apaixonado no carro, passou a ser chamado de Mustang Mike. Entretanto, ninguém conseguiu reconhecer os sinais que Mike dava de que queria acabar com a própria vida. Posteriormente, em seu funeral, uma cesta com cartões e fitas amarelas estava ao alcance de todos que quisessem pegar um cartão.

A ideia veio dos amigos de Mike. Os 500 cartões com fitas amarelas tinham um recado para quem pegasse: se você precisar, peça ajuda. Os cartões chegaram a todos os cantos dos Estados Unidos e, surpreendentemente, os pedidos de ajuda começaram a surgir.

Por fim, a fita amarela acabou se tornando símbolo do programa que ajuda aqueles que querem tentar suicídio a buscar ajuda. Em seguida, em 2003, a OMS declarou que dia 10 de setembro seria o Dia Mundial da Prevenção do Suicídio. E a cor do carro de Mike tornou-se a escolhida para representar o movimento.

O medo sobre o assunto

Fonte: Medium

Mesmo com o setembro amarelo, as pessoas têm medo de falar sobre suicídio e acabar induzindo pessoas a seguirem esse caminho. Esse evento é conhecido como Efeito Werther. Ele ganhou esse nome por causa do livro Os Sofrimentos do Jovem Werther, publicado em 1774.

Na história, que tem um tom depressivo, Werther acaba suicidando no final. Entretanto, no período, o livro foi considerado a causa de uma onda de suicídios entre os jovens europeus. Posteriormente o Efeito Werther foi comprovado de forma científica, conhecido como suicídio por imitação.

Kurt Cobain – Reverb

Além disso, em 1962, com a morte de Marilyn Monroe e em 1994, com a morte de Kurt Cobain, os suicídios americanos também tiveram um grande aumento. Por fim, é por esse motivo que a OMS aconselha a mídia a não expor formas e processos de suicídio, para evitar o incentivo.

Todavia, é importante ressaltar que nenhum dos eventos causaram as mortes. Quem buscou o suicídio após ser exposto a essas notícias já tinham tendências antes mesmo de saberem sobre as mortes. Por exemplo, pessoas com depressão e esquizofrenia não tratadas são vulneráveis demais ao Efeito Werther.

Portanto, conversar sobre o assunto é importante para que seja possível diminuir o número de pessoas que são vulneráveis ao suicídio. Ou seja, para evitá-lo, é necessário falar sobre ele. Demonstrar que as pessoas não estão sozinhas é o primeiro passo para tratar as doenças.

Onde buscar apoio

Fonte: Mundo dos Inconfidentes

Além de psiquiatras e terapeutas, o CVV – Centro de Valorização a Vida – pode ser o primeiro passo para quem busca ajuda. Ele é uma organização filantrópica e sem fins lucrativos. Ou seja, seu objetivo é apenas dar apoio emocional para quem está sofrendo com pensamentos suicidas.

Foi o CVV quem criou o setembro amarelo em 2015. O mês foi escolhido por causa do Dia Mundial de Prevenção do Suicídio e a cor pelo mesmo motivo. Enfim, para pedir ajuda é só ligar 188. O atendimento é feito de forma anônima por voluntários que guardarão sigilo sobre a pessoa. Além disso, também é possível receber atendimento pelo chat do site, por e-mail ou em um posto de atendimento físico.

Causas do suicídio

Fonte: goedert

Como já foi dito anteriormente, doenças mentais acabam se tornando os maiores motivos que levam alguém ao suicídio. Entretanto, não é só a depressão. Pessoas com bipolaridade, esquizofrenia e dependência química também entram no grupo.

Por outro lado, não é porque uma pessoa suicidou que isso significa que ela tenha algum transtorno. É necessário sempre ter em mente que, na maioria das vezes, o suicídio é algo feito de forma impulsiva. Ou seja, algumas situações que impactam a vida das pessoas podem levá-las a isso.

Como por exemplo, a perda de alguém querido, o término de um relacionamento, algum abuso sofrido e até mesmo problemas financeiros. Além disso, o suicídio também acaba sendo uma saída para pessoas que sofrem discriminação. Como homossexuais, transgêneros, imigrantes e até mesmo o bullying na escola.

Sinais de alerta

Fonte: vitorianews

Às vezes, pessoas que estão com pensamentos demonstram alguns sinais de alerta. Fique atento aos detalhes, como por exemplo:

  • Desinteresse em quaisquer atividades (mesmo as que gosta)
  • Falta de produtividade no trabalho ou na escola
  • Isolamento dos amigos e familiares
  • Descuido com a aparência
  • Falta de importância com atividades diárias
  • Muitos assuntos relacionados a morte

Caso você conheça alguém que esteja passando por uma ou várias dessas situações, converse com ela. Entretanto, é necessário que essa conversa seja sem julgamentos e opiniões sobre o assunto. Portanto, deixe a pessoa falar, demonstre que a sua intenção é apenas ajudar.

Por fim, é necessário e extremamente importante incentivar alguém que esteja pretendendo cometer suicídio a procurar uma ajuda especializada. E atenção: se você perceber que essa pessoa corre risco imediato de tentar algo, nunca a deixe sozinha. Ou seja, busque serviços de emergência ou alguém de confiança.

O setembro amarelo é apenas um mês de conscientização sobre algo que as pessoas devem fazer o ano todo: procurar ajuda.

Enfim, gostou da matéria? Em seguida leia: Imagem profissional, o que é? Importância e como fazer

Imagens: Beecorp, Portaldacidade, Reverb, Medium, Conexaoumadesb, Mundodosinconfidentes, Goedert e Vitorianews

Fontes: Minutosaudavel, Brasilescola e CVV