Curiosidades

Os Sete Príncipes do Inferno, segundo a Demologia

Os sete príncipes do Inferno são uma designação popular para indicar o índice criado pelo bispo alemão Peter Binsfeld no século XVI.

Em primeiro lugar, os sete príncipes do Inferno surgiram a partir de um resumo feito pelo teólogo e bispo alemão Peter Bisnfeld. Nesse sentido, no século XVI, ele associou um demônio específico a cada um dos pecados capitais. Desse modo, criou uma personificação de cada pecado, a partir dos estudos em teologia e demonologia.

Além disso, ele mesmo teorizou que outros demônios poderiam invocar o pecado. Sobretudo, categorizou os grandes demônios na teologia, como Lilith e sua prole. Apesar disso, a principal referência sobre os sete príncipes do Inferno partem da obra Dicttionaire Infernal, com publicação em 1818.

Em resumo, consiste em uma obra sobre demonologia ilustrada, com organização em hierarquias infernais e autoria de Jacques Auguste Simon Collin de Plancy. Acima de tudo, a obra busca retratar as descrições do aparecimento de vários demônios, com divisão posterior em dois volumes.

Por outro lado, os sete príncipes do Inferno são o oposto dos sete arcanjos do Céu, que por sua vez equivalem às sete virtudes. Sendo assim, essas figuras teológicas partem da noção dicotômica de bem e mal presente no cristianismo. Ademais, estima-se que os sete níveis do Inferno de Dante, criado por Dante Alighieri, também parte dessas figuras teológicas. Por fim, conheça-os a seguir:

Continua após a publicidade

Quem são os príncipes do Inferno?

1) Lúcifer, o príncipe do Orgulho e o rei no Inferno

A princípio, Lúcifer é o demônio do orgulho, porque sua soberba o fez ser expulso do céu após buscar ser tão poderoso quanto Deus. Apesar disso, é ele o responsável pelo surgimento do Inferno, assim como pelo domínio dessa esfera. Ademais, seu nome em hebraico significa estrela da manhã, referindo-se a sua imagem enquanto querubim.

2) Belzebu, o príncipe do Inferno e a Gula

Basicamente, Belzebu representa a gula, mas também existem textos de 1613 que o consideram a origem do orgulho. Além disso, é tenente dos exércitos do Inferno, atuando diretamente com Lúcifer. Por outro lado, conhece-o como o Senhor das Moscas, citado até mesmo em uma obra homônima.

Continua após a publicidade

3) Leviatã

Em primeiro lugar, refere-se a um ex-serafim que tornou-se um dos demônios mais poderosos do Inferno. Mais ainda, tem o poder de fazer com que homens tornem-se hereges. Apesar disso, é um monstro marítimo que habita o oceano, sendo também o demônio da inveja, com enormes proporções.

No geral, é ainda o rei de todos os demônios e monstros do mar. Porém, seu arquétipo refere-se principalmente à brutalidade, ferocidade e aos impulsos selvagens do ser.

Continua após a publicidade

4) Azazel, o príncipe da Ira

Em resumo, consiste no líder dos anjos caídos que tornou-se popular por manter relações sexuais com mulheres mortais. Além disso, trabalhou com os homens ao ensiná-los a arte de fabricar armas de guerra, tendo associação com a ira em decorrência desse processo. Comumente, sua representação envolve um homem misturado com bode.

5) Asmodeus

Além de ser um dos demônios mais ancestrais, assim como Lúcifer, é o representante da Luxúria. Apesar disso, o judaísmo o tem como o rei de Sodoma, uma cidade bíblica destruída por Deus no Antigo Testamento. Desse modo, é o pai da destruição, dos jogos, do mistério e da perversidade.

Curiosamente, algumas correntes da demonologia acreditam que Asmodeus seria filho de Lilith com Adão, quando ambos viviam no paraíso. Porém, tornou-se um demônio ao ir contra os princípios de Deus e acumular bens que não lhe pertenciam na Terra.

6) Belphegor, o príncipe da Preguiça

Antes de mais nada, esse príncipe do Inferno tem aparência robusta e atlética, apresentando chifres de carneiro e feições exageradas. Curiosamente, tinha a habilidade de realizar descobertas e invenções que trariam riqueza aos homens. Desse modo, transformava-os em preguiçosos.

Continua após a publicidade

7) Mamon

Por fim, Mamon é o último dos sete príncipes do Inferno, representando a avareza. Nesse sentido, seu próprio nome em aramaico representa o pecado capital que corresponde à sua identidade. Além disso, ele é filho de Lúcifer com Lilith, sendo meio irmão de Caim e Asmodeus.

Desse modo, os três correspondem à trindade de primeiros primogênitos na teologia. Ademais, Mamon é a figura do anticristo, devorador de almas e responsável por corromper as almas. Apesar disso, apresentsa a fisionomia de um nobre com aparência deformada, carregando um saco de ouro que usa para subornar os homens.

E aí, aprendeu sobre os sete príncipes do Inferno? Então leia sobre Sangue doce, o que é? Qual a explicação da Ciência.

Continua após a publicidade

Próxima página »

Escolhidas para você