Ciência & Tecnologia

Cratera de Vredefort: conheça a maior e mais antiga cratera do mundo

A Cratera de Vredefort está localizada na Austrália Ocidental, sendo a maior e mais antiga, com grande impacto na superfície terrestre

A Cratera de Vredefort é a cratera de asteroide mais antiga do mundo, com localização e descoberta na Austrália. Sendo assim, tornou-se um importante elemento para explicar o fim das eras glaciais. Além disso, apresentou uma análise de minerais que explica a formação de corpos celestes dessa natureza.

A princípio, a cratera surgiu na região de Yarrabubba, na Austrália Ocidental. Porém, pertence a um asteroide que chegou à Terra há 2,2 bilhões de anos. Ou seja, a Cratera de Vredefort possui metade da idade do planeta. Ademais, apontou para os cientistas informações importantes sobre o estado do Sistema Solar nesse período.

No geral, estima-se que possui entre 6 a 10 quilômetros de diâmetro, com origem a partir de uma colisão na velocidade média de 250 mil quilômetros por hora. Portanto, além de ser a maior e mais antiga, é ainda a que tem maior impacto na história do planeta como um todo.

Curiosamente, ainda que séculos tenham sucedido o impacto, até hoje se pode ver a Cratera de Vredefort com facilidade, por causa do impacto que causou na superfície terrestre. Contudo, a teoria inicial era que sua origem partia de uma relíquia vulcânica do passado. Por fim, conheça mais a seguir:

Continua após a publicidade

Cratera de Vredefort, o que é? Origem e curiosidades

Origem e história da Cratera de Vredefort

Primeiramente, o descobrimento da Cratera de Vredefort aconteceu em 1979, no interior do deserto da Austrália. Entretanto, o principal desafio foi identificar quantos anos elas tinham. Portanto, cientistas mapearam o campo magnético da região e criaram comparações com análises da cratera.

Sobretudo, análises de minerais na região ajudaram a identificar quando e como atingiu a Terra, em especial por meio do envelhecimento do urânio. Desse modo, descobriram que os componentes da Cratera de Vredefort eram pelo menos 200 milhões de anos mais antiga que a Cratera de Vredefort Dorme, localizada previamente na África do Sul.

Ademais, a região da Austrália Ocidental é palco para diversos fósseis e descobrimentos arqueológicos, mas a Cratera de Vredefort consiste na mais antiga até os dias atuais. Como consequência, essa pesquisa ajudou a entender melhor sobre o aquecimento do planeta inteiro no período de formação da cratera.

Continua após a publicidade

Em resumo, existe uma teoria sobre a Era do Gelo ter feito da Terra um grande globo de neve. Contudo, repentinamente essas camadas derreteram e o planeta começou a se aquecer. Portanto, acredita-se que um dos motivos tenham sido asteroides e crateras como a que encontraram na Austrália.

Posteriormente, os cientistas responsáveis refizeram por meio de computadores o momento em que a Cratera de Vredefort surgiu. Em especial, o projeto buscou entender como esse evento promoveu mudanças tão grandes no clima do mundo inteiro. Basicamente, as descobertas mostram que o impacto liberou grandes volumes de vapor d’água na atmosfera, dando início ao efeito estufa.

Sendo assim, o planeta tornou-se quente e teve início a Era Proterozoica, quando surgiu o oxigênio na atmosfera. Consequentemente, os primeiros complexos de vida surgiram logo em seguida.

Cratera de Vredefort, o que é? Origem e curiosidades

Continua após a publicidade

Importância científica

Em resumo, a Cratera de Vredefort é um importante documento das origens do planeta Terra. A partir de estudos e análises minerais, assim como projetos de recriação computacional, pode-se entender melhor o que aconteceu no início dos tempos. Sobretudo, é mais fácil acompanhar as mudanças de temperatura e pressão que gerou a origem das espécies.

Previamente, acreditava-se em diversas teorias para o fim da Era do Gelo e o aquecimento da atmosfera. Também haviam estudos sobre a formação de oxigênio na superfície terrestre. Portanto, a cratera proveu muitas respostas, e criou outras dúvidas a cerca das consequências a longo prazo do efeito estufa que começou há milênios.

Apesar disso, os cientistas responsáveis afirmam não haver modelos suficientes que comprovem essa teoria como a verdade. Porém, os estudos e análises são contínuos na missão de aprofundar o que se sabe a respeito do tema. Além disso, entender ssas questões afeta o estudo de fenômenos como vulcões, terremotos e até mesmo a formação dos continentes.

E aí, aprendeu sobre a Cratera de Vredefort? Então leia sobre Sangue doce, o que é? Qual a explicação da Ciência

Continua após a publicidade
Próxima página »

Escolhidas para você