Saúde

DST: O que é, sintomas, causas e tratamentos

Muitas pessoas que têm uma DST não sabem disso porque geralmente apresentam sinais que passam despercebidos. Saiba como identificá-los.

As DSTs (doenças sexualmente transmissíveis) são infecções transmitidas de uma pessoa infectada para outra sadia, geralmente, durante o ato sexual sem proteção.

No entanto, elas também podem ser contraídas pela criança na gravidez, no parto e na amamentação, caso a mãe esteja infectada. Além disso, elas ainda podem ser transmitidas a partir do contato de mucosas mediante secreções contaminadas.

Segundo a dra. Valéria Correia de Almeida, em entrevista ao site Juliana Gabriel, “hoje em dia, chamamos de infecções sexualmente transmissíveis (IST), pois em uma grande parte dessas infecções as pessoas não apresentam sintomas, portanto não se sentem doentes e são portadoras de um vírus ou bactéria que podem ser transmitidos através da relação sexual, e que podem futuramente causar alguma doença”.

Em seguida, listamos mais informações sobre as ISTs. Confira!

Continua após a publicidade

Sinais e sintomas que podem indicar DST

1. Dor ao urinar e sangue na urina podem indicar DST

Embora as infecções do trato urinário ou pedras nos rins possam ser responsáveis ​​por dor ou queimação ao urinar, esses também podem ser sintomas de muitas DSTs diferentes.

Por exemplo: clamídia, gonorreia, tricomoníase e herpes genital.

Além disso, o sangue na urina é observado tanto em casos de clamídia em mulheres, bem como outras doenças em ambos os sexos.

2. Secreção e odor incomuns

Qualquer secreção dos órgãos genitais que não seja urina, sêmen ou sangue menstrual é uma possível indicação de DST.

Continua após a publicidade

Ademais, um corrimento vaginal anormal pode ser, aliás, uma indicação de infecção por fungos ou vaginose bacteriana. Além disso, o tipo de corrimento nas mulheres também pode mudar dependendo da DST.

A clamídia, a tricomoníase e a gonorreia são causas possíveis em homens com esses sintomas, embora possam estar relacionadas a outras infecções também.

A tricomoníase pode ter uma aparência verde, espumosa e ter um odor desagradável, já a gonorreia pode ser amarela e tingida de sangue.

3. Desconforto genital

Esse sintoma pode ter várias causas, por exemplo, infecção bacteriana ou infecção por fungos, mas, para as mulheres, também pode ser um sinal de vaginose bacteriana. Minúsculos parasitas podem causar infecção que produz coceira.

Continua após a publicidade

Feridas e inchaços de outras DSTs, em ambos os sexos, também podem ser uma fonte de desconforto genital e podem ajudar a disseminar as infecções.

Sífilis, herpes, HPV e outras DSTs são fontes comuns de desconforto.

4. Dor durante a relação sexual pode caracterizar DST

Como algumas mulheres sentem dor durante o sexo sem ter nenhum tipo de infecção, pode ser mais difícil identificar esse sintoma.

No entanto, a dor após qualquer mudança nos hábitos ou parceiros sexuais pode ser uma indicação de DST.

Continua após a publicidade

A ejaculação dolorosa, em homens, também pode indicar a possibilidade de uma DST.

5. Dor pélvica pode ser sinal de DST

Para as mulheres, pode haver muitas fontes de dor pélvica que não estão, de forma alguma, relacionadas a doenças sexualmente transmissíveis. Isso inclui miomas uterinos, endometriose ou apenas cólicas menstruais.

No entanto, uma DST assintomática pode fazer com que as mulheres desenvolvam doença inflamatória pélvica, que pode causar dor severa, infertilidade e, em casos raros, pode ser fatal.

6. Feridas e verrugas podem indicar DST

Feridas, inchaços e bolhas nos órgãos genitais ou ao redor, geralmente, são uma indicação de algum tipo de DST. Na verdade, para muitas doenças sexualmente transmissíveis, esse é o primeiro sinal.

Continua após a publicidade

Na sífilis, um dos primeiros sinais são as feridas nos órgãos genitais.

