Listas

12 alterações nas unhas que podem indicar problemas de saúde

Risquinhos brancos na sua unha, unhas amarelas ou quebrando. Tudo isso são sinais de alerta que suas unhas emitem sobre sua saúde!

Alterações nas unhas são perceptíveis diante de casos de envelhecimento ou colisões. No entanto, há outros tipos de sinais de que as unhas nos emitem.

Nesse sentido, as alterações nas unhas podem ser em razão de uma enfermidade, deficiência de algumas vitaminas ou outros minerais, problemas hormonais, infecções, diabetes e, inclusive, câncer.

Isso ocorre em virtude da falta de oxigenação que os problemas mais sérios causam. Consequentemente, as unhas têm mudança no processo de crescimento e desenvolvimento, na cor, na forma e em sua resistência.

Quando saudáveis, as unhas apresentam uma aparência branca transparente e a base rosada. Dessa forma, caso haja alterações nesse aspecto, que não sejam resultado de colisões, é imprescindível buscar atendimento médico.

Assim, neste texto, a gente vai te mostrar o que suas unhas podem dizer sobre sua saúde.

1. Unhas amareladas

As unhas que adquirem uma coloração amarelada podem indicar, de fato, diversas condições, porém não necessariamente doenças.

Continua após a publicidade

Por exemplo, as pessoas idosas, comumente, podem apresentar as unhas amareladas. Além disso, pessoas que tomaram antibióticos, manusearam produtos químicos ou que fumam também podem ser acometidas pelo amarelamento das unhas.

Há também a possibilidade de essas alterações nas unhas ocorrerem por consumo exagerado de cenoura, abóbora ou batata-doce.

No entanto, existem alguns problemas de saúde que podem apresentar como sintoma as unhas amareladas, como infecção por fungos, diabetes, doenças do fígado ou pulmonares, além de artrite reumatoide e psoríase.

Como agir nesses casos: buscar atendimento dermatológico para observar se é infecção fúngica ou se é psoríase e, então, cuidar adequadamente da condição. Se você estiver com suspeita de outras doenças, é melhor buscar um clínico geral que, por meio da avaliação inicial, poderá te encaminhar para o especialista mais apropriado.

2. Unha com manchas brancas

Mancha branca na unha da mão: o que pode ser e como resolver?

Em geral, as manchas brancas na unha têm como causas pancadas ou lesões. Essa alteração é denominada de leuconiquia.

Entretanto, essas alterações nas unhas também ocorrem em decorrência das mudanças hormonais durante o ciclo menstrual.

Além disso, embora não seja muito frequente, essas manchas podem aparecer após o uso de alguns antibióticos ou por causa de vitiligo ou hanseníase, por exemplo.

Como agir nesses casos: aguardar o crescimento da unha até que as manchinhas sumam. Caso isso não ocorra após muitas semanas, é recomendável buscar um dermatologista.

3. Unhas quebradiças e ressecadas

Em resumo, se suas unhas dificilmente permanecem inteiras, esse pode ser um sinal de que você está mantendo contato frequente com substâncias químicas. Detergentes e, até mesmo, o esmalte de unha, por exemplo, podem fragilizá-las.

Além disso, essas alterações podem surgir em suas unhas motivadas por deficiência de vitaminas A, B12 ou C, baixo teor de ferro ou ácido fólico no organismo ou doenças, por exemplo, anemia, hipertireoidismo, micose ou psoríase.

Como agir nesses casos: primeiramente, é recomendável dar uma pausa no uso de produtos que possam causar alergia. Caso as unhas continuem quebrando, deve-se procurar um dermatologista para investigar se há a deficiência de algum nutriente ou se há alguma doença.

4. Unhas azuladas

Essas alterações ocorrem por causa de baixo teor ou ausência de oxigenação. Em decorrência disso, a pele que fica embaixo da unha adquire uma coloração azulada.

Isso pode acontecer quando estamos em algum local com baixa temperatura e, aliás, tal condição é denominada cianose.

No entanto, se esse sintoma aparecer em contextos diferentes desse, é possível que esteja indicando problemas circulatórios, respiratórios ou cardíacos.

Como agir nesses casos: em caso de se estar em ambiente frio, é recomendável utilizar luvas ou manter as mãos aquecidas de outra forma. Porém, se além das unhas azuladas, surgirem sintomas, como falta de ar ou cansaço excessivo, é imprescindível procurar um clínico geral ou um cardiologista.

5. Com linhas escuras na unha

Um perto de uma mão

Quando surgem linhas escuras na unha, pode ser um indicativo de uma condição denominada melanoniquia. Isso pode ocorrer devido ao uso de antibióticos ou remédio utilizado no tratamento do HIV.

No entanto, outra causa possível é o aumento da produção da melanina, pigmento escuro que dá a coloração da pele. Por conseguinte, isso pode ser um sintoma de câncer de pele.

Além disso, essas alterações nas unhas podem surgir em decorrência de alguma colisão ou outra situação que tenha causado um sangramento local, escurecendo, então, a unha.

Como agir nesses casos: uma consulta dermatológica é o ideal, pois assim o médico pode investigar a causa da linha escura. Caso seja o efeito colateral de algum remédio, o médico poderá fazer a alteração por outro. Porém, se a mancha foi progredindo com o passar do tempo, com mudança de cor, de forma e de tamanho, o médico examinará para diagnóstico de melanoma. Por fim, caso a linha seja resultado de uma lesão, basta aguardar o sangue do local ser naturalmente absorvido.

