Listas

Espécies de aranha: quais são, hábitos e características

As aranhas são animais artrópodes da Classe Arachnida e da Ordem Araneae, conhecidos pela diversidade e diferentes espécies de aranha.

As aranhas são animais artrópodes da Classe Arachnida e da Ordem Araneae, ou seja, são parentes do escorpião, carrapatos e ácaros. No geral, esse grupo animal ainda é conhecido pela diversidade, principalmente pelas diferentes espécies de aranha.

Existem cerca de 40 mil espécies de aranhas no mundo, mas estima-se que no Brasil existam mais de 12 mil espécies. Em suma, as aranhas são animais de pequeno porte, além de apresentarem o corpo dividido em cefalotórax e abdome.

Diferente dos insetos, todas as espécies de aranha apresentam quatro pares de pernas, contando também com apêndices, quelíceras e fiandeiras. Portanto, as aranhas são animais, e não insetos como se pensa comumente.

Espécies de aranha, quais são? Hábitos e principais características
Fonte: Britannica Escola

Letalidade das espécies de aranha

Como predadoras todas as espécies de aranha são consideradas venenosas, ou seja esse animal tem a capacidade de imobilizar e matar todas as suas presas.

Continua após a publicidade

No geral, as presas da aranha vão desde pequenos insetos, como moscas, mosquitos e grilos até animais maiores, como filhotes de camundongos e pássaros inteiros. Contudo, somente algumas são capazes de causar morte por intoxicação em seres humanos, principalmente por conta do veneno.

Dessa forma, é comum que os seres humanos entrem em contato com as espécies da aranha por consequência da destruição dos habitats naturais, em sua maioria, pela ação humana. Além disso, os hábitos e comportamento natural das aranhas faz com que pessoas entrem em contato com espécies mais perigosas.

Continua após a publicidade

Hábitos e comportamento

Com hábitos noturnos, as várias espécies da aranha costumam buscar abrigo em locais escuros e secos, principalmente armários, interior de caixas, frestas nas paredes e afins. As aranhas que vivem em residências somente atacam quando se sentem ameaçadas.

Sendo assim, é necessário ter cuidado quando se aproximar de locais com entulho, troncos, mas também de cômodos com objetos guardados por muito tempo.

Continua após a publicidade

Além disso, indica-se a manutenção constante de ambientes domésticos e urbanos onde esse animal possa se esconder, principalmente para evitar acidentes e riscos aos seres humanos.

Espécies de aranha

A picada da aranha pode causar vermelhidão local, além de dor, inchaço e também dores de cabeça. Porém, algumas espécies em específico podem levar o indivíduo à morte com sua picada. Conheça as espécies da aranha mais venenosas:

1. Aranha-marrom (Loxosceles sp.)

Espécies de aranha, quais são? Hábitos e principais características
Fonte: Syngenta PPM

Essa espécie é pequena, com cerca de 3cm e colocação marrom esverdeada. Aliás, no Brasil existem 18 espécies diferentes desse animal.

Nesse sentido, a diversidade de espécies da aranha-marrom e sua aparência causam uma confusão com outras espécies da aranha. Sendo assim, é um desafio identificar sua toxicidade, mas no geral, somente especialistas conseguem identificar essa característica. Por isso, recomenda-se o contato com qualquer espécime similar.

Continua após a publicidade

Entretanto, o maior número de casos de acidentes no Brasil acontece com a aranha-marrom, pois sua picada pode causar degradação e necrose local, sendo necessário acompanhamento médico e aplicação de soro.

2. Viúvas-negras (Latrodectus sp.)

Espécies de aranha, quais são? Hábitos e principais características
Fonte: Superinteressante

A viúva-negra é popularmente conhecida pelo hábito de devorar o macho após o acasalamento, mas também por ser uma espécie com a fêmea maior e mais forte do que o macho. Nesse sentido, a fêmea ainda é identificada pela coloração preta e brilhante.

Além disso, a fêmea também é diferenciada por uma marca vermelha em seu ventre. No geral, o macho é menor e inteiramente preto.

Mais ainda, a picada da viúva negra é letal e provoca dor intensa, além disso, seu veneno age no sistema nervoso central, medula e músculos.

Continua após a publicidade

Dessa forma, é possível que a picada dessas espécies de aranha causem a morte do indivíduo. Assim, os sintomas da picada da viúva-negra são dores musculares fortes, suor e tremores.

A boa notícia é que o veneno das viúvas-negras que estão no Brasil são considerados menos letais, porém, em todos os casos é indicado a ausência de contato com a espécie.

3. Aranha-armadeira (Phoneutria sp.)

Espécies de aranha, quais são? Hábitos e principais características
Fonte: Ah Duvido

Ao contrário das outras espécies da aranha, a aranha-armadeira é venenosa e agressiva, bem como é responsável pelo maior número de acidentes registrados. Além disso, seu veneno é um dos mais perigosos.

Essa espécie tem cerca de 3-4cm e apresenta coloração marrom. porém, suas patas alcançam até 15cm de envergadura. Assim, ela é encontrada em ambientes externos, e no Brasil sua incidência é mais comum no Sudeste.

Continua após a publicidade

O veneno das armadeiras pode causar náuseas, vomitos e diminuição da pressão sanguínea, mas geralmente, a maior parte dos acidentes graves ocorre com crianças. Neste caso, os principais sintomas são intensa salivação, vômito, diarreia, choque e edema agudo de pulmão.

Comumente, a picada da aranha-armadeira geralmente produz dor imediata no ponto atingido, porém, é possível tratar de maiores reações com o soro no hospital e os óbitos são raros.

