Curiosidades

Ran: conheça a deusa do mar na mitologia nórdica

Embora ela seja a esposa do deus do mar Aegir, Ran não é muito conhecida na mitologia nórdica, leia e saiba mais sobre ela.

Você já ouviu falar sobre Ran, a deusa do mar, na mitologia nórdica? Os mitos nórdicos nos revelam o poder de grandes deuses como Odin, Thor e Loki.

Contudo, é nas divindades femininas que essa cultura concentra os maiores aglomerados do mal. Um exemplo disso é Ran: a deusa do mar.

Em todas as rotas vikings ouvem-se histórias sobre esse personagem, protagonizando atos crueis e despertando o terror de todos em seu caminho. Continue lendo e descubra quem é Ran na mitologia nórdica.

Quem é Ran?

Para entender quem é Ran, precisamos conhecer a história dos guerreiros Vikings. Em suma, os Vikings foram povos que habitaram a Escandinávia entre o século VIII e XI.

Continua após a publicidade

Desse modo, eles dominavam a arte da navegação e, portanto, sabiam fazer navios grandes, fortes e muito resistentes, com os quais navegavam por meses ou até anos.

Entretanto, apesar da bravura dos vikings, ao navegar pelos mares tinham em mente um medo eterno: a presença de Ran, a deusa nórdica do mar. Ran na mitologia nórdica era a deusa do mar, casada com Aegir, o deus de todos os oceanos.

Seu simbolismo estava associado a tudo de ruim que poderia acontecer a um ser humano no mar. Além disso, acredita-se que aqueles que perderam a vida nos mares foram sequestrados por Ran.

Eles eram levados ao fundo do oceano, por meio de uma rede gigante feita por Loki, o deus da trapaça.

Continua após a publicidade

Significado do nome e aparência da deusa

Algumas teorias afirmam que a palavra Ran vem de um termo antigo que significa literalmente roubo ou furto, em referência às vidas que ele tirou no mar.

De fato, a deusa nórdica do mar tinha uma natureza muito diferente da de seu marido. Ou seja, ele nunca experimentou vergonha ou arrependimento pelos males que era capaz de cometer.

Embora a cor de sua pele fosse esverdeada, sua aparência era sutil e delicada. Ran tinha cabelos pretos longos e grossos que se misturavam com as algas marinhas dos Mares do Norte.

Por isso, os marinheiros eram atraídos por sua aparência muito bonita. No entanto, eles logo descobriram seus dentes pontiagudos e suas garras tremendamente afiadas. Segundo a mitologia nórdica, Ran podia assumir várias formas, como sereias e mulheres sensuais.

Continua após a publicidade

Família

O marido de Ran era Aegir, um jotunn. Assim, enquanto Aegir representa os aspectos mais agradáveis ​​do mar, ela é seu lado mais sombrio. Ela tem nove filhas com ele que personificam as ondas, possivelmente as mães de Heimdall.

Mãe e filhas gostavam da presença de homens em seu palácio subaquático, e aparentemente não havia tantos no fundo do oceano. Então, eles não hesitaram em afogar qualquer tolo que ousasse entrar nas águas nórdicas.

Algumas lendas dizem que Ran só recolhia os corpos dos infelizes que haviam caído no flagelo das ondas, mas outras defendem que foi a mesma deusa nórdica do mar que causou os naufrágios.

As lendas associadas a Ran na mitologia nórdica

Apesar do lado sombrio da história de Ran, o destino dos homens que ela afogava nem sempre era aterrorizante.

Continua após a publicidade

Diz-se que aqueles homens que desceram ao palácio de Ran sempre permaneceram jovens e bonitos, pois sua permanência perto da deusa os tornava imortais.

No entanto, se por algum motivo Ran os enviasse em uma missão em seu nome, eles logo assumiriam um aspecto ameaçador e se transformariam em criaturas marinhas cobertas de algas conhecidas como Fossegrim.

Aliás, as criaturas marinhas bizarras da franquia Piratas do Caribe, foram inspirados nesses personagens da mitologia nórdica, ou seja, nos escravos de Ran.

Como os marinheiros se protegiam da deusa nórdica do mar?

A superstição mais comum entre eles dizia que eles deveriam sempre levar uma moeda de ouro em cada viagem que fizessem.

Continua após a publicidade

Se os marinheiros jogassem essas peças de ouro ao mar enquanto recitavam uma oração, a deusa não as pegaria em suas redes e eles teriam uma viagem segura e segura até o seu destino.

Essas joias ou amuletos também eram usados, caso o barco acabasse no fundo do oceano, para pagar o favor da deusa e assim impedir que ela os guardasse em seu palácio por toda a eternidade.

Fontes: Mitologia Hi7, The White Gods, Pirate Jewelry

Veja histórias da mitologia nórdica que podem interessar:

Valquírias: origem e curiosidades sobre as guerreiras da mitologia nórdica
Sif, a deusa nórdica da fertilidade da colheita e esposa de Thor
Ragnarok, o que é? Origem e simbologia na mitologia nórdica
Conheça Freya, a deusa mais bela da mitologia nórdica
Forseti, o deus da justiça da mitologia nórdica
Frigga, a deusa-mãe da Mitologia Nórdica
Vidar, um dos deuses mais fortes da mitologia nórdica
Njord, um dos deuses mais reverenciados da mitologia nórdica
Loki, o deus da trapaça na Mitologia Nórdica
Tyr, o deus da guerra e o mais corajoso da mitologia nórdica

Continua após a publicidade
Próxima página »

Escolhidas para você