6. Unhas avermelhadas

Essas alterações podem indicar paroniquia, uma condição provocada devido a infecções bacterianas, virais ou fúngicas; ou devido a feridas no local, o que pode, aliás, ocasionar a formação de pus.

Contudo, algumas enfermidades também podem acarretar a coloração avermelhada à unha, por exemplo, doenças do coração e do pulmão.

Como agir nesses casos: se tiver ferimentos em volta, é indicado buscar acompanhamento dermatológico a fim de tratar a infecção com antibióticos ou drenar o pus presente no local. Entretanto, caso as unhas estejam avermelhadas de forma geral, é ideal buscar ajuda médica imediata ou o pronto-socorro para tratar da causa o quanto antes.

7. Unhas esverdeadas

Essas alterações são sintoma da síndrome das unhas esverdeadas, em suma, causada devido a uma infecção bacteriana de Pseudomonas aeruginosa.

Em geral, essa síndrome não provoca dor, no entanto, pode deixar a pele ao redor da unha inchadas e avermelhadas.

Como agir nesse caso: para essa condição, a providência a ser tomada é buscar um dermatologista e iniciar o tratamento adequado com antibióticos.

8. Unhas onduladas

causas das unhas onduladas

As unhas onduladas podem ser resultado do envelhecimento natural, dessa forma, bastante encontradas em idosos.

No entanto, há doenças dermatológicas que acarretam as ondulações na unha, como a psoríase, dermatite atópica, alopecia areata ou lúpus.

Como agir nesses casos: buscar atendimento dermatológico para investigar e tratar as causas dessa condição.

9. Unha arredondada

Essa característica surge aos poucos durante anos e pode, inclusive, ser imperceptível. Com o passar do tempo a situação agrava, causando inchaços e dores ao pressioná-las.

Essa alteração pode ocorrer em consequência de baixa oxigenação sanguínea decorrente de doenças pulmonares ou cardiovasculares, além de poderem ser sintomas de doenças de fígado, do intestino ou infecção pelo vírus HIV.

Como agir nesses casos: é necessário buscar atendimento com o clínico geral para investigar a causa dessa condição. A partir do diagnóstico ele poderá te encaminhar para o especialista mais apropriado.

10. Unhas viradas para cima

Essa alteração é chamada de coiloniquia e consiste em deixar as unhas projetadas para fora com um formato semelhante ao de uma colher.

Isso acontece, em geral, devido ao fato de a circulação do sangue não estar alcançando o centro da unha, podendo ser sintoma, por exemplo, de deficiência de ferro, problemas de coração ou hipotireoidismo.

Como agir nesses casos: buscar atendimento médico para investigar qual é a causa da alteração em questão e poder tratar de forma adequada com o especialista mais apropriado.

11. Descolamento da unha

Essa condição é chamada de onicólise e pode ser ocasionada pelo uso de sapatos apertados, alergia a produtos de limpeza/químicos ou limpeza excessiva das unhas.

No entanto, essa alteração pode ser resultado de infecções fúngicas, doenças como hipertireoidismo ou psoríase, além de uso de remédios, como captopril ou retinoides.

Como agir nesses casos: é importante não utilizar calçados apertados e evitar limpar debaixo das unhas excessivamente. Outra medida importante é o uso de luvas ao manusear produtos de limpeza para proteger de possíveis reações desagradáveis. Se mesmo com essas precauções o descolamento não cessar, o indicado é procurar um dermatologista para o diagnóstico e tratamento apropriado.

12. Unhas brancas com uma faixa rosa no topo (unhas de Terry)

Terry’s nails on this man’s hand look like frosted glass with no half-moon shape near the cuticle and a brown strip near the tip.

Essas alterações nas unhas podem ser características do envelhecimento natural, não indicando, portanto, nenhuma condição grave.

No entanto, essa condição pode ser sintoma de problemas, como insuficiência cardíaca congestiva, insuficiência renal, diabetes e alguns problemas no fígado, como hepatite ou cirrose.

Como agir nesses casos: é ideal buscar atendimento com o clínico geral para ele poder investigar as causas dessa alteração e te encaminhar para o especialista mais adequado.

E aí, identificou algum desses sinais em sua unha? Se a resposta foi positiva, não entre em pânico!

Em resumo, a melhor alternativa é procurar um médico o mais rápido possível! Somente um profissional poderá dizer se você está com algo errado no organismo.

Agora, já que estamos falando em saúde e em sinais que o corpo dá quando algo vai mal, não deixe de conferir: Como identificar sinais de infarto, AVC e outras doenças em seus pés.

Fontes: iG, Metrópoles, Tua Saúde.

Bibliografia

DERMNET NZ. Melanoma of nail unit. Disponível em: <https://www.dermnetnz.org/topics/melanoma-of-nail-unit/>.

JANDIAL, Aditya; et al. Beau’s lines. BMJ Case Rep. 2018. bcr2018224978, 2018.

LEGGIT, Jeff C. Acute and Chronic Paronychia. Am Fam Physician . 2017 Jul 1;96(1):. 96. 1; 44-51, 2017.

WALKER, J.; et al. Koilonychia: an update on pathophysiology, differential diagnosis and clinical relevance. J Eur Acad Dermatol Venereol. 30. 11; 1985-1991, 2016.

ZAIAS, N.; et al. Finger and toenail onycholysis. J Eur Acad Dermatol Venereol. 29. 5; 848-853, 2015.

Próxima página »

Escolhidas para você