Ciência & Tecnologia

7 órgãos humanos sem os quais você pode viver

Você acha que todos os seus órgãos internos são vitais? Acredite, está longe de ser assim. Conheça 6 órgãos humanos sem os quais você pode viver.

O nosso corpo é formado por diversos órgãos humanos, os quais sabemos que são muito importantes para o funcionamento do nosso organismo.

No entanto, pode-se afirmar que o corpo humano é bastante resistente e adaptativo. Por isso, há alguns órgãos que, caso necessário, podem ser dispensados ou fracionados e não resulta em grandes problemas ao organismo.

Quais órgãos humanos é possível viver sem?

1. Baço

Esse é um órgão que faz parte do sistema imunológico do corpo humano. Assim, funciona, basicamente, como um filtro e um reservatório de sangue.

O baço está localizado em nosso corpo debaixo das costelas, na parte posterior à esquerda. Dessa forma, ele é vulnerável ao traumatismo no abdômen e, por ser frágil, pode sofrer sangramento.

Apesar de podermos sobreviver sem ele, nosso corpo fica muito mais propenso a infecções quando ele é retirado.

No entanto, se retirado, o fígado pode reciclar os glóbulos vermelhos e seus componentes. Além disso, o sistema linfático também colabora com as funções imunes do órgão em questão.

2. Rim

Dentre várias funções, o rim atua como um filtro para o sangue para o nosso corpo. Dessa maneira, esse órgão elimina substâncias prejudiciais ao corpo e aos outros órgãos humanos, em forma de urina.

Embora nasçamos, em via de regra, com dois rins, é possível viver com apenas um dos órgãos ou, até mesmo, sem nenhum deles por meio de alguns processos que simulam o funcionamento renal no corpo.

O mecanismo que auxilia o corpo humano sem rim é a diálise, havendo dois tipos diferentes:

  • Hemodiálise: esse procedimento consiste na utilização de um equipamento que limpa o sangue a partir de uma solução de dextrose.
  • Diálise peritoneal: já essa técnica conta com a inserção de um cateter especial na região abdominal para introduzir e extrair, manualmente, a solução dextrose.

3. Órgãos reprodutivos

Embora fundamentais para a reprodução, a falta desses órgãos não apresenta muitos danos ao corpo. Dessa forma, a qualidade de vida se mantém quase que intacta.

Essa é uma boa notícia, já que a retirada deles é, relativamente, frequente, visto que cânceres, traumatismo, entre outros fatores ocorrem em tais órgãos humanos.

Mais órgãos humanos que podemos viver sem

4. Estômago

Embora pareça um dos órgãos humanos essenciais para a vida, a verdade é que há pessoas por aí vivem sem estômago.

Aliás, quando o estômago precisa ser retirado, seja por câncer ou outros problemas, o esôfago é ligado diretamente ao intestino delgado.

Conforme relatos médicos, pessoas que passam por esse tipo de intervenção no corpo precisam receber injeções de vitaminas enquanto se recuperam da cirurgia e se adaptam à nova realidade.

Depois disso, no entanto, elas podem viver normalmente, desde que se alimentem em pequenas quantidades.

5. Cólon

O cólon é a maior parte do intestino grosso. Ele é responsável, sobretudo, pela absorção de água das fezes e por torná-las mais consistentes, antes de serem eliminadas pelo corpo.

Sendo assim, esse é outro dos órgãos humanos sem o qual é perfeitamente possível viver.

No caso de pessoas que precisam ter o cólon retirado, é preciso implantar uma bolsa interna ou externa, que vai simular o armazenamento das fezes normal do corpo.

6. Apêndice

Embora seja comum ouvir por aí que o apêndice humano não serve para nada em nosso corpo, estudos mostram que isso não é real.

Conforme cientistas provaram, ele é o responsável pelo crescimento de bactérias benéficas para o organismo, além de facilitar o repovoamento dessas bactérias no cólon.

Apesar disso, esse é um dos órgãos humanos que não compromete a sobrevivência, caso precise ser retirado do corpo.

Aliás, é muito comum pessoas que precisam passar por cirurgia para a retirada do apêndice por causa de inflamações ou lesões e que continuam vivendo normalmente.

7. Vesícula biliar

A vesícula se localiza, em nosso corpo, abaixo do fígado. Ele é responsável por armazenar bile, substância produzida pelo fígado para auxiliar a decompor a gordura, no entanto, o excesso que não é utilizado fica armazenado na vesícula.

Nesse sentido, ao detectar gordura no corpo, os intestinos liberam um hormônio que faz a vesícula biliar se contrair, consequentemente, secretando bile nos intestinos.

Entretanto, quando há muito colesterol na bile, é possível formar cálculos biliares, que bloqueiam os vasos que a transportam. Quando isso ocorre, pode ser preciso retirar a vesícula.

Ainda falando sobre os órgãos do corpo humano, você precisa ler esta matéria: Quanto vale um rim e outros órgãos no mercado negro?

Fontes: El País Brasil, Hypescience.

Bibliografia

AMERICAN CANCER SOCIETY. About Stomach Cancer. 2021. Disponível em: <https://www.cancer.org/content/dam/CRC/PDF/Public/8838.00.pdf>.

AMERICAN KIDNEY FUND. Kidney failure, end-stage kidney disease (ESKD) or end-stage renal disease (ESRD). Disponível em: <https://www.kidneyfund.org/all-about-kidneys/kidney-failure-end-stage-kidney-disease-eskd-or-end-stage-renal-disease-esrd#what-causes-kidney-failure>.

MAYO CLINIC. Appendicitis. Disponível em: <https://www.mayoclinic.org/diseases-conditions/appendicitis/symptoms-causes/syc-20369543>.

SOCIEDADE BRASILEIRA DE COLOPROCTOLOGIA. Pólipos Intestinais. 2009. Disponível em: <https://www.sbcp.org.br/pdfs/publico/polipo.pdf>.

Próxima página »

Escolhidas para você