4. Tarântulas (Lycosa sp.)

Fotografia do animal para ilustração do item em questão
Fonte: Sanitas

Confundidas com a aranha-armadeira, as tarântulas são menores e não apresentam faixas brancas nas patas, mas também são conhecidas como aranhas de jardim, pois normalmente vivem em jardins e quintais. Além disso, sua picada tem ação local, necrosante e com ardência, porém, essa espécie não é uma aranha agressiva.

Além disso, não tem um veneno tóxico para humanos, por isso, não há necessidade de administração de soro em caso de acidentes.

Continua após a publicidade

Entre as subespécies da aranha-armadeira, encontra-se a tarântula de jardim, tarântula negra e a aranha golias. Nesse sentido, a aranha golias é o maior aracnídeo em peso corporal do mundo, e também pode alcançar 30cm de comprimento.

Aranha golias

Imagem da espécie citada anteriormente, para ilustração da explicação dada no item da lista
Fonte: Sanitas

A aranha golias também é nativa da região amazônica brasileira, curiosamente a espécie consegue devorar um pássaro inteiro e até morcegos. Além disso, a picada dessa espécie causa náuseas, hiperidrose e forte dor local, pois suas quelíceras possuem 3cm de comprimento.

Mais ainda, a aranha golias possui pelos urticantes que causam irritações na pele e nas vias respiratórias, porém, apesar do tamanho e dos hábitos, o seu veneno não leva seres humanos à morte.

5. Aranhas-caranguejeiras (Grammostola sp.)

Fotografia do animal do item listado, para ilustração e exemplo
Fonte: Pinterest

As caranguejeiras são aranhas grandes, podendo chegar até 26cm de comprimento. Com coloração preta, marrom, cinza ou rosa, a caranguejeira tem um corpo coberto de pelos urticantes que servem como mecanismos de defesa e função sensorial. Além disso, esses pelos dão uma aparência texturizada e peluda ao animal.

Continua após a publicidade

Mas, ao contrário do que se pensa, as caranguerejeiras são espécies de aranha com picada pouco letal, ou seja, a picada causa dor local, mas não lesão física. No entanto, seus pelos podem causar irritação na pele, além de sensação de queimadura; Além disso, nas vias respiratórias e olhos podem causar coceira.

Assim, por serem pouco agressivas, essas aranhas são alvos comuns do comércio ilegal de animais.

6. Aranha-teia-de-funil (Atrax robustus)

Fotografia da espécie em posição de ataque, ilustrando o item listado
Fonte: Mega Curioso

A aranha-teia-de-funil é nativa da Austrália, e tem esse nome por fazer teias afuniladas. Aliás, a espécie é perigosa, pois, seu veneno pode ser fatal ao sistema nervoso dos seres humanos.

Essa espécie é extremamente agressiva, até utilizando a própria pata para prender suas vítimas e injetar o veneno. Portanto, quando ataca, o animal costuma ficar em suas patas traseiras para expor os ferrões e intimidar a presa.

Continua após a publicidade

Além disso, a aranha-teia-de-funil pode chegar a medir cinco centrímetros e possui o corpo coberto por pelos que o ajudam a nadar. A espécie apresenta coloração negro-azulada ou marrom escuro, tendo tanta força que sua picada que é capaz de perfurar até a unha humana.

7. Aranha doméstica comum (Pholcus phalangioides)

Fotografia da espécie para ilustração do item
Fonte: Wikipedia

Essas espécies de aranha apresentam patas muito longas, com corpo pequeno e circular. Basicamente, elas produzem grandes teias em formato folicurar nos cantos das paredes.

Geralmente, elas não possuem glândulas de veneno, ou seja, são inofensivas para o ser humano.

8. Aranha de parede (Selenops spixi)

Ilustração do animal para item listado
Fonte: Eco Registros

Por fim, essa aranha alimenta-se de insetos domésticos, incluindo aranhas menores, traças e moscas, porém, não apresentam glândulas de veneno e são inofensivas ao ser humano. No geral, essas espécies ficam localizadas atrás de armários, quadro de paredes e estantes.

Continua após a publicidade

Se você gostou dessa matéria, então você também vai gostar dessa: Animais peçonhentos – Quais são, características e como lidar com ataques.

Fontes: Toda Matéria | Uniprag | Sanitas | Brasil Escola | Drauzio Varella | Wikpedia

Bibliografia
PROTECCIÓN CIVIL. Picaduras de animales. . Acesso em 21 dez 2021
DIRETORIA DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA DE SANTA CATARINA. Acidente por aranha do gênero Loxosceles “Aranha marrom”. Disponível em: <http://www.dive.sc.gov.br/conteudos/agravos/publicacoes/ProtocoloClinicoAcidenteAranhaLoxosceles2014.pdf>.
DIRETORIA DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA DE SANTA CATARINA. Acidente por aranha do gênero Phoneutria “Aranha armadeira”. Disponível em: <http://portalarquivos.saude.gov.br/images/pdf/2014/marco/13/Protocolo-cl–nico—Acidente-por-aranha-do-g–nero-Phoneutria.pdf>.
JUNIOR, Vidal H.; CARDOSO, João L.C.; STOLF, Hamílton O. Tratamento cirúrgico da úlcera loxoscélica: solução prática para um problema de difícil resolução. Diagn Tratamento. Vol.17, n.2. 56-58, 2012
INSTITUTO BUTANTAN. Acidentes com animais peçonhentos. Disponível em: <http://www.saude.sp.gov.br/resources/ses/perfil/cidadao/temas-de-saude/animais_peconhentos.pdf>.

Continua após a publicidade

Próxima página »

Escolhidas para você