No herpes, inchaços e feridas são os primeiros sinais comuns. Portanto, são uma boa indicação para consultar um médico.

Exemplos das DSTs mais comuns

1. HPV

Este é um vírus que causa as DST mais comuns no Brasil, que inclusive acomete mais da metade dos jovens do país.

Existem muitos tipos de HPV – alguns causam verrugas genitais, enquanto outros podem causar certos tipos de câncer, como câncer cervical ou de garganta.

Continua após a publicidade

Não há cura para o HPV, mas existe uma vacina que pode ajudar a prevenir essa infecção.

2. Herpes genital

Dois tipos de vírus do herpes – tipo 1 (HSV-1) e tipo 2 (HSV-2) – causam uma DST incurável.

O HSV-1, geralmente, causa herpes na boca (herpes labial ou bolhas), mas pode se espalhar para os órgãos genitais.

Após a primeira infecção, o vírus permanece inativo em seu corpo, mas pode ser reativado várias vezes por ano. Assim, não há cura para o herpes, mas existem bons tratamentos para controlar os sintomas e prevenir crises.

Continua após a publicidade

3. Tricomoníase

Esta é uma DST comum que resulta em coceira ou queimação na vagina ou no pênis e/ou dor ao urinar. Porém, apenas 30% das pessoas infectadas apresentam sintomas.

A tricomoníase, no entanto, pode ser curada com medicamentos.

4. Clamídia

Esta DST bacteriana pode afetar órgãos genitais, reto, olhos e garganta. Ademais, pode causar queimação ao urinar e secreção na área genital.

Contudo, a clamídia pode ser curada com antibióticos.

Continua após a publicidade

5. HIV

Este é um vírus que ataca o sistema imunológico do corpo e pode causar a síndrome da imunodeficiência adquirida (aids).

Existem bons tratamentos disponíveis para controlar e prevenir a infecção, no entanto, ainda não há cura. Entretanto, há queda no número de óbitos e de acometidos por essa DST no Brasil.

6. Gonorreia

Assim como a clamídia, a gonorreia é uma DST bacteriana que pode afetar órgãos genitais, reto, olhos e garganta. Além disso, pode causar queimação ao urinar e secreção na área genital.

A gonorreia, inclusive, pode ser curada com antibióticos.

Continua após a publicidade

7. Sífilis

Esta DST bacteriana pode afetar diferentes partes do corpo. Os sintomas podem incluir, sobretudo, feridas nos genitais ou na boca, gânglios linfáticos inchados e erupção na pele.

Ademais, essa doença quando não tratada com antibióticos pode causar complicações graves.

8. Hepatite viral

Esta é uma doença hepática grave causada pelo vírus da hepatite B ou da hepatite C. Aliás, tanto a hepatite B quanto a C podem ser transmitidas por contato sexual.

A hepatite viral não é apenas uma causa de insuficiência hepática, mas também uma das principais causas de câncer de fígado no país.

Continua após a publicidade

Entretanto, existe uma vacina que pode ajudar a prevenir a infecção por hepatite B.

Então, se você vive nesse planeta, com certeza, já sabe que o uso da camisinha é a melhor forma de se proteger contra as doenças sexualmente transmissíveis, não é mesmo?

E não vale abrir exceções, como você pode conferir nessa outra matéria: Homens tendem a não usar camisinha se a mulher é bonita, aponta estudo.

Fonte: Rede São Luiz, BVSMS, Juliana Gabriel, Drauzio Varella, Ministério da Saúde.

Continua após a publicidade

Bibliografia:

DIVE – DIRETORIA DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA. Herpes Genital. Disponível em: <http://www.dive.sc.gov.br/index.php/d-a/item/herpes-genital>.

PENELLO, Angelo M. et al. Herpes Genital. J bras Doenças Sex Transm. Vol.22(2). 64-72, 2010.

SOCIEDADE BRASILEIRA DE INFECTOLOGIA. Herpes Simples. Disponível em: <https://www.infectologia.org.br/pg/985/herpes-simples>.

Continua após a publicidade
Próxima página »

Escolhidas para você